#Projeto2016organizado: Planners

abplanners

2016 já com o primeiro mês terminando, e eu precisava compartilhar por aqui algo que vai ajudar à turma que incluiu dentre as resoluções do ano novo ser mais organizada: o planner, galera, vai mudar a vida de vocês, e como vai!

Eu sempre fui fã de agenda, mas em 2015 minha migs Vanessa me apresentou algo que transformou minha vida, o planner, que posso definir como uma agenda detalhada, já que engloba planejamento semanal, mensal, anual, listas de tarefas a fazer, e até planejamento financeiro, onde podemos anotar gastos e os lucros que a gente teve ao longo do mês.  De fato, é muito útil pra mim, que tenho tdah.

O problema é que no Brasil resolveram cobrar mais de R$150,00 em um planner, não que eu ache absurdo, porque são bem volumosos e elaborados, mas acho um gasto exagerado dentro do contexto econômico em que vivemos. Então, pra quem não quer pagar tão caro por um planner, eu indico o meu, que comprei no Aliexpress (tá na abertura do post, de capinha verde) e é fofinho, prático (porque dá pra levar na bolsa) e o melhor, tem preço amigo, aproximadamente 26 reais! Ele contem planejamento mensal, semanal, campo para lista de afazeres, e no fim tem espaço para notinhas diversas que a gente queira anotar. Pra quem precisa transportar seu planner pra cima e pra baixo, esse é o mais indicado, porque não pesa na bolsa.

plannermens

plannersema

Mas, se você, meu amigo, minha amiga, deseja gastar menos que isso pra ter seu planner, achei um blog maravilhoso, o Que Se Ame, que disponibiliza, mediante apenas uma compartilhada no Twitter ou Face do post dela, folhas em formato PDF de um planner sensacional, completinho, e muito fofo, que a gente pode baixar, e imprimir em papel com gramatura maior pra deixar bem bonitão! Eu fiz o meu, imprimi e encadernei pra deixar em casa na minha mesa do escritório, porque quero programar posts, planejar meu tcc, e organizar refeições, feira, academia, essas coisas nele.

plannerprint

plannermensalprint

plannersemanalprin

planejgastos

E aí, gostaram dos planners? Vamos aos links, né, que é o que realmente interessa!

Bom, para comprar o planner do Aliexpress, só clicar AQUI, e para baixar o planner do blog Que se Ame, só clicar AQUI!

Vou ficando por aqui, amanhã volto com um post modístico, mas quero desejar nesse post, que pra mim realmente abre a temporada de posts 2016, um ano organizado, e cheio de realizações pra todo mundo!

Beijos!

Existirá amor em 2016

Você, leitora deste humilde blog, independente do seu signo, vai concordar: 2015 foi um ano estranho. Se você não é mística como eu, e sim mais cética, e estudou Física, também vai concordar que nosso mundo teve com energia estranha nesse ano que tá acabando. Muito ódio permeando eventos que ocorreram em 2015, uma onda negativista sendo jogada em nossas cabeças todos os dias pela mídia, e muitos dias em que a gente fica se perguntando se a humanidade ainda tem jeito.

Eu culpo o universo, e acabo culpando a nós, também, que nos deixamos ser engolidos por essas bad vibes, replicando negatividade, e esquecendo de valorizar e compartilhar o que realmente importa, boas atitudes vindas de pessoas que sempre nos ajudam a restaurar a fé na humanidade. Malala, Papa Francisco, a velhinha que costura roupas para crianças africanas carentes, e tantas outras têm mais a nos ensinar que essa gente que espalha ódio, e tem sede de poder e dinheiro.

Particularmente, pra mim, 2015 não foi ruim, foi um ano-hiato. Olhei pra 2015 e vi que merda nenhuma foi feita, aquele típico ano em que me senti uma merda na água. Exagero meu dizer que meu 2015 foi igual ao 2007 da Britneyde, mas não posso dizer que foi MEU ANO. Fiz uma Pós que me apresentou amigos maravilhosos, e meus amigos de sempre viraram uma grande família, foi realmente a parte ótima desse ano, e que preciso aprender a valorizar. Mas também entendi o recado da vida, às vezes é preciso passar por um hiato, pra virar a página estabelecendo metas, objetivos, e saber que um ano bom se faz com positividade, muita risada, atitude, empatia, e amor.

Não é preciso muito; posso falar seguramente que nem é preciso dinheiro, como muita gente pede na virada do ano; é preciso bom humor, pois é a cura de todos os males; é preciso resiliência, leveza, ninguém precisa levar a vida como um pesado fardo em suas costas. E é isso que pedirei com muita fé nessa virada, pra mim e pra vocês, enquanto assisto aos meus seriados preferidos regados a muita pipoca. Porque já preciso pôr em prática minha primeira meta de 2016: estar próxima dos meus, e valorizar os momentos simples da vida. Não gosto de sair de casa em virada de ano, e sinceramente, em todas as vezes que passei fora do meu ninho, me senti deslocada, me perguntando o que tava fazendo ali, desejando Feliz Ano Novo a quem nem é de minha convivência e, portanto, não passa energia boa pra mim. E é disso que fala meu Manual para 2016, que compartilho agora com vocês, e que vai ficar salvo no meu celular, pra me lembrar que ser uma melhor pessoa não é projeto só de ano novo, e sim de vida.

Então, desejo a vocês muitas alegrias, atitudes positivas, e que a gente sempre busque conhecimento, reflexão sobre as coisas, sopesando acontecimentos. Que julguemos menos, compreendamos mais, compartilhemos bons exemplos, e lutemos pelo que acreditamos. São meus singelos votos para 2016.

Pequenomanual

Beijos e muita luz para todos nós! Feliz 2016!!

Uma luz no fim do túnel: Campanha da Quem Disse, Berenice? e Empoderamento Feminino

Eu já tava com esse post há um tempo pra escrever, mas meus compromissos da vida, e o fato de não conseguir fazer um planner mais efetivo pras postagens do blog só me deixaram lembrar agora, depois que li, há dois dias, a Revista da Gol no avião, mais precisamente uma reportagem sobre a Quem Disse, Berenice?.

No meio desse turbilhão de agências de publicidade, e marcas que aprovam propagandas machistas, que coisificam a mulher, incitam a violência contra o sexo feminino (cultura do estupro included), dentre outras coisas horrendas, eis que uma campanha traz um fio de esperança para nós: a campanha “#épramim”, da Quem Disse, Berenice?

A marca, com o #épramim, acredita que toda mulher deve ser livre pra fazer suas escolhas, e decidir o que é ou não pra ela:  ser analista de sistemas especializada em jogos de videogame, piloto de stock car, escrever quadrinhos, usar uma roupa curta, ou batom vermelho. Confesso que a cada depoimento que via no Face (são vários), sentia uma vontade enorme de ir até à loja e adquirir um produto da marca, porque nunca me senti tão representada.  “A marca sempre falou de liberdade e ao mesmo tempo teve contato com muitas histórias de mulheres que deixavam de fazer coisas por acreditarem que algo ‘não era pra elas’. A campanha vem para encorajá-las a perceberem que tudo o que quiserem será para elas”, explica Gustavo Fruges, gerente de comunicação e branding da Quem Disse, Berenice?.

O filme  abaixo ilustra bem a essência da Campanha:

 


 

Tá mais que na hora de a gente se aproximar de marcas que incentivem o empoderamento feminino; já que vivemos num mundo capitalista,  onde as mulheres tanto são grandes consumidoras, como influenciam as compras da família, dar dinheiro/corda a marcas que não nos representam é uma grande furada. É claro que existem marcas que falseiam esse empoderamento para vender mais, porém, por tudo que li sobre a Quem disse, berenice? a marca tem uma proposta de vender seu produto (logicamente), e ao mesmo transmitir a mensagem do empoderamento, a começar pelo próprio nome da marca, que é um questionamento certamente a imposição de regras às mulheres.

E não, não é um publipost, tô conversando com vocês sobre a QDB porque realmente curti a campanha dela, e, do mesmo jeito que aprendemos a rechaçar agências de publicidades toscas (são vários os casos, do esmalte às propagandas de algumas cervejas), a gente tem que exaltar quem faz campanhas magníficas.

Os 5 vestidos mais fechativos da Self Portrait

 

ABselfpor

Já ouviram falar da Self Portrait? Acho que assim, de nome, muita gente não conhece, mas basta um passeio pelas redes sociais das blogueiras e atrizes gringas pra se encantar com a marca, principalmente com os vestidos de renda e guipure fabricados por Han Chong, que entrou no ramo da moda há dez anos (sendo co-fundador da Three Floor), e não fazia ideia que a Self Portrait iria estourar quando pôs à venda peças no Net-a-Porter, e na Bergdolf Goodman. Simplesmente as peças voaram, e não raro a gente topa por aí com alguém do Insta usando suas produções.

Observando os modelos à venda, a gente nota que Han faz a linha ladylike, ora assumindo uma pegada mais romântica, ora dando um toque de modernidade. Separei os cinco modelos de vestido que mais curto na marca pra mostrar por aqui:

 SP5

SP4

SP1

SP3

SP2

O mais legal é que esses modelos já ajudam quando o ponto é resolver que look usar no fim do ano, né? Então, toma aqui minha dica pra vocês fãs de renda, guipure e similares, corram pras costureiras mais próximas que eu acho que ainda dá tempo!

Beijos!

Peça-Desejo: Camisa com babados Miu Miu

abmiumiu

 

Eu amo camisa. Na minha vida, ela tá na correria do dia-a-dia do trabalho, e nos looks de lazer. As minhas preferidas? As de algodão, porque não esquentam, e deixam a gente sempre arrumadinha!

E hoje vou falar pra vocês sobre um modelo de camisa que já tava faz um tempinho na minha pastinha de inspirações: a camisa com babados da Miu Miu, que foi desfilada na coleção de inverno 2015 da grife, e que bombou no street style das semanas de moda do hemisfério norte. O desfile foi uma mistura de eras, um verdadeiro passeio pelas décadas de 50, 60, 70, e 80…foi de encher os olhos, as referências eram inusitadas, indo de Lady Di a Talking Heads.

Quando vi no Instagram, eu pirei na camisa, porque é um modelo diferente de todas que eu tenho; faz uma linha bem vintage, e aparenta ser em algodão, ou seja: PERFEITA pra mim!

runwayMiu2015

Quem viu o snap de Victoria Ceridono ontem, percebeu que ela usou esse modelo, a camisa azulzinha da imagem acima pra ser mais precisa, e combinou só com jeans e um scarpin nude, mostrando que ter uma peça dessas no guarda-roupas torna a montação mais prática, uma vez que, como o modelo e a estampa chamam a atenção, bastam peças mais básicas pra ornar com a camisa.

Separei alguns looks de street style só pra vocês terem uma ideia da lindeza que fica uma composição que tem essa camisa da Miu Miu como peça-chave:

pratMiu2015

O modelo sem manguinhas em estampa com vermelho é um amor, né não? Já quero uma parecida pra ontem, gente, como faz???

Beijos e até o próximo post!

 

 

Dica de Livro: Invencível, de Laura Hillenbrand

E AÍ, MEU POVO!!!!

As minhas leitoras mais antigas já devem ter percebido que não sou muito de fazer posts literários; tenho perfil lá no Skoob com minhas preferências, mas por aqui falo muito pouco. Porém, acho que vou tornar mais constante indicação de livros, e darei preferência a obras que me impactaram, como a de hoje, o livro de Laura Hillebrand, Invencível.

9788539003433_300_site

Fazendo um resumo bem rasteiro da obra, Invencível conta a história de “Louie” Zamperini, um rapaz que foi atleta olímpico, mas teve sua carreira interrompida por uma repentina convocação para a Segunda Guerra Mundial. Porém, esses dois fatos que contei não o centro da obra, mas sim o que Louie (como carinhosamente era chamado) passou durante esse período (acidente aéreo, prisão por tropas inimigas…), e de que forma ele conseguiu lidar com os eventos que aconteceram em sua vida.

A descrição do livro eu extraí do site da Saraiva, e é essa aqui:

“Em uma tarde de maio de 1943, um avião da Força Aérea americana caiu no meio do oceano Pacífico e desapareceu, deixando para trás alguns escombros e um rastro de óleo e sangue. Em seguida, na superfície do oceano, apareceu um rosto. Era de um jovem tenente, um dos artilheiros do avião, que se esforçava para chegar a um bote salva-vidas. Assim começou uma das mais impactantes odisseias da Segunda Guerra Mundial. O nome do tenente era Louis Zamperini. Quando criança, foi um rebelde incorrigível. Adolescente, canalizou a rebeldia no atletismo e descobriu um talento que o levou às Olimpíadas de Berlim e à perspectiva de ganhar uma medalha de ouro nos Jogos seguintes. Mas com o início da guerra, Zamperini foi obrigado a desistir de seu sonho. Com uma voz narrativa rica e intensa, Invencível é o relato fascinante da coragem e resiliência de um ser humano extraordinário.”

Terminei de ler a obra recentemente e olha, Louie é inspirador. Não se trata de um livro de auto ajuda, mas de uma biografia que ensina muitas lições, dentre elas, a resiliência, e inteligência emocional. Prefiro não me prolongar por aqui, porque adoraria que vocês lessem o livro, maravilhoso!

A história de Zamperini é tão fodástica que Angelina Jolie, recentemente, dirigiu um filme inspirado na obra, cujo trailer vocês podem ver logo abaixo, mas advirto: NÃO VEJAM O FILME ANTES DE LER O LIVRO, PLEASE!!


Aproveitando que as férias tão chegando, que tal mergulhar no mundo dos livros começando por essa dica?!

Páginas12345... 191»