O verão, segundo a Vogue Australiana de março de 2011.

Se eu pudesse traduzir o editorial da Vogue de Março from the land down under em uma palavra, eu diria: caliente!

A revista fez questão de usar como pano de fundo para as fotos o México, com um único propósito: mostrar que o verão é, sem sombra de dúvida, latino, colorido, irreverente, arejado, e chique!

Para minhas leitoras queridas que acompanham dia-a-dia este blog, muitas das peças mostradas não são novidade…lembram desse primeiro vestido da esquerda, com inspiração em Carmen Miranda, do desfile da Prada? Massa, né?

Atentem para o velho truque do cinto amarrado, e para um novo comprimento(que promete competir de igual para igual com os curtíssimos) abaixo dos joelhos…vamos ver ainda muito por aí…

As estampas graúdas também se fizeram presente no editorial, ao lado dos vestidos mod(sixties total), recorrentes lá fora, e usados demais por Vic Beckham:

E o que dizer da estampa de frutas de Stella McCartney? Voltamos à Tropicália, meninas!

Color blocking na velocidade cinco, grafismos, cores fortes…estamos no verão da irreverência, a latinidade aflora, e a elegância a ela se alia!

E por falar em irreverência, Prada de novo, com estampa de bananas…yes, nós temos!

Ai como tô adorando falar desse editorial! Meu eu barranquillero(só quero ser Shakira, aloka!) tá transbordando de felicidade, com tanto laranja, verde, amarelo, pink, estampas divertidas e autênticas, tudo junto e misturado!

E no último grupo de fotos, só faltava ela: uma  camisetinha verde de amarela! Puro amor por esse editorial!

Quero essas wedges de solado de corda com a força de Thundera!

Pra finalizar, aquela letra de música que vem bem a calhar com o  editorial:

Represent – Orishas

Ven que te quiero cantar de corazón así

La historia de mis raíces
Rumba son y guaguancó todo mezclado
Pa que lo bailes tu
Mira hay quién no baila en la Habana

Represent, Represent Cuba,

Orishas undergraund de La Habana
Represent, Represent Cuba, tu música

Vas vas vas vas y bouge ton cul sur le beat écoute ça

J’prêche pour ma chapelle : Panam
J’représente gars mes refrè d’la Havana
J’rappe c’est mon dada

Miko Niko chico
Soy loco sem prefosion
J’représente la salsa l’soleil de Cuba
J’oubli Paris, la pluie, son ciel gris et tout ça
J’rêve de belle nana sur la plage d’la Havana
Me pavaner, sous les palmiers à fumer j’représente ça!

Mi música Tiene sabor a melado de caña Ay dime si te gustó

Hey yo estoy representando a los Orishas de mi cuba
Mofare Olofi hasta la sepultura

J’représente la salsa, le hip hop cusas se vous
Cuando quiero estallar yo me voy a mi zona
Pa’ La Habana yo me voy

J’représente le blanc, le noir, le chico, la chica
D’chicago à Panama, Tokyo à la Havana
J’représente la fiesta soul de Cuba y mi conga

Adooooro!da Semana: Emmanuelle Alt

E algumas amigas leitoras perguntarão quem é ela:

Imagem: reprodução

E eu respondo: Emmanuelle Alt.

Porque ela é a nova editora da Vogue Francesa.

Porque o bafón explodiu essa semana.

Porque esse nome vai ser muito falado futuramente.

Porque, de fato, ela estilosa, mas à francesa.

Porque vamos ver várias imagens dela por aí de agora em diante.

Prazer, calça social!

Dando uma olhadela on line na Vogue UK de Janeiro de 2011, me deparo com um ensaio lindíssimo, que veio a calhar com um post que tava pré-programado pra vocês: um especial sobre calças sociais.

Porém, longe de mim escrever sobre aquela calça que nós conhecemos, que faz par com o blazer para formar o terninho, de modelagem reta, enxutinha. Ela – que sofreu mutação – agora é a grande vedete na composição de qualquer look. Sai do ambiente de trabalho e ganha às ruas, tanto de dia quanto à noite, dando um toque classudo às mulheres que adotam a peça como o símbolo da praticidade.

Neste editorial, a modelo Karlie Kloss nos inspira, e mostra uma gama de modelagens que exsurgem: pantalona(queridinha pra mim), boca-de-sino, cintura alta, enfim, ela se repaginou para nos agradar!

Reparem nos tecidos, que vão dos fluidos aos mais armados, e nos novos comprimentos adotados na barra, principalmente uma grande novidade, já mostrada aqui no blog através de uma imagem da Olivia Palermo na festa da Mango: a calça agora cobre totalmente o sapato. Alonga e fica um efeito bonito(só não vale usar arrastando totalmente no chão, fica feio).

Em verdade, do fundo do meu coraçãozinho, sempre achei a calça social um grande clássico.  Estilo pantalona, nem se fala; sempre esteve dentre minhas peças prediletas, sempre usei, e fiz campanha prazamigue usarem também. E bom que esteja sendo divulgada como tendência, pois nem só de carrot pants vive a mulher. A gente gosta de diversidade, e principalmente de andar bonita!

Outro ponto forte é que a gente pode criar looks bem variados com a bendita. Dá pra ir do trabalho ao barzinho com ela, basta fazer as misturinhas necessárias pra ficar harmônico e apropriado para cada ocasião!

Que me dizem? Já possuem calça social em algum dos estilos mostrados? Topam adotar esta peça clássica? Será que vai pegar?

Eu já respondo por mim: adoto e faço campanha! Aliás, quero várias!

Matriz Fashionista: A diva do new wave, Debbie Harry!

Depois de alguns meses sem o “matriz fashionista”, hoje me inspirei para falar de uma diva que tava na pauta já faz um tempinho: Deborah Ann Harry, mais conhecida como Debbie Harry ou, para os menos conhecedores de música, simplesmente a loira vocalista do Blondie.

Fiz parte da geração MTV anos noventa. Porém, esse instrumento poderoso trouxe ao meu lar a dona da versão original de Heart Of Glass, que eu só conhecia através do Double You(meu passado me condena!). E era ela, loira, classuda, estilosa, e new wave!

Adoro essas bandas antigas, porque tudo ia muito além da música. Era música, moda, comportamento e estilo, tudo junto e misturado.

E Debbie Harry é bem assim. Vocalista de uma banda new wave, mas muito amiga dos meninos punk rockers, Debby transbordava os dois estilos: o glamour do new wave, e a trasheria do punk, hi-lo dos melhores. Isso é pra vocês verem que essa história de hi-lo não é de hoje. A mescla de estilos vem desde sempre.

E essa “confusão fashionista” transborda no estilo da loira, que usa um make acertadinho e luminoso(e boca vermelha, laranja, ou glossy), combinados com cabelos texturizados, e por muito tempo loiros em cima, e escuros na parte de baixo. Nada de picumã engomadinho.

Da mesma forma que na parte de beauté, Debbie lança uma moda que faz um mix do estilo punk rocker, com a descontração do new wave. Ora roupas coloridas, ora muito preto; ora lurex, ora o bom e velho jeans desgastado. Tudo na vida!

Pra vocês não duvidarem de que Debbie é diva rock, olhem só esses dois editoriais inspirados nela: um de 2007, da Vogue Inglesa; e outro do fim do ano passado, da Vogue Francesa, estrelado pela Top brasileira Raquel Zimmermann:

Hoje D. Harry já tem 65 anos de idade, mas continua uma coroa linda de viver, fora que é uma lenda viva do início de um período tão produtivo da música mundial!

Love Debbie!

Ps: esse post foi feito ao som de Atomic, do Blondie.

Dúvidas de que o crochê tá bombando?

Nenhuma.

O artesanato do tempinho de nossas avós estampa a capa da Vogue Latin America:

E o que vocês estão esperando pra pedir pra avó fazer uma peça de crochê? Corram!

Eu tenho algumas, maioria saia e colete, e vou tirar o mofo e botar tudo pra fora do guarda-roupas com urgência urgentíssima!

Dei uma folheadinha na revista acima e me engracei desse vestido também…me lembrou um que tinha feito pra o ano novo de 3 anos atrás que bordei todinho, mas titia engavetou o projeto e não costurou…tá me devendo tia!

Quem sabe esse ano sai, hein, txitxia linda do meu core?

Matriz Fashionista: Quando foram tiradas essas fotos?

E aí meninas, chutam quando foram feitos esses cliques para a Vogue Americana?

Muito nude e off white, tendência boudoir na velocidade 6…algum palpite?

Fotos no melhor estilo ladylike, com as moçoilas impecáveis mas lavando roupitchas…

Dúvidas de que isso foi em 2010?

Acertou quem disse SIM!!

Pois é, pois é…as fotos fazem parte de um editorial publicado em 2005 na Vogue americana, e conta com uma brasileirinha, Carol Trentini(ela de novo) pagando de glamourosa enquanto bota as calçoletxes freiadas pra lavar!

Agora, me digam? Moda é ou não é cíclica? Tudo isso podia perfeitamente ter saído de uma revista desse mês, sem medo de ser feliz! Muita renda linda, peças em tons de nude, corselets fabulosos, ow God, que luxo, poder e sedução!

É por isso que eu sempre digo: guardem algumas pecinhas clássicas, vocês SEMPRE precisarão delas em algum momento de suas vidas.

Páginas12