Adooooro! da Semana: Gwyneth Paltrow

Quebrei o jejum de alguns dias sem postar(tava em Buenos Aires, aguardem posts em breve, isso é, se vocês quiserem, porque aqui a leitora não pede, manda!) para apresentar o look que se destacou na semana, não pelo traje em si, um preto básiquérrimo, mas pelo acessório, um cinto com cordas bem parecidas com aquelas de rapel. Quem veste? A eterna musa Gwyneth, que ainda inseriu cores na montação através das sandálias coloridas!

O vestido, que tem um assimétrico delicado, faz parte da coleção de primavera/verão 2011 da Vionnet, e originalmente vem com uma gola dourada destacável(se é que posso chamar assim). Ó ele aí:

Cinto super fácil de fazer, digo logo…já comprei até esse cordãozinho, e o corpo do cinto vou costurar com brim e indeformável, quem quiser tutorial levanta a mão \0/!

Resumão S/S da Semana de Moda em Paris 2011, parte 1

Essa semana é a semana dos posts intensos. Terminado o review de Milão, falei pra vocês que ainda restavam mais algumas cidades fashionistas para comentar o que rolou de legal nas coleções de primavera/verão 2011. Então, corramos para Paris, que fiz questão de dividir em duas partes, porque só assim pra gente comentar com calma, né?

Prontas?

AKRIS: a Akris exibiu uma coleção super gostosa de usar. O frescor do verão se juntou ao minimalismo da cultura asiática, e tudo deu certo. Longuinhos bem moldados ao corpo, pantalonas, e shortinhos inundaram a coleção de sofisticação e elegância. As cores eleitas foram o branco, areia, jeans, e a estampa que dominou foi o floral gigantesco. Destaque para o macaquinho jeans e para o little white dress, que resiste forte a mais uma temporada.

ALEXIS MABILLE: foi a coleção que dominou meu coração. Engraçado que eu sempre meu apaixono pelos criadores fanáticos pelo estilo ladylike. A mulher alfa é muito feminina, lembram? A coleção traz em sua essência o espírito dos feriados, mais precisamente uma viagem mucho loca à Capri. Não a Capri de agora, mas aquela que brilhara nos anos cinqüenta e sessenta. O resultado? Saias godês, cintura marcada, tailleurs curtinhos  barriguinha de fora e até o caftã deu o ar da graça na passarela. Devo dizer de coração, que achei tudo lindo! Os comprimentos foram o mini, o médio e o ultralongo.


AZZARO: Outra que me fez colocar mais imagens que o usual foi a Azzaro. Juro que tive vontade de colocar TODAS AS FOTOS DE UMA VEZ SÓ, de tão linda que tava a coleção. Gosto de coisa assim, copiável…nunca escondi isso de vocês, #supersincera.

Influenciada pela convivência com sua filha de cinco anos, Vanessa Seward jogou nas passarelas uma coleção menininha/mulher. Cocktail dresses, macaquinhos, babados, laços, laços e laços…e um único comprimento: o curtíssimo.  Meu espírito ninfeta-quase-balzaca adorou!


CÉLINE: Como sempre, a Céline pesou no minimalismo e trouxe uma coleção que pra variar privilegia o corte, com linhas simples e proporções renovadas. O que deu pra perceber foi a presença de peças sofisticadas, elegantes e com texturas diferenciadas. O branco reinou soberano, e a marca bateu forte nas camisas, blusas, túnicas e caftãs.(acho o caftã a cara da riqueza!)

BALMAIN: O ombro Didi Mocó foi reduzido, fato. Agora tá um ombrinho meio Alcimar Monteiro. Mas a linha sexy-rock/punk-style foi mantida, e lá chegam as tachas, o jeans destroyed /sujinho, as jaquetas biker, as leggings metálicas, os shortinhos e os corsets. Reparem nos pés das modelos, o amado scarpin apareceu em (quase)todas! Falando dos comprimentos, imperaram calças cropped, shorts curtíssimos, e mini saias…piriguético, non?

CHANEL/YVES SAINT-LAURENT: O que posso falar do combo Chanel/YSL…A Chanel desfilou uma coleção fina de doer: cenário que reproduzia os jardins de Versaillers, e a atmosfera foi aquela do filme “Last Year at Mariembad”. O resultado? Uma coleção rica em contrastes, mágica, marcada por rendas, chiffons, pêlos, e muito, mas muito cinza, preto, e branco. Os Tailleurs estiveram nas passarelas, e o comprimento curtinho, que pensei que não ia aparecer, deu seu ar da graça. Já YSL mostrou uma coleção bem colorida, que agradou àqueles que de há muito reclamavam da austeridade excessiva das pelas desfiladas. Também em YSL a feminilidade aflorou, mas de uma globetrotter, de um mulherão, nem tanto ladylike, mas muito mais aquela mulher das capas de revista dos anos 90. Claudia Schiffer, ícone fashion daquela época, deve ter amado! (Posso levar aquele macacão preto pra casa?)

VIONNET/LANVIN: Pense em um combo bom de falar! A Vionnet usou e abusou das formas geométricas, dos decotes escandalosos, e jogou uma florzinha aqui, uma transparência ali, e tudo deu certo; simplesmente amei a coleção(e a amiga Leighton pelo visto também, já que usou o primeiro vestidinho da esquerda pra direita bem recentemente). Já a Lanvin(queridinha de Blake Lively, que também usou uma das peças dia desses, tá no blog também) desfilou uma coleção que bateu forte na feminilidade, que mostrou a natureza feminina, com seus defeitos e qualidades. Formas fluidas, que acompanham o corpo, a simplicidade sofisticada, o contraste de estilos, tornou a Lanvin uma das coleções mais ricas – em termos de criação – que pôde ser vista na semana de moda em Paris. Os comprimentos foram do midi ao maxi, representando as múltiplas facetas que podem ser assumidas pela mulher contemporânea, e toda sua efemeridade. Perfeita!

Amores, fico por aqui(pois já é tarde e amanhã ainda é muito trabalho à vista), e vejo vocês na segunda parte do review de Paris.


Flashes Fashionistas: o que rolou por esses dias

Quando fiz o post em primeira mão do People’s Choice Awards 2011, teve leitora que sentiu falta da algumas atrizes, que não coloquei naquela oportunidade. Na verdade, separei algumas das fotos colhidas para jogar aqui, nos Flashes Fashionistas, pra gente poder falar com calma sobre cada uma. Melhor, não é não?

Sigam-me as queridas leitoras!

E eu me pergunto: Por que coloquei a Miranda Cosgrove mesmo? Vestidinho todo trabalhado no brilho, mas a moça é tão sem graça que nem realçou…triste. Mas, do lado dela, e logo abaixo, Alyson e Taylor(de Mark & James) foram de pretinho e ficaram super fofas… não diria estonteantes, porque realmente são looks OK, pra sair linda, mas não para chamar tanta atenção. O de Kristen(de Reem Acra), que a leitora indagou no post anterior, era bapho, mas digo e repito, ela sempre dá um jeito de borrar o look, seja com a postura, seja com o sorrisinho blasé que ela sempre dá quando vê flashes; tá boa de encarar o fato de que ela é celebridade e ser um pouquinho educada (não digo nem simpática).

Já essas duas daí de cima merecem salva de palmas! Kaley, porque se redimiu do guarda-roupas periguete que ela tinha e vestiu dois looks lindos de viver; e Drew, porque fechou num vestido minimalista Jil Sander(que gerou controvérsias pela blogosfera, mas que eu gostei pelo conceito) e blush melancia – que ela insiste em usar – ou seja, vai pegar mais cedo ou mais tarde.

E essa dupla, ah essa dupla: uma ganhou meu coração por exibir um look greek-chic(por French Connection), e a outra por trazer um look super bem bolado para usar em ocasiões não tão formais; inseri a Leighton(de Vionnet) aqui nesse post justamente porque ela deixou a desejar no quesito red carpet, porém arrasou para compor o visual em outras ocasiões não tão glamurosas. Me digam se tá ou não tá um look pra missa de formatura?

Agora, vamos comentar que é a parte boa de postar! Prontas? 1, 2, meia e já!