Pensamento do domingo: Seja água, meu amigo!

Acho que a grande diferença entre fazer uma atividade física qualquer, e praticar alguma arte marcial, é porque nesta última a todo tempo se aprende uma lição; não um sermão, mas cada atitude ali não é sem propósito, passa uma mensagem. Os mestres/senseis sempre têm algo a acrescentar, e bem por isso muita gente que pratica uma arte marcial tem como referencial Bruce Lee, que levou para o cinema a filosofia do kung fu, conquistando milhares de adeptos. E não foi do nada, nos filmes de Bruce ele sempre procurou passar uma mensagem certamente aprendida com seus mestres, que por sua vez já trouxeram de seus mestres…é sempre assim, os ensinamentos atravessam gerações.

E eu, que não vivi a era Bruce, até hoje tenho em mente um ensinamento dele, que aconselhava que fôssemos como água, esvaziássemos a mente, e procurássemos nos adequar às adversidades da vida. Ser água, enfim.

Não achei uma versão traduzida para o português, mas o vídeo abaixo tem legenda em espanhol. Vale ver cada segundo de refletir:

Pra levar pra vida inteira.

Vídeo de sábado: curta The Dress(por David Anthony Parkinson)

Muitas de vocês só devem conhecer a etapa final de um processo de produção de uma peça de roupa. Tudo chega mastigadinho, quase empurrado goela abaixo. A sociedade atual acabou deixando o artesanal de lado, a coisa feita à mão, e acabou se rendendo ao império das fast-fashion, que fornecem tendências mastigadas e impessoais em suas multi-araras espalhadas mundo afora. O capitalismo se uniformizou, e aquela coisa deliciosa de vestir uma peça feita pra você, unicamente, acabou meio de lado, deixada num cantinho…

Eu, pelo contrário, cresci na outra margem do rio, e quando mergulhei, continuei nadando da em sentido oposto, resistindo firmemente à correnteza. Acompanhei, desde muito nova, todo o processo de concepção de uma peça de roupa; aqui em casa, as conversas com as clientes, a procura do modelo nas revistas, a anotação das medidas, o tal do “ponto de prova”, e por fim, a peça finalizada, sempre foram – e continuam sendo – meu dia-a-dia ao lado da minha tia. E o que parece banal para muitos, me parece magia, ou qualquer outra coisa extraordinária que valha. Aprendi muito, inclusive a olhar um tecido e na mesma hora imaginar a peça pronta, e por isso, talvez, eu seja a companhia ideal de titia em suas compras de tecido e aviamentos desde meus 11, 12 anos. Já é intrínseco, natural, e espontâneo.

Ao que me parece não estou só, tenho visto uma galera desbravando o mundo da costura. Um estilista que não põe a mão na massa, não merece ser estilista. Tem que dominar a cadeia de produção, tem que costurar. Como saberia o caimento de uma peça desenhada se não passasse pela parte empírica da coisa?

E bem por isso eu super me identifiquei com o vídeo The Dress, de David Parkinson, que acabei achando no Vimeo ainda agora. O curta mostra bem esse caminho percorrido entre idealizar uma peça, e finalmente tê-la em mãos. Muito bacana:

Fascinante, né? Agora imaginem isso acontecendo com vocês? Toda vida que faço uma peça de roupa pra mim, que provo, e caio na real que saiu de minhas mãos, não dá pra descrever, é sublime essa sensação. Coisas de quem viu a vida inteira sonhos se transformando em realidade bem ali, a um palmo de distância…

Sexta-feira fofa: Joshua Radin

Tô ficando repetitiva, né? Mas não dá, Joshua Radin é o rei do meu player, baixei todos os álbuns dele e toda manhã, ouço uma música dele pra começaro dia bem (e a música em questão é Brand New Day).

O vídeo de hoje, além de ter a letra fofa, tem animação fofa, e melodia fofa. Tenho uma forte impressão de que essa do Joshua é a eleita pra o vídeo do meu casamento, não aqueles vídeos gigantescos bem brega, em que o tio se passa de beber, os colegas se penduram no lustre, mas os de duração máxima de quatro minutos, bem “americanalhados”(tipo esse AQUI):

Fofura total!

Minha nova paixão musical: Joshua Radin

No vídeo dessa terça, apresento-lhes minha nova paixão musical: um rapazinho com voz calma, no estilo do Jack Johnson, chamado Joshua Radin.

Nessa música – uma das melhores, e que não consigo parar de escutar – ele joga na voz e na melodia uma carga tão melancólica, e ao mesmo tempo suave, sutil, que faz a gente se arrepiar, e mergulhar nesse clima criado:

Link do canal Vimeo da Paste Magazine.

Sexta-feira musical:Belle and Sebastian

Se tem uma banda que eu considero top fofura, mesmo que as letras sejam fortes por vezes, é Belle and Sebastian.É uma atmosfera intimista, de quem susurra no ouvido da gente…curto mesmo!

E pra fechar a semana, queria compartilhar com vocês esse vídeo, da música “Crash” deles. Pra quem não conhece, serve de incentivo a ouvir mais músicas do B&S:

Pra fechar a semana com música boa.

Vídeo da semana: La maison en petite cubes

Hoje não tem tutorial, hoje não tem resenha de produtos. Mas tem um curta, que me fez chorar do começo ao fim, sem sequer uma palavra dita.

La maison en petite cubes” é um curta premiado de Kunio Kato, que diz muita coisa sem dizer nada: a geometria das imagens, a carga dramática da vida do velhinho/protagonista sendo contada a cada cubinho montado, a tristeza de ver o lar sendo engolido pela água em virtude do aquecimento global, que derreteu geleiras e inundou ilhas asiáticas…vale muito a pena ver!

Brigada irmãzinha por ter me apresentado essa coisa fofinha de se assistir:

E para quem pode ver pelo Youtube, aqui ó:

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=jUVhV1px6js[/youtube]

Pra começar a terça refletindo sobre várias coisas.

Páginas12345