Do dia: Vestidinho preto (indefectível)

Que o tubinho preto é um clássico, todo mundo sabe. Eu, particularmente, acho muito bacana a modelagem mais minimalista, manguinha, pertinho do joelho, retinho…porém, pra não ficar na mesmice, acho legal brincar com os tecidos, misturar ponto roma com um cirré(tecido encerado que dá uma aparência de couro), por exemplo. Essa é exatamente a ideia desse tubinho: todo preto, porém com recortes – que afinam e alongam ao mesmo tempo – e detalhes em cirré. Obra de Tia Alice, que tem vendido como água esses vestidinhos, não só em preto, mas em combinação de duas cores também(quem me acompanha no Insta já viu um bege com marrom).

Vestido – Tia Alice (informações no e-mail [email protected] ou por aqui pelo blog mesmo)

Colar – Forever 21

Anel – Forever 21

Sixties on the run!

Ois!

Sabe em qual categoria eu mais gosto de postar? Acertou quem disse “Tendência”. Mas não porque eu goste de mostrar pras amigas o que rola de novo, mas principalmente o que voltou, ou o que nunca saiu de moda.

Ora, a moda é cíclica: já falei aqui dos anos 40, fui até o minimalismo dos anos 90, e voltei na primavera/verão 2011 com o estilo ladylike, que imperou nos anos 50.

E não se esgota por aí…sabe quem apareceu nesta temporada de muito calor? Os anos sessenta!


Sim, as formas tubulares, as modelagens evasês, as cigarretes, e as minissaias voltaram fortes nesta temporada.

Antes, peço licença às guéls para contextualizar a moda sessentinha, até mesmo porque um pouquinho de história não faz mal a ninguém, okey?

Os anos 60 foram dos jovens, dos leitores de On The Road(Jack Kerouac). Época marcada pela rebeldia, houve até quem apelidasse os jovens dos anos 60: the beat generation.

Os valores americanos foram contestados, a paz se tornou busca constante, moda e comportamento se fundiram de maneira harmônica, e eis que surge uma diversidade sem fim, respirava-se o novo. Os pais que ficassem em casa.

No quesito moda,  várias peças representaram os anos 60. A minissaia, idealizada pela inglesa Mary Quant, foi uma delas. Sem falar nas criações de André Courrèges: linhas retas, botas brancas, looks futuristas, roupas metálicas e fluorescentes são emblemáticas(alow, Gaga?).

E que dizer dos tubinhos com estampas psicodélicas, ou grafismos inspirados em obras de arte? 60’s total!

Porém, pra mim, quando se fala em anos 60 me vem logo à mente nossa matriz fashionista, Twiggy. Não disse que as peças que ela usava até hoje fazem sucesso?

E fazem tanto que as passarelas do Rio e de São Paulo fizeram questão de trazer os anos 60 para nossa primavera/verão 2011: a silhueta, clean, a funcionalidade dos tubinhos, a fusão com o minimalismo dos anos 90, nos fazem querer sair por aí imediatamente usando sainhas evasê, sapatilhas, oxfords, e vestidinhos.

Peças-chave: Sapatilhas com bico fino ou quadrado, tops retos, calças cigarretes, saias evasês e tubinhos.

E aquela perguntinha de sempre: Como usar? Fácil, o ideal é não ficar caricata, lançando mão daquele bom e velho hi-lo.

Abaixo, dei um toque nineties ao look, minimalista:

E aí, prontas para os anos 60?