Delírios Onomatopaicos: dos quadrinhos para a moda!

Me parece que a galera anda bebendo pesado na fonte da pop art: cores explosivas, impressos, colagens, e agora as camisetas/tricôs/moletons com onomatopéias vêm dominando as ruas.

Essa nova onda começou com o desfile de Phillip Lim(Pre-Fall 2012), e de lá pra cá os “Pow!”,  “K-Pow!”, “Crash!”, “Boom!”, e coisinhas do tipo invadiram as ruas. Se eu curti? Muito! Amo camiseta, é peça-chave do meu guarda-roupas, e se ela parece saída de um cartoon qualquer, então, nem se fala! Já tô querendo, e muito, mas sem preço salgado, por favor! Já à caça nas Riachuelos, e Leaders da vida!

Abaixo, separei alguns looks onomatopaicos pra vocês sentirem qual que é o lance:

Foto: reprodução

Do domingo: quem precisa de Zara quando se tem uma costureira mara?

Sim, como vocês, eu também desejei um skort (um mix de short com saia, vulgo short-saia hahaha) da Zara. Diferente de algumas, não disponho de R$ 200,00 (ou mais, nem sei quanto custa no Brasil) para pagar por um skort. A solução? Recorrer à titia, a idealizadora de meus devaneios, sempre.

Acho que as fotos já dizem tudo, mas como adoro ser repetitiva, o resultado é sempre fantástico, como sempre, coisas de tia costureira baphônica:

fotos: Jefferson Braga

Deu pra notar que a composição tem uma pegada navy, né?  Aliás, eu ando meio nessa linha por esses dias, sei que foi que me deu não…

Blazer – Renner

Skort – Tia Alice (ainda não sei o preço, mas quando souber venho contar. Qualquer info adicional em [email protected], ou comigo)

Sapatos – Beira Rio

Bolsa – Ebay

Colar – Forever 21

Óculos – Bleu Dame

Brinco de espinha de peixe – Danilo Bijuterias

Ela voltou! A jardineira, símbolo da moda confortável, volta à cena da moda com tudo!

Inicialmente desenvolvida para ser uniforme de trabalho, a jardineira rapidamente ocupou seu lugarzinho na moda. Alguém teve a feliz ideia de usar aquela vestimenta, típica de mecânicos e trabalhadores de fábricas, para sair. E o efeito viralizou no mundo, e a jardineira até hoje nunca saiu dos armários das pessoas que prezam pelo conforto e praticidade que a peça traz.

Me lembro muito bem, há uns 16, 17 anos, minha neura por uma jardineira; culpa da VJ Tati Ivanovici, adepta da moda streetwear, que apresentava os programas na emetevê de jardineira oversized, top curto, e tênis de skatista. Caninguei tanto, que acabei ganhando uma, que usei até ficar velhinha. E de lá pra cá, nunca mais meu armário foi ocupado por outra pecinha dessas…

Mas, peraí, dá tempo! Vou aproveitar essa volta triunfal das jardineiras no circuito de estilo mundial para adquirir uma pra mim, a precinhos camaradas! Boto fé nas Riachuelos, e Marisas da vida, e vocês?

Sobre como usar a jardineira, acho muito chato esse lance de ficar ditando regras. O bom senso resolve tudo em nossa vida, então, basta saber a modelagem ideal para o seu tipo de corpo, e adequar o uso da peça à ocasião. Exemplo? Se for para passear, e tiver com o corpo tudo em cima, vai topzinho por baixo; se o trabalho permite um traje mais descolado, dá pra colocar uma camisa por baixo da jardineira e criar um look descontraído. Acessórios farão sua parte, ajudando nas composições desejadas.

Tá, tá, muita teoria, mas cadê a prática, Rose? Calma, meninas, selecionei muitas imagens mostrando como a gente pode chamar a jardineirinha de volta para nossos armários de uma maneira digna, e estilosa!

Voilá!

Peça-desejo total.

Da série animal print: Deu zebra!

Olha, acho que o único lugar onde “dar zebra” é bom é no mundo da moda…não é que tem meninas aderindo ao animal print, mas do seu jeito?

Vejamos o exemplo de Emmanuelle Alt, o extremo oposto de Dello Russo:

Pois é, quando a gente fala de animal print, claro que vem à mente a estampa mais emblemática do estilo, a de oncinha(ou leopardo, como queiram). Ocorre que dentro do universo animalesco-fashionista, girafas, cobras e zebrinhas vêm crescendo e aparecendo.

Não é de hoje que venho observado que os animais listradinhos e fofos vêm aparecendo no mundo da moda; já vi em desfiles da Balmain, e da Blumarine.; também já vi algumas celebs por aí dando pinta com alguma pecinha z-bra print, ou até mesmo um detalhe, como uma clutch, uma pashmina, e até platform wedges.

Tori e SJP adotaram…

Contudo, tem que ter muito cuidado ao usar alguma peça com estampa de zebra. Sim, minhas amigas, porque se leopard print tem uma alta dose peruística, z-bra print também tem. O ideal é sempre quebrar o piriguetismo com uma peça extrema oposta.

Vamos a exemplos descritivos: Regata de zebra, combina com blazer estruturado, calça cenoura, ou até calça skinny(se a regata for soltinha do corpo, tiver caimento); vestido de zebra, com cardigan, spencer ou blazer; shorts de zebra, com a parte de cima mais comportada; legging de zebra, com camisa branca básica, blazer, podrinhas e tudo que solte do corpo, e por aí vai…só não vale fazer combo top-tudo-bottom-tudo, fica over demais.

E os exemplos práticos? Direto das streetstylers do lookbook, aí estão eles!

Mas, agora, quero saber de vocês: vão aderir, ou preferem ficar no leopard print?