Testei: Tea Tree Essential Oil, Paul Mitchell
Em: Beleza

teatreeab

Quem me acompanha por aqui há um tempinho sabe que amo produtinhos naturais de beleza; pelo snap (devaneiosf, sigam, please!!!), sempre mostro produtos naturais, como desodorantes sem alumínio, xampus sem parabenos ou silicones, e a mais recente novidade (mostrada semana passada também no snap) é esse Óleo de Melaleuca, ou Tea Tree Oil, de Paul Mitchell, que comprei numa promoção no Sacolão.

Inicialmente, quando li o rótulo, pensei em adquirir só para utilizar como um sérum antes de dormir, no rosto, pescoço e colo, mas o rol de propriedades da Melaleuca é enorme: ele é fungicida, cicatrizante, antisséptico, imunoestimulante, inseticida, e bactericida, e há quem enumere mais de 80 propriedades do produto, pasmem!

descriçãoteatree

composição

Só pra vocês terem uma ideia de como é poderoso esse óleo essencial, vou enumerar 9 usos:

  • Tratamento da Acne: pode ser aplicado sobre a acne(1 gota), funcionando como um secativo, ou pode ser adicionado ao sabonete habitual(20-30 gotas) para lavagem diária da pele.
  • Tratamento para calos: basta massagear 5 gotas do óleo essencial de Tea Tree em 1 colher de sopa de óleo de semente de uva ou de coco extravirgem. Repita duas vezes por dia. Quando os calos tornarem-se macios, utilize pinças removê-los e aplique algumas gotas de óleo de Tea Tree e cubra com gaze.
  • Tratamento para caspa e seborréia: basta acrescentar  4 gotas do óleo de Tea Tree em 200 ml de qualquer shampoo, de preferência sem parabenos ou silicones. Ou aplique algumas gotas do óleo no couro cabeludo e massageie após a lavagem.
  • Para feridas Infeccionadas: coloque o óleo em água quente, e exponha o machucado a esse vapor.  Dá também para diluir 1 gota de Tea Tree em 1 xícara de água e lavar a área infectada 1-2 vezes ao dia, conforme necessário.
  • Amenizar o dolorido do pós-treino: antes de dormir, massageie a área dolorida com Tea Tree.
  • Tratamento de pêlos encravados: adicionei 1-2 gotas do óleo de Tea Tree diretamente sobre a área. Repita a cada 2 horas, ou até que os sinais de infecção desapareçam.
  • Queimaduras de sol: misture 1 colher de sopa de óleo de coco a uma gota de óleo de Tea Tree, e 1 gota de óleo de Lavanda e aplique suavemente nas áreas queimadas pelo sol.
  • Repelente: adicione 15 gotas do óleo de Tea Tree a um litro de água e usar como repelente de insetos.
  • Sistema Imunológico: Para estimular o mesmo, difunda o óleo de Tea Tree no ar regularmente, ou massageie 1 gota do óleo de Tea Tree na sola dos pés para aumentar a sua resposta imune.

Como dito lá no começo do post, uso o Tea Tree toda noite, antes de dormir, como sérum no rosto, pescoço e colo(duas gotinhas só), e tenho notado tanto uma boa resposta imunológica (nada de alergias, sinusite, gripe, faz tempo que não tenho nada disso), quanto mudança no aspecto da minha pele, que tá bem mais macia, saudável; quase não tenho tido acne. Além disso, meu sono vem vindo com bastante facilidade, o que provavelmente se deve ao combo magnésio + Tea Tree! Ah, o cheirinho do Tea Tree também é ótimo!

Então, fica aqui a dica do óleo de melaleuca, que pode ser encontrado tanto em lojas de produtos de beleza, quanto de produtos naturais, como o Mundo Verde. Realmente, foi uma das minhas melhores aquisições dos últimos tempos.

Então, galera leitora que tá com a imunidade meio capenga, se jogue na compra compra! Principalmente pra turma dos alérgicos, e da sinusite, é um remédio natural potente!

 assinatura2

Testei: Sweet Sweat Workout Enhacer

absweetsweat

 

Eita que hoje vou falar sobre um dos produtos que vocês mais me pediram pra resenhar!! Vamos conversar um pouco sobre o Sweet Sweat Workout Enhacer?

O Sweet Sweat, consoante descrição da marca, é um termogênico em gel, sem contra indicações (exceto quem tem alergia a algo da composição, ou problemas coronarianos, etc…consultem um angiologista, endocrinologista, ou dermato antes de usar) que promete potencializar a queima de calorias nas regiões onde é aplicado, através da vasodilatação. Segundo a marca, deve ser usado de preferência enquanto estamos nos exercitando.

O produto promete ainda:

• Aumentar a circulação na região em que se aplica o produto;

• Deixar a pele mais fina;

• Retirar o excesso de água na região aplicada (aspecto de inchaço);

• Estimular suas glândulas sudoríparas para liberar toxinas acumuladas;

• Ajudar contra lesões.

Muito embora o fabricante fale que ele tem textura em gel, eu acho mais com jeito de creme, um creme leve, mas ainda um creme:

Ssweatzoom

texturasweetsweat

Antes de falar o que penso do produto, importante observar a composição, principalmente porque algum de vocês pode ter reação alérgica a algum deles, mas, pelo que vejo, os ingredientes são tranquilos, basicamente a pasta de petrolato (tipo a da vaselina), e muitos compostos naturais, como óleo de coco, açaí, romã, jojoba, vitamina E. Ou seja, nada pesado:

Ssweatcomposição

Mas essa mistureba funciona? Primeiro, vamos esclarecer: gente, não existe milagre, não existe produto que você passe hoje, e amanhã esteja seca, não tem. Porém, tenho usado o Sweet Sweat há alguns meses (8, 10 meses), e posso dizer que, aliado ao exercício físico, e reeducação alimentar, ele potencializa SIM o metabolismo nas áreas onde é aplicado. Passei minha vida toda tentando resolver a bronca da gordurinha na lateral da cintura (aquela que marca com calça baixa, calcinha, que faz duas cinturas na gente hahaha), e só com esse produto consegui afinar. Ele de fato faz a gente suar muito na região aplicada, e se botar a cinta de neoprene (que eles recomendam que a gente use sempre, mas eu só uso quando faço atividade física em casa) parece que a gente saiu de uma sauna. O produto é punk!

CintaSweetSweat

Portanto, de forma visível, e enquanto consumidora leiga na parte técnica, percebi que o produto funcionou comigo. Da descrição deles, posso apontar com certeza que o Sweet Sweat, em mim: fez suar mais que o normal, reduziu efetivamente medidas, e no dia seguinte ao uso do produto fica parecendo que fiz drenagem, o que me levanta a suspeita de que ele também elimina toxinas da região em que foi aplicado.

Trocando em miúdos: SUPER RECOMENDO!

Agora vem a parte ruim: o preço. O Sweet Sweat no Brasil custa em torno de 200 reais, desse meu, em forma de bastão. Nos EUA, em torno de 33 dólares, uns 90 reais mais barato que aqui. O pote, com maior quantidade que o bastão, custa 49 dólares fora, e deve durar horrores, porque meu bastão tá durando, magina um potão de produto!

Pra quem se interessou e quer adquirir no Brasil, tem o site da marca AQUI, e tem um amigo meu no instagram @mundosuplementtos que vende num preço bem honesto, e entrega no país todo. Lá fora, tem a RICKYSNYC, e a loja da marca, só clicar AQUI pra acessar; vale a pena pedir pra uma amiga trazer, ou se você tiver fora, compre pra não se arrepender!

Bom, dado meu relato sobre o Sweet Sweat quero saber de vocês se já usaram, e sentiram diferença, comentários abertos, valendo!

Beijos,

Rose.

Testei: Anthelios Airlicium fps 70, da La Roche-Posay

ABanthelios

Natal é uma cidade quente. Muito quente. Viver por aqui sem passar um BB cream, ou um protetor solar com fator alto pode nos criar um probleminha chamado câncer de pele. A questão é que sou chata, poucos são os produtos com proteção solar que me agradam, não curto aquela textura melequenta que os bloqueadores/protetores deixam na pele, e também não sou fã daquele cheiro forte de protetor o dia todo; abusa, de verdade. E aí que, não achando nada legal nos últimos anos, acabei trocando o tradicional protetor por BB cream, inclusive pela praticidade de reunir muitos benefícios em um só produto.

Porém, eis que apareceu no Brasil o bloqueador em gel-creme da La Roche-Posay, o Anthelios Airlicium fps 70, e fiquei doida pra testar, porque já tinha recebido uma amostrinha do produto com fps 30, e me interessei em usar de forma mais continuada para dar uma opinião sincera pra vocês.

Então, sentem que lá vem resenha!

O QUE PROMETE: segundo o fabricante, o Anthelios Airlicium fornece proteção solar muito alta (fps 70 PPD 35), controle inteligente da oleosidade e umidade, redução imediata de poros, e sensação de pele limpa por 9 horas.

COMPOSIÇÃO: abaixo fotografei a composição pra vocês , e adianto uma questão importante: La Roche-Posay, antenada com estudos que condenam o uso de 4-mbc (4-metil benzilideno cânfora) nos filtros solares, por desregular a tireóide (aumentando a produção de estrogênio acima do normal, fazendo a gente engordar, fazendo surgir celulites, e nos homens favorecendo o aparecimento de tecidos mamários, e arredondamento das nádegas), e ser uma substância cancerígena, descartou o componente, e usa em sua formulação o Tinosorb (quimicamente, composto de Metileno Bis-Benzoriazolil Tetramethylbutilfenol – Tinosorb M, e Bis-Etilhexiloxifenol Metoxiphenil Triazine – Tinosorb S), componente seguro para uso em filtro solar, extraído de pesquisas do Conselho Internacional de Cosmética. O Tinosorb M, utilizado na formulação do Anthelios Airlicium, é um filtro que cumpre um duplo papel, o de absorver energia, e o de refleti-la. Além desse ponto em favor do gel-creme aqui resenhado, o filtro em sua propaganda esclarece ao consumidor o seu PPD (fator 35, excelente!), que protege a pele contra os raios UVA, que considero até mais nocivos que os UVB.

ANTHcompos

TEXTURA: como mostra a foto abaixo, é um gel-creme, um pouco espesso olhando assim, mas quando aplicado, ele tem uma espalhabilidade boa, e fica sequinho na pele.

ANTHtextur

CUMPRE O QUE PROMETE?

Vamos lá: fazer teste de duração de filtro solar em pessoas de pele mista como eu no nordeste é impossível. Ele não dura 9 horas na minha pele nem a pau, mas sejamos sensatas, aqui nesse calor, e com a pele que eu tenho, não dá pra passar 9 horas sem lavar, passar um tônico, e reaplicar o filtro, vai ficar uma fábrica de óleo de fritar pastel, não é problema pra mim reaplicar sempre que lavar o rosto, não mesmo.

Sobre diminuir os poros não vi essa diferença, tenho uns poros horríveis de abertos, e eles não ficaram menores, mas pra isso existe outro produtinho chamado primer, e um ritual chamado “exfoliação a cada 7 dias” pra dar uma diminuída nos poros.

Quanto à proteção ele funciona SUPER, fiz o teste de ficar no sol com ele um tempinho e minha pele não queimou de jeito nenhum onde eu apliquei. Também fiz teste na praia e não precisei reaplicar nenhuma vez. A única coisa que me incomoda um pouco é que o cheirinho de filtro, apesar de ser BEEEM mais fraco que outros produtos que já teste ainda tá por lá, mas isso não desqualificada o excelente produto que a La Roche colocou no mercado pra gente.

Resumindo: pra mim, ele cumpriu em boa parte o que promete. Pra turma que tem pele normal, e vive em regiões onde o clima é agradável, ele pode ser quase cem por cento satisfatório, inclusive.

RECOMENDARIA? CLARO QUE SIM! Só em me oferecer um fps e PPD alto, e não possuir em sua formulação uma substância comprovadamente nociva à minha saúde, esse filtro solar merece ser recomendado. Vão na fé porque o produto é bom, talvez o melhor do mercado brasileiro.

Pra quem se interessou e gostaria de experimentar o produto, ele pode ser facilmente encontrado em farmácias, e custa aproximadamente 70 reais. Dura horrores, porque uma bolinha do diâmetro de uma pérola média já é suficiente pra cobrir todo o rosto.

Quem já testou, comenta aí o que achou, pra deixar nosso post bem rico e informativo prozamigue e prazamigue, tá?!!

Beijos!

 

Testei: Vinagre de Cabelo, Yves Rocher
Em: Beleza

Quem me acompanha pelo Instagram (devaneiosfashion), ou snapchat (devaneiosf) sabe que mudei minha rotina capilar, e tem dado MUITO certo. Essa rotina faz parte de uma mudança de estilo de vida que resolvi fazer, e que se resume basicamente a viver mais leve, e mais natural. Não, não virei hippie e passei a vender bijuterias na praia (não que isso não seja legal), mas resolvi dar uma aliviada na minha alimentação (o que já vinha fazendo há uns 4 anos), e restringir alguns compostos dos produtos industrializados que uso na rotina de beleza.

Quando o assunto tem a ver com as madeixas, pesquisando sobre no poo e low poo (fiz mega post no blog, quem quiser dar uma olhada clica AQUI), achei uma boa lavar os cabelos com xampus sem silicones e parabenos (no máximo duas vezes na semana), e assim venho fazendo. Para desembaraçar os fios, comprei o vinagre de cabelo da Yves Rocher (o link do site da marca tá AQUI), esse da foto abaixo:

vinahair1

O que é esse produto? Como o próprio nome diz, é um vinagre, e tem a promessa de restaurar o brilho natural do cabelo, deixando-o macio e solto.

E o uso, como é? Quando eu lavo o cabelo, geralmente duas vezes por semana (nos outros dias em que preciso molhar, eu uso Yamasterol, e vou enrolando também com xampu seco, tudo pra evitar o efeito detergente do xampu), aplico logo após a retirada dele o vinagre, que coloquei num borrifador pra evitar desperdício e aplicar ao longo dos fios, massageio, faço o enxagüe, e pronto. É um condicionador, só que não tem silicone nem parabenos.

vinahair2

vinehair3

vinahair4

Se funciona? Muito!!! Depois que passei a ter essa nova rotina, senti que meu cabelo ficou com um brilho absurdo (mostrei no snap como ele tá com brilho, não de oleosidade, mas de vitalidade), o cabelo tá mais cheio, e as pontas, muito hidratadas. O vinagre da Yves Rocher é muito cheiroso, tem aroma de cereja, e vale muito a compra. No Brasil, a marca vende online, e pelo preço de R$ 54,00, mais ou menos. Pra quem vai viajar pra fora, na França, por exemplo, ele tá custando 5 euros, vale a compra demais!

Mas, se você, amiga, não tá podendo gastar essa grana toda com o vinagre da YR, tenho uma dica: a receita vinagre de maçã orgânico + água (na proporção de 4 partes de água pra uma de vinagre) + umas gotinhas de essência de baunilha, ou até própolis, rende um excelente condicionador caseiro, e dá pra ter uma idéia do que o enxagüe com vinagre pode fazer por seus fios.  Vale o teste antes da compra, até pra saber como seus fios se comportam.

Resuminho da ópera: indico demais o vinagre Yves Rocher, assim como outros produtos da marca, porque amei a filosofia deles, de entregar ao consumidor tratamentos de beleza usando produtos naturais.

Beijos!!

A saga da escolha da base ideal para o make do Grande Dia

3BASES

Durante os preparativos do casamento inteiro, duas coisas mereceram ser objeto de amplas pesquisas: a compra do vestido, e a escolha do combo make-cabelo. Considero uma boa maquiagem extremamente importante, porque é ela que vai ficar eternizada nas fotos e no vídeo do casamento.

E o post de hoje é justamente sobre make, na verdade, sobre um item que me preocupa bastante quando o assunto é maquiagem, a escolha da base. E por qual razão? Tenho a impressão de que uma pele bem preparada é tuuuuuudo na maquiagem, a noiva tem que estar com uma pele legal no dia (então, meninas, nada de passar fome, ou se estressar demais, senão o presente é aquele espinha de véspera, ou a olheira escrota que insiste em dar seu ar da graça, por exemplo), e além disso a mesma pele deve ser bem preparada pra receber as camadas de maquiagem.

Então, se o assunto é pele linda, a maquiagem tem que contar com uma base bacana que atenda às especificidades do casamento. No meu caso queria uma base natural, mas que fotografasse bem, e filmasse bem em HD. Além disso, não queria cobertura “reboco”, sempre achei importante manter a “essência” da nossa pele para não parecer uma boneca de cêra, sem poros, sem nada. Pronto, sabendo desses desejos, comecei a pesquisar, e cheguei à 3 bases: a da MUFE HD, a Maestro, de Giorgio Armani, e a Diorskin Airflash. Comprei as 3, porque né, colecionadora de make tem dessas coisas…mas só abri uma até agora, a escolhida, que conto pra vocês mais na frente; antes, quero falar um tiquinho sobre o trio finalista, e como cheguei à base do casório.

Maestro

A Maestro, de Giorgio Armani, comprei na Nordstrom e pedi pra uma amiga BFzona trazer dos EUA, naquele esquema de entregar no hotel e tals. Essa base tem cobertura fininha, é bem fluida porque é composta de óleos phynos que se misturam quando do toque na pele (fusion), coisa tecnológica mesmo. Porém, tinha um defeitinho: não achei que ela fotografasse/filmasse bem, e como minha pele é oleosa, e estaríamos no verão, não botei fé que ela segurasse a bronca a festa inteira. Eliminada.

MUFE

A base da Make Up For Ever que eu adquiri foi a Invisible Cover Foundation, com cobertura que vai de média a total, e promete cobrir, sem falhas, as imperfeições da pele, ao mesmo tempo que permanece invisível na tela da tv e na vida real. Tem longa duração, e cria um efeito de foco leve, que dá aquele tchan na hora dos flashes, por exemplo. É base de red carpet, portanto, noivas, formandas e debutantes, essa é “a base”. Só não me joguei nela porque a química rolou com outra, foi amor à primeira passada!

diorskinair

Tava tudo legal comigo e minha MUFE, ATÉ QUE surgiu uma nova paixão: a Diorskin Airflash, da Dior. Minha gente, vocês não sabem o que é essa base, ela é simplesmente PERFEITA!!!! A Dior Airflash tem textura ultrafina, sistema de microdifusão, e cobertura média. O jeito de passar é no estilo airbrush, em spray, fotografa e filma lindamente. Pedi pra meu maquiador (Jackson Smith) usá-la na minha make e ele se apaixonou, achou a textura maravilhosa, fina, leve…a pele fica aveludada, mate, uniformizada, dispensa até pó. Pesquisei que é muito boa também para peles maduras, já que não fica “reboco”. Ah, como sou quase transparente, minha cor foi a 200, light beige.

E sobre o efeito nas fotos? Vou mostrar uma foto profissa (por Junior Barreto), e uma tirada por Jackson assim que ele terminou meu make e cabelo, sem photoshop sem nada, pra vocês verem como essa base é incrível:

76

Iphone_Backup_Janeiro2014 516

 

Notaram como ela ficou uniforme? Ela sai da parte da mandíbula pra o pescoço e não fica nenhuma linha demarcatória, a cor eu acertei em cheio! Linda, né? Pra quem ficou interessada, sugiro pesquisar no exterior, ou em freeshops, porque no Brasil é bem carinha(vende na Sephora), e lá fora a gente consegue por menos da metade do valor que ela é vendida por aqui.

 

assinatura2

Testei: protetor solar Bioré Aqua rich watery mousse SPF 50 PA+++

Bioré_UV

 

Todo que me conhece sabe que sou uma recente amante dos produtos asiáticos. Começou com o BB cream, passou pelos cleansing oils, e agora resolvi testar o famoso protetor solar da Bioré, marca japonesa do grupo Kao muito bem conceituada quando se fala em indústria de cosméticos. Minha influência para a compra? O Pedro, do blog East to West Skincare, que faz resenhas tão legais sobre produtos asiáticos que dificilmente a gente erra nas compras.

O Bioré Aqua Rich é um protetor solar a base d’água, indicado para a pele mista. Segundo o fabricante, o produto promete hidratar a pele, e protegê-la dos raios solares, tudo isso sem deixar um aspecto pesado, segurando a make que geralmente a gente passa logo após a aplicação do produto. O legal desse protetor é que quando a gente passa, dá uma impressão de que vai empelotar na pele; porém,  esse “empelotamento” nada mais é que um conjunto de micropartículas de água que vão se quebrando à medida que a gente espalha o protetor. Massa, né? Esses japas são danados mesmo quando o assunto é tecnologia…

Fiz uma evolução fotográfica de como esse protetor se comporta na pele:

text1

Fase 1: textura, em mousse

text2

Fase 2: o aspecto aquoso do protetor quando espalhado

text3

Fase 3: o protetor já espalhado na pele

Se ele cumpre o que promete? Sim. Como eu disse, ele é bem indicado para a pele mista, não porque matifica total a pele, mas porque não adiciona oleosidade, dá uma matificada leve, não pesa, e não deixa um aspecto grudento no rosto (sim, eu uso no rosto só). Venho usando há uma semana, e noto que ele tem segurado sim a bronca, mesmo nos dias mais quentes; o protetor da Bioré dá de lavada nos protetores indicados para pele mista e oleosa nacionais, minha opinião, tá?

Para a galera alérgica, ou com sensibilidade a algum elemento, segue composição do produto para conhecimento: Water, Cyclopentasiloxane, Ethylhexyl Methoxycinnamate, Alcohol, Titanium Dioxide, Polyglyceryl-3 Polydimethylsiloxyethyl Dimethicone, Agar, Behenyl Alcohol, Microcrystalline Wax, Phenoxyethanol, Polyvinyl Alcohol, Ethylhexyl Dimethicoxybenzylidene Dioxoimidazolidine Propionate, Acrylates/C10-30 Alkyl Acrylate Crosspolymer, Ceratonia Siliqua Gum, Sodium Stearoxy PG-Hydroxyethylcellulose Sulfonate, Hydroxyethylcellulose, Lauryl Methacrylate/Sodium Methacrylate Crosspolymer, Fragrance, Potassium Hydroxide, Maltodextrin, Disodium EDTA, BHT, Butylene Glycol, Propylene Glycol, Citrus Grandis (Grapefruit) Fruit Extract, Sodium Hyaluronate, Citrus Medica Limonum (Lemon) Fruit Extract, Citrus Aurantium Dulcis (Orange) Fruit Extract.

Sobre o preço, o Bioré AR custa de vinte, vinte e cinco reais, se comprado no Ebay. Por esse preço, a gente não acha nunquinha um protetor bom por aqui no Brasil. Só pelo precinho camarada já vale a compra pra teste, né?

Um contra? A dificuldade de remoção. Não digo bem dificuldade, mas é que a gente é acostumada a limpar resíduo de maquiagem e protetor com sabonete líquido e tônico, e olhe olhe. Os protetores asiáticos, para a remoção completa, requerem a técnica do double cleansing, que já expliquei pra vocês neste post AQUI. Portanto, pra quem tem preguiça de limpar a pele (que feio, hein?), talvez os protetores japas e coreanos, por exemplo, não sejam os mais indicados.

Como foi pra teste, comprei uma bisnaguinha com menos quantidade de protetor. Quando ele acabar, já tô com outro Bioré pra usar, e contar o que achei pra vocês. Portanto, aguardem mais um post da série “protetores asiáticos”.

assinatura2

Páginas12