Ideias inspiradoras e o lookbook primaveril da Blanco

Façam o seguinte: abram o guarda-roupas…o que tem por lá? Cardigan, Camisa, Calça, Saia, correto? Ideias pra compor looks? Se não veio nada à mente, que tal pirar com o lookbook da Blanco(Spring 2011), super vida real?

Estejam preparadas para fortes emoções, que lá vem as fotos:

Pras meninas que acompanham o blog, viram que comprei uma saia IGUAL à da primeira fileira(do meio) lá na liquida de 70% da Toli? Faro danado o meu. Para relembrar, clica AQUI.

Agora, o que dizer do cardigan vermelho e do shortinho com modelagem alfaiataria e estampa de corações? Amor total e irrestrito. Ah, e quem quiser um cardigan parecidinho com esses, tem na C&A, depois mostro pra vocês o meu.

Uma lição importante que a gente tira desse lookbook é que os bracinhos continuam super enfeitados, pulseiras mil neles!

O primeiro cardigan do grupo 2 tá fácil, fácil: na Marisa tem um igual, meus amores, e por menos de quarenta reaizinhos…para constatar, acessa esse post AQUI, uma colaboração minha para a coluna de achados no blog La Isla Bonita.

Tem um vestidinho bem ali, que alguém que amo(e que me ama) vai fazer pra mim neeeeeeeeeeeam Txitxia linda?!!! Prometo me comportar até o fim do ano( e não gastar mais com roupas) se ganhar um desse.

Prestem atenção nas composições: mesclam peças sérias com divertidas, curtas com longas, tudo bem juntinho, o que comprova mais uma vez toda a força do hi-lo, do equilíbrio das diferenças.

Outra coisa que tem se tornado bem recorrente, é a estampa das bandeira dos Estados Unidos em tees; tenho visto demais, tanto a dos EUA, quanto à da Inglaterra, sinto um aroma trendy no ar…

Por fim, o quarto grupo, com montações bem imitáveis, tô quase doida revirando o armário aqui pra fazer essas composições, super real life!

Esse vestidinho “encarnado” me ganhou…um ar Lolita numa cor bem mulherão deu o equilíbrio necessário para que não ficasse vulgar. Perfeito!

Que tal contar só pra mim(e nossas amigas aqui do blog, só entre a gente mesmo!) qual foi o modelito mais abalante? Vamos abrir a discussão!

Blanco What?

Nunca ouvi falar dessa marca, mas confesso que depois de ver essas fotos da campanha, vou prestar bem mais atenção ao que ela lança.

Pras amigas que adoram fazer murais de inspiração, olha quanta montação bacana a gente pode fazer mesclando tons neutros com alguns mais acesos, ou com estampas:

Como sou curiosinha(e sei que vocês são), fui catar do que se trata a Blanco, e descobri que é uma empresa espanhola especializada no design, produção, distribuição e comercialização de todo o tipo de acessórios e roupas femininas e masculinas…uma Renner melhorada da Espanha!

Um fato curioso, é que atualmente eles contam com mais de 160 lojas na Espanha, Portugal, Reino Unido e Arábia Saudita.

Também, com tanta coisa linda assim, acho que a marca só tende a expandir-se mais e mais.

Blanco, já salvei na minha pasta, tá? Entrou pra lista, linda!

Kate Moss para Longchamp

Não obstante já ter postado uma coisinha, não resisti e me senti na obrigação de postar pra vocês essa campanha linda de viver da Longchamp, com o dedo(e o  corpo inteiro) de Kate Moss (pense numa top das antigas que resiste!).

A Longchamp é uma marca de bolsa Parisiense que é bem mais conhecida pela fabricação da prática Le Pliage, uma bolsa de nylon super prática e espaçosa. Porém, recentemente, a parceria com Kate Moss vem rendendo bons frutos, tanto que já é a segunda linha que a moça desenvolve para a marca.

A inspiração dessa vez partiu da América do Sul e da vida na estrada, e o que a gente vê são bolsas coloridas, feitas de lãs coloridas e listradas, e muita coisa de lona, couro e canvas.

Fotos? Claro, mobens!


Imagens: Reprodução

Pra quem ficou Superafim, existe loja da Longchamp no Brasil, em São Paulo(caríssima, os olhos da face) e em vários outros países como França, Estados Unidos, Canadá, Austria, Itália, Holanda, e por aí vai…Descobri também que vende em freeshops, o que é uma maravilha!

Quem se sentiu tocada levanta a mão!

Pra morrer de babar: editorial Free People

Conhecida pelo estilo Boho, a Free People(que entrega no Brasil, e oferece preços em real nesse site AQUI) soltou por esses dias um editorial de morrer com a faca da de cortar o pão: saias longas, vestidos de xadrez vichy, florais, paetês, cambraia bordada(ou laise, como queiram), e tye dye enfeitaram as várias fotos mostradas, fazendo com que a gente fique assim, meio petrificada, e louca pra copiar os modeleeenhos!

Esse primeiro grupo de fotos é tão setentinha que eu fiquei realmente na dúvida se as fotos tinha sido tiradas recentemente…mix de estampas no longuinho, flaired pants em lavagem vintage, aff…

Tye Dye e transparência…fiquemos muito atentas a estes dois fronts. Sinto que em breve vai empestar(vide Coachella Festival). Aguardemos!

Olha o floral e o navy aí, gente!!!! Queria do fundo do meu coração esse vestidinho aqui de cima.

Acho que o nome da marca traduz muito das peças que ela produz; pouca coisa colada ao corpo, estampas que transmitem uma certa liberdade, um jeito de viver sem amarras, e super leve.

Podia ter 300 fotos aí, mas eu só consigo ter olhos para o SHORTINHO DE PAETÊ, SHORTINHO DE PAETÊ! Affe como desejo um. Até tentei, fui na Marisa ver se ainda tinha um que vi que tava numa liquida louca, mas acho que as leitoras do blog viram o post de diquinhas e carregaram todo o estoque da loja. Deviam ter deixado pelo menos um pra mim, né?

Pra fechar, essa foto super fofa!

E é só isso que eu tinha pra mostrar pra vocês por hoje! Tudo muito lindo, mas não dá pra ficar me prolongando, fazendo um tratado postístico, quando as imagens já são suficientes pra gente extrair o que dá pra usar na vida real, e o que não!

Campanha da Equipment 2011: cobicei…

Olhem só essas fotos da campanha da marca Equipment:

Pra quem tá na vibe camisa social/calça de alfaiataria dá pra ficar louca por cada modelinho…principalmente esse último, super classudo!

Em verdade, já até falei das summer blouses em um post não muito recente, mas o estilo da Equipment pro lado utilitário da coisa é o que tem feito minha cabeça. Linda essa camisa da musa Carine Roitfeld:

Pra quem não sabe, a Equipment, surgida em 1975, tinha como diretor o bofe de Carine, Christian Restoin. A empresa chegou a parar de funcionar, mas em 2010, a grife fora relançada, e agora integra a companhia de Serge Azria, dono da Joie e Current/Elliot. Nem é preciso dizer que caiu no gosto das fashionistas mundo afora(e das lojas fast-fashion também), estão aí as imagens pra confirmar:

Como já disse, tô à procura de uma camisa mais no estilo das duas fotos logo acima, bem utilitárias mesmo, estilão militar. Acho dignas demais!

E vocês, vão de Equipment ou não?

Resumão S/S da semana de Moda em Paris, parte 2

E hoje finalizamos o post do resumão de Paris. Muita coisa linda que dá pra aproveitar agora(e no meu caso, o ano inteiro), em tempos de alta temperatura.

Balenciaga/Chloé/Dior/Gaultier


Balenciaga: um certo ar masculino rondou a passarela da Balenciaga; Tomboy mesmo. Oxfords, alfaiataria, casacos, camisas masculinas…a amenizada no aspecto “homemzinho” foi dada pela estamparia de flores e tecidos delicados. O mais legal que vi no desfile foi a presença do xadrez pied poule(tipicamente invernal), em pleno verão. Ou seja: não existem mais regras na moda.

Chloé, sua linda, que desfile, hein? Cortes femininos não-piriguéticos, elegância, e graça foram marcantes no desfile. Aliado a isso, elementos esportivos e estilo utilitário, mas, cadê a feminilidade nisso? Nos tecidos empregados, principalmente a transparência. Destaque para os vestidos bem estilo bailarina, espalhando uma tendência que eu falei há um tempinho aqui no blog.

Dior: o lugar? Polinésia nos anos 40. As pessoas? Turistas que amam cores berrantes, mas que também adoram o estilo pin up de ser, à la Betty Page. E deu navy, muito navy na cabeça. E John Galliano deixou isso bem evidente, com a aparição das “jeuns marins” trajando quepes de marinheiro e jaquetas oversized. Uma coleção que exala maresia, cruzeiros, leveza e elegância! Os comprimentos eram mini para saias, vestidos e shorts. Calças amplas, largas e bem boyfriendianas. Vestidos longos também deram seu ar da graça.

Eu adoro Jean-Paul Gaultier; autêntico, excêntrico, e sabe como ninguém surpreender nas passarelas. A abertura do desfile com Beth Ditto antecipou o que estaria por vir: um ar punk, transgressor, que buscou nos anos oitenta um estilo bem Joan Jett. O resultado foram cropped jeans, blazers estruturados, skinnys de lycra, e meias rendadas, why not?

Mcqueen/Colette D.


McQueen era muso, e deixou muitas fãs da marca orfãs com sua morte prematura. A parte boa disso tudo é que Sarah Burton, que ocupou seu lugar e foi sua assistente por 15 anos, aprendeu muito com o mestre, e para melhorar, deu um toque feminino às criações da marca.  Digo que não gostei apenas desse traje paquita da primeira foto; os outros modelos me conquistaram, principalmente aqueles que mais pareciam galhos de árvores trançados no corpo, só que dourados, brancos…lindos mesmo. Os comprimentos foram ou muito curtos ou muito longos. As cores mais presentes foram branco, dourado, bronze, estampas com vermelho escuro e dourado, e preto.

Logo na fileira de baixo, tive que colocar a coleção da Colette Diningan pra vocês visualizarem o quão foi veranil…feminina, leve, e jovem, a coleção mostrou peças cheias de frescurites que tanto amamos, como laços, florais, e tecidos pastéis…adorei!

Dries Van Noten/Nina Ricci/Ungaro


Dries Van Noten mostrou uma coleção prática; pegou a danada da mulher alfa, e transportou para sua coleção, dedicada às bravas frágeis, sedutoras mágicas, com um pequeno toque masculino. Dúvida? O que dizer da camisa de corte masculino feita de tecidos fluidos, super mulherzinha? E da camisa que a gente rouba do bofe e faz uma saia? Bom pra tentar fazer em casa! Os comprimentos foram predominatemente abaixo do joelho, e longuinhos.

Ninaaaaa, uma coleção de ares “francesinhas fresquinhas” comedoras de macaron! Mas querem saber, EU AMEI! Babados, shortinhos bufantes, sapatos bonecas, transparências, enfim, girlie total!

Ungaro apresentou uma coleção meio Rodarte Feelings; a atmosfera que mais parecia um funeral, e não um desfile de primavera/verão. Particularmente não gostei, acho que pelas flores, parecidas com coras de velório. Sem dúvida, as peças mostradas exaltam a feminilidade, mas os drapeados, penas e rendas, não me seduziram.

Elie Saab


Confesso que tive vontade de colocar TODAS as fotos do desfile da Elie Saab pra vocês, tava tudo lindo de viver!

A coleção resgatou o glamour setentinha e apresentou peças ora estruturadas, ora vaporosas, mas todas ultrafemininas. As roupas refletiram o clima provocante e elegante, de um tempo em que o glamour e o estilo marcavam cada aparição. Macacões, vestidos curtinhos, longuinhos, ternos estruturados, a cor azul, salmão e nude certamente seduziram muita gente. Aguardemos para ver muitas celebs de Elie Saab nos próximos dias…

Miu Miu/G. Valli

Giambattista Valli deixa explícito 3 tendências: animal print, transparência e flat shoes. E é só isso que importa relatar para vocês já se prepararem pra bombar muuuito esse ano!

E quem não sentiu um clima de “roupa do Elvis” com essa coleção da Miu Miu? Na hora, quando vi os casacos com estampas duplicadas em cada ombro, me veio à cabeça o Rei do Rock…e me deu febre…febre setentinha novamente. Nas estampas, saem as gaivotas e seres humanos, e entram estrelas, conchinhas do mar, e outros animais. Pra ficar de olho, meninas, pode vir uma febre de estampa de estrelas por aí…

Isabel Marant


Eita que Isabel Marant mereceu um quadro só dela no blog! Amei de coração o estilo mostrado na passarela, embebido do espírito oitentinha, com direito a ‘Holiday’ da Madonna rolando no vai e vem das modeléticas(modelos esqueléticas). Regatinhas de tela, pólos, calças coloridas, sainhas, e o espírito colegial imperaram soberano. Senti algo como preppy-folk, é isso, auditório? Quero tudo!

Paul&Joe


Paul and Joe injetaram o espírito setentinha na passarela: vestidões, saiões, blusas cropped, e flaired pants nos remetem imediatamente a uma época em que a liberdade era mais. Cores? Muitas, quanto mais alegres e acesas, melhor. Os comprimentos? Do médio ao longão(age of aquarius!)

Hermés/L.Vuitton/Sonia Rykiel/Stella McCartney

A coleção Hermès indubitavelmente nos leva aos Jockeys, onde  acontece a prática do turfe, chique, classudo, com freqüentadoras das altas rodas sociais. Isso fica evidente tanto nos modelos desfilados, quanto na atmosfera do desfile em si. Também, para uma marca que vende uma bolsa(com fila de espera) por mais ou menos trinta mil reais, não dá para esperar que a coleção desejasse atingir outro público, né? Mas como a gente não é besta nem nada, fica a dica das cores-tendência: caramelo, hazelnut, mahogany, vermelho sangue, e laranja! Copiemos, amigas!

Marc Jacobs é fechoso, todo mundo sabe. Maximalista ao extremo, exibiu uma coleção onde as cores eram fortes, intensas. Exemplo: amarelo, violeta, cobalto, vermelho ruby, verde, fuchsia e turquesa cjamaram a atenção de quem assistia ao evento. Isso sem falar na sala à meia-luz, na passarela reluzente, e na cortina de renda que se fechou ao término do desfile. Espetáculo de MJ, mais uma vez.

Sonia Rykiel mostrou uma tendência que apareceu em quase todos os desfiles, e fica a conclusão: verão de cores fortes, por tempo indeterminado. Detalhe para o novo comprimento da saia, abaixo do joelho.

E por fim, O que falar de Stella McCartney? Essa moça que tá me deixando sem unhas nas mãos por causa do lançamento de sua coleção para a C&A, mostrou o que ela mais sabe fazer, um estilo “britânico descolado”. Cortes impecáveis, visual clean, muito chambray e jeans, e pra quebrar a monotonia estampa de frutas tropicais, eita! Stella é refinada sem ser fresca, irreverente sem ser escrachada, acima de tudo, prática.

Pronto, meninas, estamos quites com o desfecho do resumão de Paris! Cansei, mas gostei!


Páginas123