Batalha de Cleansing Oils: The Body Shop x Bioré

demaqab

Que UFC que nada, o combate aqui no blog vai ser hoje de produtos de beleza, mais precisamente cleansing oils! Como todas vocês já devem saber, sou adepta do double cleansing, o método oriental de demaquilar e limpar a pele. E, como a técnica vem lá do outro lado do mundo, os melhores óleos demaquilantes são oriundos daquelas bandas. Confesso a vocês que tentei encontrar algo similar no mercado ocidental, uma vez que é uma demora pra chegar meus demaquilantes, e a pele não espera, mas não tinha encontrado…eu disse NÃO TINHA, porque agora chegou um concorrente bem bom dos cleansings oils japas e coreanos, fiz até uma batalha de passinhos, digo, de cleansing oils pra mostrar por aqui. Então, sentem que lá vem resenha!

Bom, meus escolhidos para o teste foram o óleo de limpeza da The Body Shop, o Camomile Silky Cleansing Oil; e o bam bam bam japa, o  Bioré Cleansing Oil, meu preferido. Vamos primeiramente aos ingredientes de cada produto:

CAMOMILE CLEANSING OIL: Glycine Soja Oil/Glycine Soja (Soybean) Oil, Prunus Amygdalus Dulcis Oil/Prunus Amygdalus Dulcis (Sweet Almond) Oil (Skin-Conditioning Agent), Helianthus Annuus Seed Oil/Helianthus Annuus (Sunflower) Seed Oil, C12-15 Alkyl Benzoate (Emollient), Caprylic/Capric Triglyceride (Emollient), Ethylhexyl Palmitate (Skin Conditioning Agent), Isohexadecane (Emollient/Solvent), Polysorbate 85 (Surfactant-Emulsifying), Sorbitan Trioleate (Surfactant-Emulsifying), Sesamum Indicum Seed Oil/Sesamum Indicum (Sesame) Seed Oil (Skin-Conditioning Agent), Octyldodecanol (Emollient), Parfum/Fragrance (Fragrance), Linalool (Fragrance Ingredient), Tocopherol (Antioxidant), Limonene (Fragrance Ingredient), Anthemis Nobilis Flower Oil (Fragrance/Essential Oil), Citric Acid (pH Adjuster).

BIORÉ CLEANSING OIL: Mineral Oil, PEG-12 Laurate, Isododecane, Water, Isopropyl Palmitate, cyclopentasiloxane, Polyglyceryl-2 isostearate, decyl glucoside, polysorbate 85, glyceryl oleate, isostearic acid, isostearyl glyceryl ether, isostearyl glyceryl pentaerythrityl ether, Myristyl alcohol, alcohol, citric acid, phosphoric acid, BHT, glyceryl fragrance, e tocopherol.

A composição, como visto, difere uma da outra, e tenho ressalva em relação aos dois produtos: no da Body Shop, não sabemos se o óleo de soja usado é transgênico; no da Bioré, o óleo mineral, que aparece como um ingrediente abundante no produto, causa alergia a algumas pessoas.

TEXTURA: em textura, o da Bioré é mais fluido; já o da The Body Shop é um pouco mais pesado, talvez por possuir uma combinação maior de óleos: amêndoas, soja, e semente de girassol, por exemplo.

REMOÇÃO: ambos removeram facilmente a maquiagem que coloquei na pele para teste, isso sem nem emulsionar, ou seja, sem colocar água. O óleo da Body Shop espalhou um pouco mais produto pela pele, o da Bioré “derreteu” a maquiagem sem muito estardalhaço.O lápis que usei não é a prova d’água, mas já testei o óleo da Bioré com produtos mais resistentes e ele removeu, porém exigiu um pouco mais de massagem no rosto.

batomlapis

demaqteste

Após emulsionar, o resultado da pele foi esse:

demaqapos

Alerto que nem passei o sabonete de limpeza, que é a segunda fase necessária para o double cleansing – e o que dá uma limpada mais efetiva – mas, mesmo assim, sem cumprir essa segunda etapa, a pele já tava limpinha! Comprovando o que disse passei o algodão logo depois eu ter emulsionado e lavado só com água, e ele ficou limpinho!

demaqalgo

RESUMO DA ÓPERA: QUEM GANHOU A BATALHA DOS CLEANSING OILS? OS DOIS ÓLEOS! Isso mesmo, galera, os dois! Eu particularmente gosto da leveza do óleo da Bioré, mas não reprovo o óleo da Body Shop, ele tem mais componentes naturais (e se forem orgânicos, ou pelo menos não transgênicos, seria maravilhoso) e remove com sucesso a maquiagem. A escolha entre um e outro realmente vai depender de outros fatores que não a eficácia, porque mostrei que ambos são bons para remoção de make.

Bom, espero que vocês tenham gostado da resenha, e em breve farei outras batalhas por aqui; é que pra mim post de resenha só vale mesmo quando testo os produtos por algum tempo, só assim tenho uma opinião firme a respeito, por isso demoram tanto a sair por aqui pelo blog.

Beijos e excelente restinho de domingo a todos!

Testei: protetor solar Bioré Aqua rich watery mousse SPF 50 PA+++

Bioré_UV

 

Todo que me conhece sabe que sou uma recente amante dos produtos asiáticos. Começou com o BB cream, passou pelos cleansing oils, e agora resolvi testar o famoso protetor solar da Bioré, marca japonesa do grupo Kao muito bem conceituada quando se fala em indústria de cosméticos. Minha influência para a compra? O Pedro, do blog East to West Skincare, que faz resenhas tão legais sobre produtos asiáticos que dificilmente a gente erra nas compras.

O Bioré Aqua Rich é um protetor solar a base d’água, indicado para a pele mista. Segundo o fabricante, o produto promete hidratar a pele, e protegê-la dos raios solares, tudo isso sem deixar um aspecto pesado, segurando a make que geralmente a gente passa logo após a aplicação do produto. O legal desse protetor é que quando a gente passa, dá uma impressão de que vai empelotar na pele; porém,  esse “empelotamento” nada mais é que um conjunto de micropartículas de água que vão se quebrando à medida que a gente espalha o protetor. Massa, né? Esses japas são danados mesmo quando o assunto é tecnologia…

Fiz uma evolução fotográfica de como esse protetor se comporta na pele:

text1

Fase 1: textura, em mousse

text2

Fase 2: o aspecto aquoso do protetor quando espalhado

text3

Fase 3: o protetor já espalhado na pele

Se ele cumpre o que promete? Sim. Como eu disse, ele é bem indicado para a pele mista, não porque matifica total a pele, mas porque não adiciona oleosidade, dá uma matificada leve, não pesa, e não deixa um aspecto grudento no rosto (sim, eu uso no rosto só). Venho usando há uma semana, e noto que ele tem segurado sim a bronca, mesmo nos dias mais quentes; o protetor da Bioré dá de lavada nos protetores indicados para pele mista e oleosa nacionais, minha opinião, tá?

Para a galera alérgica, ou com sensibilidade a algum elemento, segue composição do produto para conhecimento: Water, Cyclopentasiloxane, Ethylhexyl Methoxycinnamate, Alcohol, Titanium Dioxide, Polyglyceryl-3 Polydimethylsiloxyethyl Dimethicone, Agar, Behenyl Alcohol, Microcrystalline Wax, Phenoxyethanol, Polyvinyl Alcohol, Ethylhexyl Dimethicoxybenzylidene Dioxoimidazolidine Propionate, Acrylates/C10-30 Alkyl Acrylate Crosspolymer, Ceratonia Siliqua Gum, Sodium Stearoxy PG-Hydroxyethylcellulose Sulfonate, Hydroxyethylcellulose, Lauryl Methacrylate/Sodium Methacrylate Crosspolymer, Fragrance, Potassium Hydroxide, Maltodextrin, Disodium EDTA, BHT, Butylene Glycol, Propylene Glycol, Citrus Grandis (Grapefruit) Fruit Extract, Sodium Hyaluronate, Citrus Medica Limonum (Lemon) Fruit Extract, Citrus Aurantium Dulcis (Orange) Fruit Extract.

Sobre o preço, o Bioré AR custa de vinte, vinte e cinco reais, se comprado no Ebay. Por esse preço, a gente não acha nunquinha um protetor bom por aqui no Brasil. Só pelo precinho camarada já vale a compra pra teste, né?

Um contra? A dificuldade de remoção. Não digo bem dificuldade, mas é que a gente é acostumada a limpar resíduo de maquiagem e protetor com sabonete líquido e tônico, e olhe olhe. Os protetores asiáticos, para a remoção completa, requerem a técnica do double cleansing, que já expliquei pra vocês neste post AQUI. Portanto, pra quem tem preguiça de limpar a pele (que feio, hein?), talvez os protetores japas e coreanos, por exemplo, não sejam os mais indicados.

Como foi pra teste, comprei uma bisnaguinha com menos quantidade de protetor. Quando ele acabar, já tô com outro Bioré pra usar, e contar o que achei pra vocês. Portanto, aguardem mais um post da série “protetores asiáticos”.

assinatura2

Prova de fogo: Base Revlon Colorstay

Quem mora nos trópicos deve ter se queixado, pelo menos uma vez na vida, sobre a dificuldade que é segurar uma base por muito tempo no rosto, sem que a pele brilhe, ou a base “craquele” todinha. Mais sofrido ainda é ter uma pele mista, como a minha, que vez ou outra tá prontinha pra fritar uma coxinha em cima.

Eu sou a louca da base, vivo testando, e a da vez é a Revlon Colorstay, que promete o seguinte:

Conforto e pele matte durante todo o dia;

Formulação Oil-free;

Não transfere pra roupa;

Aparência suave, e natural.

Pois bem. Depois de todas essas promessas, resolvi ir ao site da Brigette’s Boutique, escolhi no olhômetro a cor Ivory 110, e vejam só, deu certo em mim!

Mas vamos às imagens com base, sem base, e com base e pó (lembrando que o pó que usei foi o Revlon Colorstay também, é o que uso no dia-a-dia, junto com o microfinish HD, da elf):

(Papis Selva, obrigada por essa sobrancelha levantada(que o Sr. também tem) que não baixa nem com reza braba, nem com designer de sobrancelha caceteira)

(sorry o cabelo molhado, é que tava preparando outro post pra vocês em que o picumã tinha que estar assim)

A aplicação se deu às 09:30 da manhã, e simplesmente às 13:30, com calor de 32 graus, ela estava intacta!

Somente às 16:30 é que a oleosidade começou a dar seu ar da graça, mas, ainda assim, vocês vão ver pela última foto do post, a maquiagem segurou dignamente.

Ou seja: tem como não amar uma base que segura SETE HORAS em solos nordestinos? Nossa Senhora Pat Mcgrath que abençoe essa base linda!

DF aprovou com louvor!

Me digam, qual base dá esse efeito em vocês? Alguém mais sentiu isso da Colorstay?

Testando o Kit Bare Naturale da L’oréal

Pense num negócio ruim(pra quem ama compras online, já que passa o dia trabalhando): receber no e-mail anúncios do Strawberry. A gente vai olhando, como quem não quer nada, e no fim leva sempre algo…

Há um tempo tava à venda esse kit da L’oréal, chamado Bare Naturale, composto de uma base mineral, um blush e um pó translúcido, para testes. Preço bom, creio que menos de quarentinha realezas. E eu comprei. Contudo, a coragem pra usar veio semana passada, quando decidi fazer o make todo só com esses produtos. Vamos conhecê-los?

Gentle Mineral Foundation: Tem fator de proteção 19, e promete corrigir as imperfeições, hidratando a pele, e deixando o aspecto naturalíssimo;

Gentle Mineral Blush: Num tom rosa seco, promete cobertura, cor duradoura, e hidratação também.

Soft-focus Mineral Finishing: pó translucido finalizador, que a gente usa por cima da base. Na verdade, utilizei como um iluminador, passando somente em alguns cantinhos do rosto que quis realçar.

Pra vocês conferirem o resultado, olhem minha foto com make, usando estes produtos(o batom não tá no pacote, ele é da Lime Crime)

A cobertura se mostrou boa, porém apenas no começo. Quatro horas depois eu tava regada em óleo, sendo conveniente sugerir pras meninas de pele oleosa que usem um primer, pra não passar vergonha, e parecer ator do filme Cidade de Deus.

Quanto ao pincel que vem acoplado, também não é bom, porque pega pouco produto, e pega poucas partes do rosto.  Melhor é o pincel de nosso acervo, com certeza.

E aí, Rose, indica ou não indica? Indico sim, até mesmo pelo custo-benefício da coisa. Vou lascar primer e ser feliz com meu trio até ele acabar!

Por falar em make…

Sabem como tirei esse make todo? Com HIGIAPELE(aquele rosinha, pra assadura de bebê), da Johnson&Johnson. Saiu rapidamente, e todinha, olhem: