Testei: Anthelios Airlicium fps 70, da La Roche-Posay

ABanthelios

Natal é uma cidade quente. Muito quente. Viver por aqui sem passar um BB cream, ou um protetor solar com fator alto pode nos criar um probleminha chamado câncer de pele. A questão é que sou chata, poucos são os produtos com proteção solar que me agradam, não curto aquela textura melequenta que os bloqueadores/protetores deixam na pele, e também não sou fã daquele cheiro forte de protetor o dia todo; abusa, de verdade. E aí que, não achando nada legal nos últimos anos, acabei trocando o tradicional protetor por BB cream, inclusive pela praticidade de reunir muitos benefícios em um só produto.

Porém, eis que apareceu no Brasil o bloqueador em gel-creme da La Roche-Posay, o Anthelios Airlicium fps 70, e fiquei doida pra testar, porque já tinha recebido uma amostrinha do produto com fps 30, e me interessei em usar de forma mais continuada para dar uma opinião sincera pra vocês.

Então, sentem que lá vem resenha!

O QUE PROMETE: segundo o fabricante, o Anthelios Airlicium fornece proteção solar muito alta (fps 70 PPD 35), controle inteligente da oleosidade e umidade, redução imediata de poros, e sensação de pele limpa por 9 horas.

COMPOSIÇÃO: abaixo fotografei a composição pra vocês , e adianto uma questão importante: La Roche-Posay, antenada com estudos que condenam o uso de 4-mbc (4-metil benzilideno cânfora) nos filtros solares, por desregular a tireóide (aumentando a produção de estrogênio acima do normal, fazendo a gente engordar, fazendo surgir celulites, e nos homens favorecendo o aparecimento de tecidos mamários, e arredondamento das nádegas), e ser uma substância cancerígena, descartou o componente, e usa em sua formulação o Tinosorb (quimicamente, composto de Metileno Bis-Benzoriazolil Tetramethylbutilfenol – Tinosorb M, e Bis-Etilhexiloxifenol Metoxiphenil Triazine – Tinosorb S), componente seguro para uso em filtro solar, extraído de pesquisas do Conselho Internacional de Cosmética. O Tinosorb M, utilizado na formulação do Anthelios Airlicium, é um filtro que cumpre um duplo papel, o de absorver energia, e o de refleti-la. Além desse ponto em favor do gel-creme aqui resenhado, o filtro em sua propaganda esclarece ao consumidor o seu PPD (fator 35, excelente!), que protege a pele contra os raios UVA, que considero até mais nocivos que os UVB.

ANTHcompos

TEXTURA: como mostra a foto abaixo, é um gel-creme, um pouco espesso olhando assim, mas quando aplicado, ele tem uma espalhabilidade boa, e fica sequinho na pele.

ANTHtextur

CUMPRE O QUE PROMETE?

Vamos lá: fazer teste de duração de filtro solar em pessoas de pele mista como eu no nordeste é impossível. Ele não dura 9 horas na minha pele nem a pau, mas sejamos sensatas, aqui nesse calor, e com a pele que eu tenho, não dá pra passar 9 horas sem lavar, passar um tônico, e reaplicar o filtro, vai ficar uma fábrica de óleo de fritar pastel, não é problema pra mim reaplicar sempre que lavar o rosto, não mesmo.

Sobre diminuir os poros não vi essa diferença, tenho uns poros horríveis de abertos, e eles não ficaram menores, mas pra isso existe outro produtinho chamado primer, e um ritual chamado “exfoliação a cada 7 dias” pra dar uma diminuída nos poros.

Quanto à proteção ele funciona SUPER, fiz o teste de ficar no sol com ele um tempinho e minha pele não queimou de jeito nenhum onde eu apliquei. Também fiz teste na praia e não precisei reaplicar nenhuma vez. A única coisa que me incomoda um pouco é que o cheirinho de filtro, apesar de ser BEEEM mais fraco que outros produtos que já teste ainda tá por lá, mas isso não desqualificada o excelente produto que a La Roche colocou no mercado pra gente.

Resumindo: pra mim, ele cumpriu em boa parte o que promete. Pra turma que tem pele normal, e vive em regiões onde o clima é agradável, ele pode ser quase cem por cento satisfatório, inclusive.

RECOMENDARIA? CLARO QUE SIM! Só em me oferecer um fps e PPD alto, e não possuir em sua formulação uma substância comprovadamente nociva à minha saúde, esse filtro solar merece ser recomendado. Vão na fé porque o produto é bom, talvez o melhor do mercado brasileiro.

Pra quem se interessou e gostaria de experimentar o produto, ele pode ser facilmente encontrado em farmácias, e custa aproximadamente 70 reais. Dura horrores, porque uma bolinha do diâmetro de uma pérola média já é suficiente pra cobrir todo o rosto.

Quem já testou, comenta aí o que achou, pra deixar nosso post bem rico e informativo prozamigue e prazamigue, tá?!!

Beijos!

 

Batalha de Cleansing Oils: The Body Shop x Bioré

demaqab

Que UFC que nada, o combate aqui no blog vai ser hoje de produtos de beleza, mais precisamente cleansing oils! Como todas vocês já devem saber, sou adepta do double cleansing, o método oriental de demaquilar e limpar a pele. E, como a técnica vem lá do outro lado do mundo, os melhores óleos demaquilantes são oriundos daquelas bandas. Confesso a vocês que tentei encontrar algo similar no mercado ocidental, uma vez que é uma demora pra chegar meus demaquilantes, e a pele não espera, mas não tinha encontrado…eu disse NÃO TINHA, porque agora chegou um concorrente bem bom dos cleansings oils japas e coreanos, fiz até uma batalha de passinhos, digo, de cleansing oils pra mostrar por aqui. Então, sentem que lá vem resenha!

Bom, meus escolhidos para o teste foram o óleo de limpeza da The Body Shop, o Camomile Silky Cleansing Oil; e o bam bam bam japa, o  Bioré Cleansing Oil, meu preferido. Vamos primeiramente aos ingredientes de cada produto:

CAMOMILE CLEANSING OIL: Glycine Soja Oil/Glycine Soja (Soybean) Oil, Prunus Amygdalus Dulcis Oil/Prunus Amygdalus Dulcis (Sweet Almond) Oil (Skin-Conditioning Agent), Helianthus Annuus Seed Oil/Helianthus Annuus (Sunflower) Seed Oil, C12-15 Alkyl Benzoate (Emollient), Caprylic/Capric Triglyceride (Emollient), Ethylhexyl Palmitate (Skin Conditioning Agent), Isohexadecane (Emollient/Solvent), Polysorbate 85 (Surfactant-Emulsifying), Sorbitan Trioleate (Surfactant-Emulsifying), Sesamum Indicum Seed Oil/Sesamum Indicum (Sesame) Seed Oil (Skin-Conditioning Agent), Octyldodecanol (Emollient), Parfum/Fragrance (Fragrance), Linalool (Fragrance Ingredient), Tocopherol (Antioxidant), Limonene (Fragrance Ingredient), Anthemis Nobilis Flower Oil (Fragrance/Essential Oil), Citric Acid (pH Adjuster).

BIORÉ CLEANSING OIL: Mineral Oil, PEG-12 Laurate, Isododecane, Water, Isopropyl Palmitate, cyclopentasiloxane, Polyglyceryl-2 isostearate, decyl glucoside, polysorbate 85, glyceryl oleate, isostearic acid, isostearyl glyceryl ether, isostearyl glyceryl pentaerythrityl ether, Myristyl alcohol, alcohol, citric acid, phosphoric acid, BHT, glyceryl fragrance, e tocopherol.

A composição, como visto, difere uma da outra, e tenho ressalva em relação aos dois produtos: no da Body Shop, não sabemos se o óleo de soja usado é transgênico; no da Bioré, o óleo mineral, que aparece como um ingrediente abundante no produto, causa alergia a algumas pessoas.

TEXTURA: em textura, o da Bioré é mais fluido; já o da The Body Shop é um pouco mais pesado, talvez por possuir uma combinação maior de óleos: amêndoas, soja, e semente de girassol, por exemplo.

REMOÇÃO: ambos removeram facilmente a maquiagem que coloquei na pele para teste, isso sem nem emulsionar, ou seja, sem colocar água. O óleo da Body Shop espalhou um pouco mais produto pela pele, o da Bioré “derreteu” a maquiagem sem muito estardalhaço.O lápis que usei não é a prova d’água, mas já testei o óleo da Bioré com produtos mais resistentes e ele removeu, porém exigiu um pouco mais de massagem no rosto.

batomlapis

demaqteste

Após emulsionar, o resultado da pele foi esse:

demaqapos

Alerto que nem passei o sabonete de limpeza, que é a segunda fase necessária para o double cleansing – e o que dá uma limpada mais efetiva – mas, mesmo assim, sem cumprir essa segunda etapa, a pele já tava limpinha! Comprovando o que disse passei o algodão logo depois eu ter emulsionado e lavado só com água, e ele ficou limpinho!

demaqalgo

RESUMO DA ÓPERA: QUEM GANHOU A BATALHA DOS CLEANSING OILS? OS DOIS ÓLEOS! Isso mesmo, galera, os dois! Eu particularmente gosto da leveza do óleo da Bioré, mas não reprovo o óleo da Body Shop, ele tem mais componentes naturais (e se forem orgânicos, ou pelo menos não transgênicos, seria maravilhoso) e remove com sucesso a maquiagem. A escolha entre um e outro realmente vai depender de outros fatores que não a eficácia, porque mostrei que ambos são bons para remoção de make.

Bom, espero que vocês tenham gostado da resenha, e em breve farei outras batalhas por aqui; é que pra mim post de resenha só vale mesmo quando testo os produtos por algum tempo, só assim tenho uma opinião firme a respeito, por isso demoram tanto a sair por aqui pelo blog.

Beijos e excelente restinho de domingo a todos!

Testei: Vinagre de Cabelo, Yves Rocher
Em: Beleza

Quem me acompanha pelo Instagram (devaneiosfashion), ou snapchat (devaneiosf) sabe que mudei minha rotina capilar, e tem dado MUITO certo. Essa rotina faz parte de uma mudança de estilo de vida que resolvi fazer, e que se resume basicamente a viver mais leve, e mais natural. Não, não virei hippie e passei a vender bijuterias na praia (não que isso não seja legal), mas resolvi dar uma aliviada na minha alimentação (o que já vinha fazendo há uns 4 anos), e restringir alguns compostos dos produtos industrializados que uso na rotina de beleza.

Quando o assunto tem a ver com as madeixas, pesquisando sobre no poo e low poo (fiz mega post no blog, quem quiser dar uma olhada clica AQUI), achei uma boa lavar os cabelos com xampus sem silicones e parabenos (no máximo duas vezes na semana), e assim venho fazendo. Para desembaraçar os fios, comprei o vinagre de cabelo da Yves Rocher (o link do site da marca tá AQUI), esse da foto abaixo:

vinahair1

O que é esse produto? Como o próprio nome diz, é um vinagre, e tem a promessa de restaurar o brilho natural do cabelo, deixando-o macio e solto.

E o uso, como é? Quando eu lavo o cabelo, geralmente duas vezes por semana (nos outros dias em que preciso molhar, eu uso Yamasterol, e vou enrolando também com xampu seco, tudo pra evitar o efeito detergente do xampu), aplico logo após a retirada dele o vinagre, que coloquei num borrifador pra evitar desperdício e aplicar ao longo dos fios, massageio, faço o enxagüe, e pronto. É um condicionador, só que não tem silicone nem parabenos.

vinahair2

vinehair3

vinahair4

Se funciona? Muito!!! Depois que passei a ter essa nova rotina, senti que meu cabelo ficou com um brilho absurdo (mostrei no snap como ele tá com brilho, não de oleosidade, mas de vitalidade), o cabelo tá mais cheio, e as pontas, muito hidratadas. O vinagre da Yves Rocher é muito cheiroso, tem aroma de cereja, e vale muito a compra. No Brasil, a marca vende online, e pelo preço de R$ 54,00, mais ou menos. Pra quem vai viajar pra fora, na França, por exemplo, ele tá custando 5 euros, vale a compra demais!

Mas, se você, amiga, não tá podendo gastar essa grana toda com o vinagre da YR, tenho uma dica: a receita vinagre de maçã orgânico + água (na proporção de 4 partes de água pra uma de vinagre) + umas gotinhas de essência de baunilha, ou até própolis, rende um excelente condicionador caseiro, e dá pra ter uma idéia do que o enxagüe com vinagre pode fazer por seus fios.  Vale o teste antes da compra, até pra saber como seus fios se comportam.

Resuminho da ópera: indico demais o vinagre Yves Rocher, assim como outros produtos da marca, porque amei a filosofia deles, de entregar ao consumidor tratamentos de beleza usando produtos naturais.

Beijos!!

Testei: Wonder Pore Freshner
Em: Beleza

IMG_8507.JPG

Quando eu mostro pra vocês algum produto no Instagram, confesso que fico doida pra elaborar imediatamente um post no blog. Mas, sei lá, gosto de testar bem, analisar alguns aspectos, só pra ter a certeza acerca das qualidades, e defeitos do produto. Fazendo dessa forma, acho que o post fica mais completo, e impulsiona o consumo consciente, já que não é legal adquirir coisas por adquirir, tem que valer a pena. Mesmo.
Portanto hoje, depois de uma semana testando o Pore Freshner que apresentei a vocês por foto, venho aqui contar tudo.

O Wonder Pore Freshsner, da Etude House, faz parte de uma linha coreana ligada às peles com poros problemáticos. Tem espuma de limpeza, corretivo, tônico, máscara…eu me interessei pelo tônico, e foi essa a minha primeira compra da linha.

Lendo o rótulo, o produto se diz 7 em um, e promete o seguinte:

1- Limpeza profunda dos poros;

2 – Manter o ph da pele equilibrado;

3 – Controlar a oleosidade;

4 – Minimizar o aspecto “casca de laranja” dos poros;

5 – Refinar o tom da pele;

6 – Manter a elasticidade dos poros;

7 – Hidratar a pele por dentro e por fora.

O que amo nesses orientais é o jeitinho didático deles de ensinar como se usa o produto, e o que ele promete. É tudo ilustrado, não tem como errar:

IMG_8503.JPG

IMG_8505-1.JPG

Como bem mostrado aí em cima, o Wonder Pore pode ser usado no ritual de limpeza da pele, como um tônico, ou seja, após a remoção de maquiagem e limpeza da pele com espuma ou sabonete, ou na forma de spray, pra gente ir aplicando ao longo do dia pra dar uma refrescada na pele da gente. Tirei uma foto pra vocês verem como ele bem fluido, uma aguinha:

IMG_8506.JPG

Eu usei o meu Wonder Pore da seguinte forma: pela manhã, após lavar a pele, reaplicando uma vez ao dia, no trabalho, pra dar uma refrescada, e à noite, depois da retirada da maquiagem, com a técnica double cleansing. E o que eu achei? Bom, fiquei em choque, porque no primeiro dia já notei a textura da minha pele mudada, macia. Sobre o aspecto dos poros eles diminuíram sim, não milagrosamente, mas consegui ir trabalhar a semana inteira só com protetor japa, e um pó solto por cima, e os poros ficaram escondidinhos, uma coisa maravilinda, parecia que tinha passado uma base potente no rosto, mas não tinha, era só protetor e pó. Por aí, a gente já vê que ele cumpre com os itens 1, 3, 4, 5, e 7. Eu não tenho como avaliar o item 2, porque não sei medir ph, mas suponho que, pelo aspecto global do meu rosto, ele tenha cumprido de fato o que promete, e com louvor.

Pra resumo da ópera, o Wonder Pore Freshner tá aprovadíssimo, e eu recomendo, ele é um produto de resultados, e com bom preço, em torno de 37 reais o frasco com 250 ml de produto. Quem se interessou e também quer testar, no Ebay tem, nesse link AQUI, de um vendedor que eu adoro.

Ah, e para as alérgicas, vai a composição do produto:

IMG_8504.JPG

Notaram que ele tem mais água na composição, e diversos produtos naturais? Talvez por isso o aspecto aquoso prevaleça, e detalhe, muito embora ele tenha álcool em sua formulação, ele não tem cheiro forte de álcool, nem dá aquela sensação de ressecamento da pele logo depois que a gente passa o freshner, coisa que sinto demais com o tônico da Clinique, que só de abrir o frasco o cheiro do álcool sobe.

Então é isso, fica a dica desse produto fofo e eficaz, e quem usa mais alguma coisa dessa linha, favor comentar aqui, porque já estou interessadíssima na espuma de limpeza, muito bem falada pelas coreanas, e na máscara.

Beijos!

Diário do Sun In: Segunda semana

Antes de tudo, me desculpem o lapso entre um post e outro. É que essa jovem aqui é um tanto atarefada(status: sempre arrumando mais coisa pra fazer), e quando o fim da noite bate, o cansaço vem junto. Não deu pra subir o post do Sun In no tempo esperado, como também não deu pra aplicar. Só retomei as aplicações essa semana, mais três, pra ver o efeito que deu.

Nas duas primeiras aplicações, usei a técnica sun in/secador, e na terceira, sun in/sol, e sinceramente? O efeito do Sun In na praia com solzão tanto foi mais potente, quanto deixou mais bonita a cor, de menina de praia mesmo.

Indagação de titia essa semana: “pintou o cabelo?”. E eu “não”. “Tá mais queimadinho nas pontas, ele todo tá mais dourado…”, falou Tia Alice.

Provas? Vamos ao antes, primeira semana, e segunda semana:

Recentemente dei uma aparada no cabelo, tirando boa parte das pontas, e o legal é que a parte clara tá subindo só com o produto, sem química pesada. Tô gostando do efeito bastante, tá ficando mais brilhoso, até mesmo as partes que não estão dourando, apenas clareando um tom.

Que venha a terceira semana!