Cores (e tons) de Monet, e os vestidinhos da próxima estação

Não, não é viagem minha. Desde que existe a arte, e existe moda, aquela acaba influenciando esta, seja de maneira literal(como as reproduções de obras de Miró nas peças da Lenny certa vez), seja como fonte de inspiração. E é sobre este último caso que eu quero falar.

Quem já deu uma googleada no Monet, percebeu os trabalhos em pastel desse artista impressionista, bem como notou o frescor de suas obras, e jogo de sombra e cores retratados em seus diversos quadros. Então, os vestidinhos da próxima estação vão te lembrar cores de Monet, florais de Monet, tons de Monet…lavanda, amarelo canário, verde em suas mais diversas variações, e azul celeste, por exemplo, vão colorir os curtinhos pelos próximos meses. Muito bom, para quem odeia tons sombrios, como eu.

Se por aqui é novidade, lá fora a coisa anda pegando fogo, e aproveitando esse boom, selecionei algumas imagens pra gente começar a se preparar para o que está por vir:

Imagens: reprodução

Juro que já tô me imaginando fofinha(coisa que não sou rsrs) com esses vestidos.

Hay que embarazar, pero perder el estilo, jamás!

Tô cabida mesmo, usando e abusando do meu rasteiro conhecimento em espanhol, pra mudar umas palavrinhas da frase do Che, e abrir o post de hoje. Sim, porque muitas mulheres quando estão grávidas não tão nem um pouco tentadas em andar por aí com aquela calça jeans com neoprene no cós, ou mesmo com um vestidinho de manguinha bufante e lacinho regulador nas costas.

Sou sincera: eu, se tivesse grávida não curtiria, e sei que muitas de vocês também não gostariam, por isso o motivo desse post de hoje, que tem dois tópicos básicos: roupas de grávidas para festas, e peças mais despojadas, para o dia-a-dia. Porque o estado gravídico não pode te obrigar a abandonar seu estilo, nem muito menos a vaidade, né?

Então, vamos por partes:

- no dia-a-dia: para o estilo diário, a gente pode deixar de lado a calça de neoprene e investir em peças mais legais, como o shortinho, tal qual sugeriu a Marina Leiros, no blog dela 9mesesemuitomais. O conjuntinho, a pantalona, os longos, o macacão, e as saias, longas e curtinhas(de laise e rodadinhas como as da Giz-Bun no grupo de imagens abaixo), são uma boa opção pra sair do combo mortal e repetitivo(caro também) jeans c/ neoprene -vestido c/ manguinha bufante.

Outra peça muito versátil e estilosa, que pode acompanhar as grávidas até o fim da gravidez são os kaftans, aqueles vestidos retangulares que são regulados com uma faixa, e podem ser longos ou curtinhos. Tenho uma verdadeira paixão por kaftans, e quando uma amiga ficou grávida, foi minha sugestão. Ela gostou tanto que fez váriooos, que duraram até o fim da gravidez: são fresquinhos(grávida sente muito calor), práticos, e elegantes.

Já nas festas, ah, as festas…a grávida sempre fica na dúvida sobre o que vestir em casamento, formaturas e afins, mas é simples: poucos detalhes e cortes abaixo do busto, tipo império, dão uma alongada na silhueta. Quase todas as fotos de grávidas famosas(e elogiadas no figurino) que catei na internet seguem essa lógica. Querem ver?

Quanto mais parecido com aqueles vestidos “gregos” mais bonitos eu acho…chama a atenção para o colo, para o busto, e a gente até esquece que tem um barrigão por ali…lindo mesmo!

Porque a gente pode até engravidar, mas jogar fora o estilo, e “enfeiar”, jamais!

Adooooro! da semana: conjuntinho bem veranil

Gente, desculpa ficar batendo na mesma tecla, mas enquanto vocês aí do sudeste e do sul tão passando por um tempinho mais frio, a gente aqui tá queimando. Hoje mesmo fui dar um cochilo e acordei uns dois quilos mais magra de tanto que suei, tá imoral.

É justamente por isso que o adoro da semana não tem saído lááá aquela coisa outono/inverno; como ele reflete minha vontade num determinado momento, e nesse momento faz muito calor, é o look da blogueira Jules que mostro pra vocês:

20120414-230004.jpg

Floral, levinho…só o que preciso pra enfrentar esse calorzão!

Da quarta: Saia com estampa étnica

Pronto, tá aí a tão esperada saia Tia Alice. Houve movimentação grande pelo Instagram, e agora disponibilizo pra pedidos essa peça, lembrando que são poucas unidades, e os pedidos só vão até terça-feira próxima:

Ai como tô amando minha sainha…só botar uma camiseta e pronto! Peça estampada é bom por isso, né, joga outra de uma cor só, e tá salvo o dia da gente!

Vamos aos créditos:

Camiseta – Tia Alice, customizada por mim

Saia étnica - Tia Alice, R$ 45,00, pedidos só pelo e-mail [email protected]

Colar – Forever 21

Pulseiras – Forever 21, feitas por mim, e Farm

Sandálias – Santa Lolla

Bolsa que aqui virou clutch – Arezzo

E na próxima semana, vocês vão babar! Só digo uma coisa: tem a ver com floral de  fundo escuro.

Na moda, ser simples também é ser incrível

“A simplicidade é o último grau de sofisticação.”

Leonardo  da Vinci

Essa frase de Da Vinci vem muito a calhar com o post de hoje. Transportando essa ideia pra o mundo da moda, o que a gente percebe é justamente o que o mestre polivalente disse: os looks mais incríveis são os mais simples, aqueles que despertam a impressão na gente de que a pessoa não se esforçou pra compor, pra harmonizar as peças. Digo isso em tempos de blogs de streestyle, onde muita gente fica horas em casa se produzindo, se montando, mesclando estampas, e muitas cores, só pra ter uns cliquezinhos num site tipo Sartorialist ou qualquer coisa que valha. O simples me seduz, isso é fato. O contrário, nem tanto.

E por isso separei algumas produções bem inspiradoras, e que não pedem muito da gente porque né, passar por um processo de “Ladygagaguização” é tudo que eu menos quero. Deixo isso pra quem segura o estilo, v.g, Anna Dello Russo, ou a nossa Regina Casé. Repito: elas seguram o estilo, o feio é forçar a barra, tentar fazer igual só pra ganhar um post num blog. Mas isso é outra história, e a gente conversa depois. Por ora, vamos nos inspirar:

Porque a gente não precisa de muito – nem de tudo – pra andar lindona por aí.

E pra concluir, outra lição pra vida toda, de Henry Wadsworth Longfellow:

“No caráter, na conduta, no estilo, em todas as coisas, a simplicidade é a suprema virtude.”

Comprei algumas peças da coleção de verão, e agora? Encosto ou aproveito neste outono/inverno?

Antes mostrar pra vocês o que vai rolar neste outono que começou, gostaria de fazer algo um pouco mais relevante, principalmente pra quem mora em terras com

Não dá pra sair por aí com pele, veludo molhado, e jaqueta de couro quando a gente vivencia um outono de 36 graus. Não mesmo. É preciso lucidez e bom senso na adaptação das passarelas pras ruas.

Então, a saída que encontrei foi reaproveitar os hits do verão, que condensei num top 8. Esses hits, na verdade, são “tendências”(odeio esse termo, mas faltou palavra) pontuais que a gente pode aproveitar o ano inteiro por aqui, já que foram presentes na primavera/verão do Brasil, e na gringa também, lembrando que agora é que começa a primavera no hemisfério norte. Quer dizer: vai dar pra usar bem.

Mas chega de papo, vamos ao que realmente interessa!

1 – Estampas Tropicais


De cara, quando vi essas estampas de folhagens de florestas tropicais, imaginei: isso vai pegar com força. Tem muita identidade com nosso país, com as pessoas daqui, com a alegria e descontração das estações mais quentes do ano, no meu caso, o ano inteiro. A estampa tropical ainda vai ficar por muito tempo, pode ter certeza.

2 – Camisa de tecido leve


Taí uma peça que desacreditei totalmente quando apareceu nas temporadas de primavera/verão…que danado, num calor dos infas ia usar camisa de botão fechada até a gola? Os tecidos com que foram feitas, leves, que deixam a pele respirar, contribuíram para que ela pegasse, e fizesse par com enormes colares juntinhos ao colarinho. Confesso que ainda não experimentei usar assim, mas um dia farei um teste.

3 – Transparências


A transparência é o tipo de tendência “ame ou deixe”. Revelando bem mais do que deveria, pede um bom senso sem fim pra usar. Graças a Deus muita gente aprendeu a lição de dosar transparência com peças que revelem menos, e o negócio andou bem. Já até comecei a gostar, mas aquela leve transparência de uma camisa de tecidos como musseline, que dão um jogo de textura bacana com a parte de baixo mais pesada, como calças de linho e afins…

4 – Peças artesanais


Eita negócio bom de falar! Geral se apegou ao crochê, ao macramê, ao tricô leve, e à renascença! Adoro tudo que envolve trabalho artesanal, e fiz a festa com minhas pecinhas estocadas no guarda-roupas! Curti muito!

5 – Florais


Sempre assim. Primavera chega, e com ela as flores, que vão ficando até o verão, e se prolongarão até o inverno, não com a mesma cartela de cores, provavelmente com cores mais fechadas. Na temporada de calor, o que me surpreendeu foi a presença flores mais “simplinhas”, tranqüilinhas, como lavandas, margaridas…taí uma saída pra quem não gosta do espalhafato de uma estampa floral.

6 – Brilhos

Desde o meio do ano passado que eu falo em brilho. Ele é insistente, tá sendo usado de dia também, e agora divide um espacinho com os metalizados. Acho digno demais!

7 -Assimétricos

Teve gente que entortou a boca, e disse que não ia durar…então, geral ainda usa os assimétricos, mas cuidado! Se não combina com o estilo da gente, não rola. É aquela velha história de não virar fashion victim e blá, blá, blá que eu tanto falo.

8 – Tribais/étnicos


O tribal cativou as brasileiras, seja nos acessórios, seja na estamparia das peças que foram desfiladas nas temporadas de moda em terras brasilis. O étnico também. A influência das tribos africanas, das tribos indígenas americanas(navajo, p.ex) e brasileiras saíram das passarelas, ganharam as ruas, e pelo jeito não vão sair tão cedo. Nas semanas de moda outono/inverno tão firme e forte.

Pois bem, eis o top 8 do que pegou no verão, e que dá pra gente continuar aproveitando o ano inteiro. Se vocês me perguntarem o que não pegou, poderia citar como exemplos o “estômago” de fora, usado pouquíssimo; as fendas, que ainda estão tímidas; os collants, e as peças confeccionadas em plástico. Esses coararam, e, venhamos e convenhamos, talvez em alguns dias a gente nem se lembre que eles um dia existiram(talvez as fendas peguem, nessa eu boto um pouco de fé). Aguardemos.

Páginas123456