Os looks mais legais de Street Style da Semana de Moda de Milão

mfwAB

Certo dia vi pela internet, não me lembro onde, um verdadeiro levante contra os looks de street style, dizendo basicamente que a galera se montava pra aparecer, e quanto mais bizarra fosse a montação, mais cliques essa pessoa teria, e que por isso perdeu o sentido a gente ficar de olho nessa galera blá, blá, blá…eu até acredito que tem gente que vai pra porta dos eventos toda trabalhada no figurino do Esquenta! só pra ganhar uns cliques, mas acredito também que, em sendo um evento na área de moda, é super normal que gente com look esquisito de verdade, e não forçado, apareça por lá, do mesmo modo que gente com look mais clássico, ou com look com pegada mais urbana também esteja circulando pelos desfiles ou portas de evento. O legal do street style é mesmo ver esse encontro de tribos, e pinçar o que apareceu de mais legal e foi registrado pelas lentes dos fotógrafos; é uma mina de referência, e olha, precisamos parar de pensar quadradinho, e achar que só passarela, e editorais de moda são fontes de tendência, ou mesmo de inspiração. Ampliar os horizontes é preciso pra construir uma personalidade, e looks que correspondam à essa personalidade que a gente vem formando desde que nasceu.

 Pois bem, dada minha opinião sobre o assunto, selecionei alguns looks bem legais que saíram das ruas da Semana de Moda de Milão e que dão uma deixa do que pode vir a influenciar nossa primavera/verão 2016. Primeiro, o comprimento midi. Sim, ele veio e ficou, sorte de quem é apaixonada por looks com peças nesse comprimento, tipo eu, que não quero abandonar mais nunca minhas peças midi!

MFW4

No street style de Milão eu percebi também uma vibe anos 70, um apego da turma “das modas” por calças amplas, curtas ou não, e por sobreposições, principalmente com camisetas por baixo de vestidos. Me lembro que a gente usou muito nos anos 90, mas não sei se aqui no Brasil vai rolar…

MFW2

A vibe romântica também foi mostrada nos looks das que circularam pelo evento, com destaque para batas e vestidos bordados, bem numa pegada mexicana, ou mesmo dos trajes típicos da Ucrânia. Se preparem que a gente vai ver muito disso por aqui, porque super combina com o estilo tropical.

MFW3

E quando a gente tá sem saco de fazer uma montação com muitas referências de tendência, o que faz? Recorre ao clássico, afinal, ele nunca falha. O que vi de alfaiataria nos blogs de street style não foi brincadeira. Peças feitas sob medida, e com acabamento impecável nunca são demais, e eu diria até que existe um quê de versatilidade na alfaiataria, ao contrário do que muita gente pensa; dá sim pra fazer looks super criativos com peças alfaiataria, vejam as composições abaixo, em que um terno foi acessorizado com chapéu e obi, o tubinho complementado por bolsa divertida e óculos redondinho…enfim,  o segredo é fazer do ato de se vestir uma brincadeira, um quebra-cabeças a ser montado todos os dias com peças diferentes.

MFW1

Bom, era isso que tinha pra dividir com vocês por hoje, lembrando que ainda tem post pra subir referente à semana de moda de Paris, que tá rolando agora, e talvez a de Londres, vou tentar postar ainda essa semana pra gente finalizar os babados da semana de moda e pautar outras coisas legais por aqui.

Beijos!!!

Semana de Moda em Milão: SS/2011 última parte

Domingão, dia de muitos posts, de programar alguns e de soltar outros, principalmente os de reviews das semanas de moda lá fora. Vamos terminar Milão, porque ainda tem Londres e Paris, correndo, ligeiro, supersônico!

Hoje trouxe para comentar a terceira e última parte da semana de moda em Milão, que foi um arraso! Vamos que vamos!

Prada

A Prada apresentou uma coleção tropical, porém com modelagem quarentinha; mesclou o retrô com o contemporâneo, e o resultado foi uma coleção super agradável aos olhos. As estampas de macaquinhos e de silhueta de mulheres que mais lembraram Carmem Miranda se fundiam a listras navy, mostrando uma coleção harmônica e ao mesmo tempo eletrizante, com a cara do verão latino americano.

O toque classudo da marca ficou por conta do comprimento no joelho, nos fazendo crer que essa modelagem em breve começará a despontar forte por aqui, em muito pouco tempo.

Pra ficar de olho na insistência da estamparia de frutas e bichinhos.

As cores escolhidas pela Prada foram Laranja, azul cobalto, verde Esmeralda, vermelho, preto, amarelo, branco, marrom, azul celeste e roxo.

Gostei desses óculos Wonka Fellings.

Jil Sander

O desfile de Jil Sander teve como inspiração uma mistura bem simples: cor e volume. A impressão que tive a cada modelo desfilado é que as roupas mais pareciam pára-quedas abertos. Tudo bem armado e volumoso; muitos deles só ficariam legal em mulheres magras e longilíneas. Em padrões normais de pressão e temperatura, digo, em mulheres normais, não funcionariam. Porém, os modelos que separei para exemplificar o que foi desfilado é bem usável, mas ainda assim, exige boa forma das queridas que desejarem fazer algo semelhante pra fechar na vida real.


Vi na coleção vestidinhos mini, nos joelhos, mas o forte mesmo da Sander foi o comprimento maxi.

Cores? Rosa choque, roxo, magenta, vermelho coral, azul vibrante, verde, amarelo e laranja, branco, azul escuro e preto. Quero esse batom rosa pra ontem!

Versus

A linha usável e comprável da Versace trouxe um jogo de estampas vibrantes de tartan que aos poucos se misturavam a estamparias florais. Ficou tão fofo, tão campestre, que deu vontade de ter um de cada.  Sem falar nos vestidos de color blocking, bem oitentinha, com bojo marcado.

Das peças exibidas extrai-se uma garota descolada, mas que já se sente uma mulher, e deseja exalar um pouco da sensualidade feminina, mas na medida certa, para não atingir o vulgar. Os comprimentos trazidos foram mini e midi, que novamente apareceu.

Cores? Amarelo, azul celeste, preto, vermelho, marrom, ocre, laranja e outras mais.

É a Versus mostrando que xadrez também se usa no verão, de uma vez por todas.

Marni

A Marni exibiu peças com uma forte influência esportiva, tendência já mostrada no inverno do hemisfério norte. A insistência se dá pelo fato de que peças nessa linha possuem a cara do verão, uma vez que trazem a praticidade necessária para toda mulher contemporânea. Cores fortes e pasteis deixaram a coleção jovem e leve, com todo o frescor necessário para aqueles dias mais quentes do ano.

Os comprimentos trazidos foram midi, maxi e acima do joelho.

As cores? Preto, branco, azul marinho, azul cobalto, bege, Pink, verde, laranja, cinza, amarelo, e turquesa, dentre outras.

Pucci

A Pucci teve como inspiração a costa italiana nos anos 70. E anos 70 lembram o estilo hippie. E é ele mesmo que aparece, repaginado, combinado com uma mulher que não abre mão da vaidade, mas que também não afasta a liberdade tão invocada naqueles tempos.

Temos então uma mulher sexy do Oeste, nômade(e eu diria globetrotter), que ama uma vida autêntica, impressa com sua personalidade. Com esse estilo em mente, pudemos ver na passarela botas acima dos joelhos com vestidos esvoaçantes de chiffon, terninhos com blazers bem estruturados aliados a bolsas boho, couro e franjas, e muito crochê. Linda coleção.

As cores exibidas foram basicamente branco, azul, marrom, caramelo, nude, pink, preto e azul claro.

Nº21

Taí um desfile apaixonante: peças simples, porém com cortes impecáveis, que fazem toda a diferença, no sentido de quebrar a monotonia de um look básico.

A paleta de cores da number 21 não foi ampla; basicamente exibiu uma coleção com muito preto, branco, e algumas poucas estampas, que ornaram shorts, vestidos, e conjuntos de saia longa e blusa, estes da mesma estampa. Nada inovador, mas tudo tão usável que dá vontade de levar tudo pra casa, e fazer várias combinações de peças.

Para mim o destaque ficou por conta do conjuntinho branco de saia assimétrica. Fresh and clean!

E assim terminamos o review de Milão. Foi bom enquanto durou, e comecemos a corrida com as próximas resenhas. Querem Paris ou Londres? Comentem!

A Primavera/verão 2011 de D&G e Dolce&Gabanna

Meninas!

Finalmente vamos correndo, voando, para o que rolou na semana de moda em Milão.

E começou logo botando quente: vamos falar de D&G e Dolce and Gabanna. Os designers das marcas são os mesmos…mas as coleções…quanta diferença!

A coleção D&G, pra mim, se superou: sabe quando você simplesmente quer tudo que foi apresentado na passarela? Foi a impressão que eu tive, enlouqueci por tudo!

Sinceramente, até admiro a alta costura, mas gosto muito mais do que pode ser usado na rua; passa mais realidade, e se aproxima de nossas simple lives

Pois bem. A primavera/verão 2011 da marca mais parecia um bosque, com flores e plantas emergindo de cada peça de roupa que despontava na passarela: flores gigantescas apareceram em minissaias, shorts, calças, vestidinhos; as mais miudinhas estampavam longuinhos fluidos, mostrando que a tendência campestre fica por mais uma temporada lá fora.

E o xadrez Vichy? Sim, teve ele também, ali, em vermelho e branco, super clássico!

Mas nem tudo são flores. A marca brincou com vários tons lisos também: teve verde esmeralda, vermelho, pink, branco, azul celeste, bege, verde claro, amarelo limão (neon fica!), roxo, lilás, ai, ai, ai, difícil é não gostar!


As sandálias plataforma são um show à parte, concordam?

Já a Dolce &Gabanna exibiu uma coleção com muito, mas muito branco, e cambraia, mas muita cambraia. Parecia Réveillon em praia, sabe? Não que isso seja uma coisa ruim… ficou perfeito!

Os designers deram à renda e à cambraia várias facetas; Elas foram usadas das mais variadas formas: desde aquelas parecidinhas com toalhas de mesa de Caicó, àquelas que se assemelham à lingerie. Divino!

Mas não é só isso (Polishop mode on!): teve animal print, com aplicações de rendas e cristais…e teve floral, com renda filé. Mais parece uma coleção das rendeiras de Caicó. Tudo perfeitamente copiável para nosso verãozinho que desponta quente, muito quente por essas bandas do nordeste!

No que diz respeito aos comprimentos, estes foram do curtíssimo aos longos, que ornaram shorts, sainhas, e vestidos.

Quanto às formas, a dupla de designers focou na sensualidade, na feminilidade, modelando as formas femininas, como ninguém. Os tecidos? Guipure, macramé, filé, crochê…todas as variações de renda: silk, organza, chiffon, stretch chiffon, linen, linen organza, brocardos e outros mais.


Tentei me controlar até o fim desse post….agora já posso pirar?

Inspire-se: visual das modelos em Milão

Garotas!

Estamos em plena semana de moda em Milão, e vocês sabem que, além do que surge na passarela, o look dos convidados e das modelos é parte integrante do show.

Fiz um uni-duni-tê e resolvi então mostrar pra vocês o backstage, o look das modelos, naquela correria que é semana de moda. E me encantei. Juro que pensei que estava olhando o lookbook, as meninas são muito estilosas!

Mas duas peças prevaleceram: jaqueta de couro e botas. Principalmente, botas; elas estavam em quase todos os looks!

No mais, as meninas prezam muito pelo conforto, até mesmo porque né, desfile é maratona, não dá pra ficar correndo pra lá e pra cá toda apertada, de curtxeenhos, como quem tá num red carpet. É roupa, bolsa e sapato pra bater mesmo!!!

Mas, o que eu realmente gostei foi que as meninas conseguem dar personalidade ao que vestem, é uma coisa meio que diga-me como te vestes que te direi quem és: tem modelo preppy, tem modelo boho, tem classuda, as romantiquinha, enfim, variedade total!

E tem as fashionistas(na verdade acho que todas são), que sempre dão um jeitinho de usar uma peça-chave da temporada:

E aí, gostaram? Copiável total, não acham?

Mas, me digam, qual  delas se destaca, ou quais delas se destacam mais?

Tô esperando comentários, tá?