Livros de Colorir, o novo boom entre os adultos

Eu nunca fui de um mundo em preto-e-branco, fato. Me lembro de muito pequena já rabiscando com lápis de cor todas as paredes da casa (e ninguém me bloqueando criativamente por isso), beijando com batom de todas as cores as capas dos discos de titia, e de ter bolsas coloridas e canetinhas das mais diversas cores (lembram daquelas canetas de 20 cores? Eu tinha!). Não sei se era porque meu tdah pedia coisas coloridas, e só assim eu voltava a atenção para elas, ou se era porque eu era mesmo uma menina que curtia um mundo em vários bits.

Apenas para comprovar  o que tô dizendo, vejam alguns rabiscos de cadernos de estudos de francês, e de quando eu estudava pra concurso, tudo de uns 8, 9 anos atrás:

cader

 

Em alguns dos cadernos eu usava giz de cêra, post-its de todas as cores, hidrocor, marca texto de cores diversas, e canetas coloridas. Ao fazer isso, parecia que tanto eu fixava o conteúdo como relaxava a mente ao mesmo tempo, tipo, estudar cansava, mas transcrever conteúdo com esse capricho e essas cores relaxava.

O tempo foi passando, e eu descobri outras atividades para preencher meu dia…porém recentemente descobri os livros interativos, sobre os quais falei pra vocês aqui no blog, e tô adorando. E mal entrei na vibe desses livros, eis que chegam para figurar na minha lista de desejos os livros para colorir, best sellers no mundo inteiro, e esgotados em quase todas as livrarias físicas do Brasil. Os mais famosos? Os de Johanna Basford, autora da Floresta Encantada, e do Jardim Secreto:

johanna

Jardim

Floresta

Comprei os dois títulos semana passada em pré-venda na Saraiva online, mas enquanto tava na especialização dei a dica pra uma amiga, e ela conseguiu encontrar um sobrevivente na Livraria Cultura física. Na parte da tarde eu já tava cobiçando o livro dela, e pedi até pra pintar um pedaço, super ansiosa pra que os meus cheguem rápido!

Florestabook

Sobre a explicação para esse novo vício dos adultos, eu tenho uma resposta muito simples: a atividade lúdica injeta serotonina direto na veia, e o ato de colorir aguça a criatividade, e oxigena o cérebro, através da autorregulação da atenção para a atividade presente…é o que a gente que pratica yoga, busca na meditação, a tal mindfulness. Tipo uma limpeza do nosso “disco rígido” seguido de uma formatada, sabem? Minha vida sempre teve o lado lúdico muito forte (tenho uma parede-lousa em casa, e vários toy arts, e camisetas divertidas, lembram?), então, pra mim, nada de novo no front, meu brainstorm sempre veio do fato de eu pensar fora da caixa, e acho que muitos “adultos”, que pensam como “adultos” encontraram seu “eu” nesse detox analógico, e resolveram trocar o Rivotril, ou Ritalina, por lápis de cor. E eu tô achando o máximo!

Além das ilustras da Johanna, também estão entre os mais vendidos no Amazon os livros da Angie Grace, e a série Color me…que já tem o Color me Calm, e o Color me Happy, dentre outros; tem também livros para colorir mandalas, gatinhos, roupas SteamPunk, Caveiras Mexicanas…O boom de livros assim tá demais, e se vocês quiserem aderir à onda, separei links das principais Livrarias Virtuais pra vocês darem uma olhada nos títulos disponíveis no Brasil (cliquem no nome das livrarias pra irem direto pra página dos livros de colorir: Saraiva, Cultura e Livraria da Folha). Quem quiser títulos gringos e num preço mais em conta, tem o Amazon, que entrega no Brasil, e sem imposto, porque livros não são tributados no Brasil. Clica AQUI pra ver alguns bem legais!

angiebooks

colorme

Tô querendo tipo todos, e vocês?

Um breve arrazoado sobre algodões orientais

Devo confessar a vocês que quando ouvi falar pela primeira vez em algodão gringo, fiquei muito irada, xinguei a Vic do Dia de Beauté até não querer mais. Contudo, o tempo passou, e achei um certo fundamento nos elogios aos algodões gringos, e fui atrás de algo vindo lá dos “japa”, que produzem tecnologia com preço bom pra brasileiro consumir. É, porque pagar cem Dilmas em algodão é lasca, né, só pra quem é rica e phyna, coisa que eu nem de perto sou.

Daí que eu pesquisei, pesquisei, achei uns exemplares baratos de algodões japoneses, e devo confessar: o negócio é diferente, minhas amigas, mesmo!

algodões_orientais

Já vejo vocês se indagando em casa: “diferente como, é de ouro, deixa você linda?” Não, não, em resumo, posso dizer que vale o que custa. Aqui no Brasil, pelo mesmo preço, a gente leva aqueles disquinhos vagabundos que arranham a pele da gente, não absorvem produto, e não removem resíduos… os exemplares “japa” não agridem a pele, não soltam fiapos, têm uma suavidade incrível, e uma absorção maravilhosa; vi exemplares que prometem inclusive hidratar a pele! Muito amor!

Além de todas essas qualidades, notei uma coisa: quando uso esse algodão com demaquilante, a sensação que fica depois é de limpeza; quando uso o algodão das bandas de cá, parece que entupiu meus poros com demaquilante + resto da maquiagem. Resultado? Big espinhas, só pra vocês sentirem como essa historinha de algodão brasileiro x algodão gringo não é balela.

Sobre onde encontrar, achei os meus no Ebay, mas acho que na Liberdade deve ter pelas lojas de beleza de lá…sobre algum exemplar brasileiro bem legal não achei nada, porém nada impede de vocês virem nos comentários e darem a dica, porque essa vida de esperar 30 dias por uma caixa de algodão é tão cruel, e até ridjiculoan, mas, se é pra pele ficar mara tenho que me virar como posso.

Bafón: Emmy Awards 2010 – Looks

Hello girls!

Eis que venho aqui mostrar para vocês os principais looks do Emmy. Se eu fosse definir o red carpet, diria que foi morno. Morno demais.

Muita gente ou usou preto, ou usou branco, com medo de errar. Meu Nossa Senhora dos Fashionistas, cadê o glamour do tapetão vermelho, cadê, cadê a ousadia?

Mas tiveram alguns looks-salvação, e adianto logo o melhor da noite: o vestido bapho cravejado de Swarovski de Maria Menounous:

Simplesmente lindo!

Batom laranja, oi?

Well well, vamos às gradações né? Começar pelos agradáveis, na minha opinião. Deixo a cereja do bolo(rsrs) pra o final.

Dando um start, os looks que tocaram meu coração: Brilhos e babados!O quarteto abaixo apareceu realmente com um look red carpet. Destaques para Claire Danes, de Armani Privé; Dianna Apron, de Carolina Herrera, de babados e rendas, lindíssimo, boudoir ao extremo; e Lea Michelle, num look polêmico, de Oscar de La Renta.  Digo polêmico  e intenso, porque despertou ódio em uns e amor em outros. Eu amei,  se pesasse uns 38 quilos, usaria totalmente, porque o bicho engorda e muuuito!


Como eu havia dito, teve muita estrela de preto, com um medo danado de errar. E se a intenção era essa, algumas  conseguiram o heróico(?) feito:

Destaque para Kelly Osbourne, num Tony Ward impecável. Pena que pareceu com o de Eva Longoria(Robert Rodriguez), cujo bordado,  por sua vez, pareceu com o cocktail dress de Heidi Klum(Marchesa), hahaha.

Glenn (abaixo) poderia ter dado um upgrade no look, mas é uma jovem senhora, não vou esculhambá-la, Hell no! Agora Kyra(vestido uma criação da designer fashionista filipina Monique Lhuillier) e a treinadora de Glee estavam super. Principalmente Kyra, que vestido lindo, queria um!

Agora, vamos às queridas que encomendaram seus vestidos à Jacques Leclair(muita caca pra pouco penico). O querido confundiu red carpet com casamento e formatura, e produziu looks que só iriam a estes lugares., como sempre(ti, ti, ti). E confesso que usaria para essas ocasiões, sim. No red carpet, no way – respeito com o glamour que o bichinho pede, já!

Agora, os mais legais(ou mais chatos, como queiram) da noite, aqueles que são capazes de brochar qualquer ser humano – e também de arrancar belas risadas – que foram piores que camisolão e calcinha rasgada no fundo…são eles:

Destaque para a txia com manta de voil(risos ao cubo!) e a amieega com um urinol na cabeça(de verde, embaixo) pra moldar o updo!

E pra coroar a noite, nossas discípulas de Lady Gaga, uma inclusive usando um modelito Alexander McQueen(adorado por Gaga), a Anna Paquin. January Jones foi de Atelier Versace, pena que estorou caneta bic com glitter no modelo antes dela ir por red carpet, e ela foi assim mesmo:

Então é isso amores, essa foi minha simplória opinião. Esperemos que eventos melhores venham, porque nesse o povo teve preguiça de se vestir dygna para o red carpet. Eu hein!

Miss you, Leighton, Diane Kruger, Jessica Alba, Penelope Cruz, e Angelina…