Como fazer a Salada no Potinho, ou Mason Jar Salad

O post de hoje foi decorrente de vários pedidos que minhas amigas fizeram, assim que coloquei no Instagram meu almoço de hoje; não era nada demais, era salada, mas a praticidade foi o que chamou atenção: ela vem em potinho de vidro, já toda organizada, só pegar e comer! O nome: salada de potinho mesmo, gente, ou mason jar salad, como chamam em território gringo.

Bom, a salada no potinho é uma maneira prática de a gente organizar nossas refeições, dá pra fazer pra semana inteira, colocar na geladeira, e todo dia tirar uma pra comer. Pra mim a salada disposta assim é uma maravilha, porque quando viajo a trabalho pro interior do Estado, sou meio fresca, não gosto de comer em todo canto, e não por sujeira e tals, mas porque geralmente comida de restaurante é muito oleosa, ou amanteigada, quem é do interior do Nordeste – ou visitante recorrente – sabe que isso rola. E, como minha alimentação do dia-a-dia não tem manteiga(ghee de vez em quando), pouquíssimo azeite, nada de sal, lactose ou glúten, pra evitar uma infecção intestinal assim de graça, tive essa brilhante ideia, que vi há uns meses no Pinterest e gostei bastante.

mjaramostras

E como montar essas saladas? Primeiramente, a gente vai precisar dos potinhos, de vidro de preferência, porque livra a gente do bpa dos plásticos; depois, organizar a salada seguindo uma ordem, não tão rígida, mas uma ordem que ajude na conservação do alimento e na manutenção do sabor.

Fiz um esqueminha ilustrado pra vocês verem como a gente vai montando os andares no pote:

mason jar ab

Bom, no fundo do potinho, na primeira camada de baixo pra cima, a gente coloca o molho, e aí fica ao critério do freguês. Na minha hoje eu pus mostarda e mel.

Na segunda camada, a gente põe os grãos, ou seja, grão-de-bico, lentilha, semente de girassol, mix de nuts, arroz sete grãos, ou integral, também vai do gosto de cada pessoa.

Na terceira, os vegetais que chamei t1, de doida mesmo, mas são aqueles mais durinhos, como brócolis, couve-flor, cenoura, cebola, alho poró…vale pôr aqui também milho verde, ervilha, semente de girassol, de abóbora…depois deles pode colocar os tomates, de preferência os cereja, que vão inteirinhos, e não soltam água como os cortados em rodela. Dá pra adicionar fruta também, como maçã, manga…

Na quarta camada vem uma proteínazinha: peixe, frango, queijo, carne, quinua, a depender também da preferência de cada um. Depois dessa camada, pode colocar um macarrãozinho, ou inhame, ou batata doce, enfim, um carbô pra dar uma forrada no bucho.

E pra finalizar, na quinta camada, folhosos variados! No meu potinho hoje eu coloquei rúcula, alface, e brotos de alfafa; deêm preferência aos orgânicos, eu sempre compro na feirinha agroecológica do Gramorezinho, que expõe em vários locais de Natal no decorrer da semana, é uma maravilha!

Me digam se não é o máximo isso? A pessoa fica pensando como não teve essa ideia antes…

E, se vocês acham que terminou, tenho outra dica quente pra vocês: seguindo a mesma lógica, dá pra fazer uma saladinha doce, e não falo das overnight oats, falo de saladinha mesmo. Coloca o molho doce, de mel ou iogurte grego por exemplo no fundo, depois uma fibra, e a seguir frutas diversas. Fica uma maravilha também!

Dada a dica, é esperar que vocês façam as saladas e coloquem a hashtag #saladanopotinhoDF pra eu colocar no Face do blog. Tô aguardando, viu?

Beijos!

 

 

Guloseimas: bolo funcional de abacate e chocolate!

ab_bolo_abacate

 

A galera que me acompanha no Instagram já sabe – pelas fotos que posto – que semanalmente eu faço um litro de leite vegetal pra tomar no decorrer da semana. Assim, eu fujo um pouquinho da lactose, e vou variando a ficha nutricional da minha alimentação. Só que quando a gente faz leite vegetal, ficam os bagacinhos do leite, e eu tinha convicção que dava pra preparar mais alguma coisa com eles, só não sabia que tipo de comida dava pra fazer…e aí que assistindo ao Bela Cozinha, vi que a Bela Gil preparou kibes com os bagaços do leite de amêndoas.

Mas eu queria uma sobremesa, e pensei que podia adicionar a um bolo, por exemplo, pra ele ficar fofinho. E não é que deu certo? Peguei os bagaços do preparo do meu leite de macadâmia, e fiz um bolo de abacate com chocolate delicioso, fofinho e doce na medida certa!

Querem receita? Então se preparem que lá vão os ingredientes:

1 xícara de chá de farinha de trigo integral, ou de mistura para bolos sem glúten(eu fiz o meu mix em casa)

1/2 xícara de chá de farinha de amêndoas(dispensável, mas tinha um saquinho aberto aqui em casa, e resolvi usar)

1/2 xícara de chá de açúcar demerara

1 pitada de sal(usei o vermelho do Himalaia)

1 xícara de chá de bagaço de amêndoas, castanhas (do Brasil ou de caju), aveia, avelã ou macadâmia(usei esse)

1 colher de sobremesa de fermento em pó

1/2 abacate amassado

2 ovos caipiras

50 ml de óleo de canola, ou girassol

Cobertura:

2 quadradinhos de uma barra de chocolate meio amargo

1 colher de sopa de melaço de cana

3 colheres de sopa de leite de macadâmia(no meu caso usei macadâmia porque o bagaço usado também foi de macadâmia)

Preparo da massa:

Primeiro, vamos misturar os seis primeiros ingredientes (sal, farinha, bagaço da macadâmia, farinha de amêndoas, açúcar e fermento), e reservar. Separadamente a gente bate bem os ovos caipiras(dica: para bolos, o ideal é que os ovos estejam em temperatura ambiente), depois acrescenta o abacate amassado e o óleo de canola, e quando tiver uma mistura bem homogênea, acrescenta o grupo das farinhas que a gente tinha reservado(ah, coloquei umas duas gotinhas de limão pra não ficar com cheirinho de ovo). Bate mais um pouco e põe na forma(não precisei untar nem polvilhar porque usei forma de silicone), depois leva ao forno a 200 graus por uns 30, 35 minutos e C’EST FINI!

Pra cobertura, derreti o chocolate meio amargo no microondas, e depois acrescentei o melaço e o leite de macadâmia pra ficar tipo ganache, e joguei por cima do bolo. Cabou-se, agora  é só se jogar, galera!

Sobre quantas calorias tem cada fatia, sinceramente, não conto calorias faz tempo, uma vez que alimentos nutritivos podem ser bem calóricos, porém muito, mas muito saudáveis. Por exemplo, só nesse bolo que preparei, temos fibras, ferro, ácido fólico, vitaminas A, C(vejam bem, ferro + vitamina C, absorção turbinada dos nutrientes) e E, cálcio, manganês, selênio, potássio e cobre…ufa, tem mais, mas não vou ficar enumerando porque o rol é extenso. Portanto, no que a gente tava falando mesmo, contar calorias?  Esqueçam!

Pois bem, vou ficando por aqui, e quem curtir receitas nesta linha mais saudável, pode deixar sugestões nos comentários que vou tentar trabalhar para fazê-las, ok!

#1smoothieaday: Smoothie acelerador do metabolismo

Se um dia a gente dorme, no outro acorda a 220 volts!!

O smoothie passado foi de camomila pra dar uma acalmada e ajudar a gente a ter uma boa noite de sono, e o de hoje é um pré-treino pauleira, principalmente pras meninas que se sentem mais dorminhocas antes de saírem pra malhar. Antes mesmo de partir para os ingredientes eu aconselho tomar essa vitamina até às 16:00 horas. É que o nosso organismo pode não assimilar bem o “nitro”(vulgo chá verde) desse smoothie, e ligar na tomada sem hora pra desconectar. Eu, como boa hiperativa, evito, sempre, senão é noite acordada na certa!

Mas chega de papo e vamos à receita de Rose Maria Braga:

Queria aqui só fazer um adendo sobre o chá verde: eu preparo o chá com limão e coloco em bandejas para gelar, mas para as que querem praticidade, a FarmaFórmula vende uns sachês termogênicos, que são justamente um combo limão e chá verde em pó (tudo natural, segundo eles, nada de bomba de rata de academia, eu condeno esses oxyelite da vida), que a gente pode acrescentar na receita, de boa.

Amanhã é nosso último smoothie e vocês ainda não me disseram de que é que vocês querem que eu faça!! Tô esperando nos comentários, viu????