Os 5 vestidos mais fechativos da Self Portrait

 

ABselfpor

Já ouviram falar da Self Portrait? Acho que assim, de nome, muita gente não conhece, mas basta um passeio pelas redes sociais das blogueiras e atrizes gringas pra se encantar com a marca, principalmente com os vestidos de renda e guipure fabricados por Han Chong, que entrou no ramo da moda há dez anos (sendo co-fundador da Three Floor), e não fazia ideia que a Self Portrait iria estourar quando pôs à venda peças no Net-a-Porter, e na Bergdolf Goodman. Simplesmente as peças voaram, e não raro a gente topa por aí com alguém do Insta usando suas produções.

Observando os modelos à venda, a gente nota que Han faz a linha ladylike, ora assumindo uma pegada mais romântica, ora dando um toque de modernidade. Separei os cinco modelos de vestido que mais curto na marca pra mostrar por aqui:

 SP5

SP4

SP1

SP3

SP2

O mais legal é que esses modelos já ajudam quando o ponto é resolver que look usar no fim do ano, né? Então, toma aqui minha dica pra vocês fãs de renda, guipure e similares, corram pras costureiras mais próximas que eu acho que ainda dá tempo!

Beijos!

Do dia: shining yellow!

Sabadão, calorão, nada melhor que sacar do guarda-roupas um look fresquinho, de boa mesmo, sem muita frescura. Vocês sabem, nem todo dia a gente acorda com aquela vontadona de escolher minuciosamente um look, então, a vida se resolve muito fácil, com peças mais simples, como hoje, em que elegi esse combo top em guipure + shortinho destroyed:

guipureyllow3

guipureyellow1

guipureyellow2

Como já tinha falado no post anterior, essa combinação, bem descomplicada, promete bombar na primavera/verão 2015; se preparem, vocês vão ver MUITO daqui pra frente. E faço inclusive um desabafo: até que enfim a gente tá percebendo que não dá pra levar a VIDA inteira montada, de saltão agulha, 3 quilos de base, vestido bandage, e cabelo sem um fio fora do lugar. Essa primavera/verão vem pra mostrar que a simplicidade é sinônimo de felicidade. Afinal, uma temporada alto astral se aproxima, e ninguém vai passar horas na frente do espelho quando poderia estar na beira da praia curtindo um sol, fazendo stand up paddle, dando um rolê nos parques…Here comes the sun, and it’s all right!

Sobre os créditos, o top é Tia Alice([email protected] para informações de preço e disponibilidade), o shortinho, Riachuelo, a sandália, Couro & cia., os óculos, Forever 21, e os colares e pulseiras feitos por mim, à exceção da pulseira tribal e do tercinho, que comprei no Ebay.

Espero que tenham gostado, e vem mais looks essa semana, fiquem ligados!

assinatura2

Revirando o guarda-roupas da mãe: em busca do top perdido!

Sim, sim, esse é mais um post que traz uma peça que a gente pode achar fácil revirando roupas antigas de nossas mães, e avós. Meninas, se preparem, que o top curtinho de crochê/renda/guipure vai explodir na primavera/verão!!

E como eu sei disso? Pura observação! Vejo um look num festival ali, uma olhadinha nas celebs aqui, leio umas revistas gringas, pesquiso sobre moda anos 70, e pronto, a aposta vira post aqui no blog!

Não, o crop top não veio do verão passado. Sim, ele mais antigo do que a gente imagina! Sabe as pin ups? E as belly dancers? Pois bem, essas meninas já desfilavam de barriguinha de fora por aí, de top e shortinho hot pants. Ou seja, nada de novo no front.

Especificamente sobre o crop top do post de hoje (em renda, guipure ou crochê), tenho uma foto aqui bem antiguinha, de 1969, com a Jane Birkin usando. Nunca um look foi tão atual, e digo mais, se preparem que a gente vai ver muita gente andando assim por aí em breve!

birkincroptoplace

Como eu já disse dia desses por aqui, estamos em tempos maravilhosos, podemos vestir o que der na cabeça, não importa onde fomos buscar referências. Ou seja, a gente cata uma saia midi lá dos anos 50, bota um top de crochê bem anos 70, e pronto, estamos lindas!

Isso é o bacana, a democracia do estilo, que inclusive vai além da mescla de tendências de épocas diferentes; ela abrange também todo tipo de corpo. E o que eu quero dizer com isso? Que você, amiga mais cheinha, pode usar qualquer peça que você quiser, inclusive o top cropped. SIM, o top cropped. O segredo do estilo tá em uma coisa bem simples: bom senso.  A gente vestindo o bom senso antes de qualquer peça, torna o look à prova de erros.

Particularmente, eu amo uma produção que tem crop top e pantalonas, calças, shorts, e saias que cubram o umbigo. Mas é só uma questão de gosto, já que o umbigo, segundo o que ando pesquisando, tá descarado mesmo, vem aparecendo com força nas montações. Quem sabe daqui pra começar a primavera/verão eu ache um jeito de mostrar o umbigo de uma maneira mais estilosa e menos É o Tchan…vou estudando, me montando em casa, testando, e quando eu descobrir, tiro foto do look procês.

E pra gente já ir entrando no clima (quem mora no litoral do nordeste já sabe, looks de verão eternamente hahaha), separei muitas fotos de meninas mostrando como a gente pode usar crop top em guipure(que eu amo), renda, e crochê(que eu amo parte 2), e lacrar nessa temporada linda que vem chegando:

topparte1

topparte2

Tantas possibilidades né? Assim fica até fácil fazer uma composiçãozinha com o top…tão preparadas?

assinatura2

Shortinhos e sainhas básicos? Que nada, eu quero é customizar!

Mais um post que puxa a gente pra botar a mão na massa. Tudo porque prefiro mil vezes customizar uma peça, do que comprar uma roupa nova. Bom pro bolso também.

Acho que sou meio louca, mas quando eu modifico alguma peça minha, passo a semana inteira usando, como se fosse uma peça nova bem amada. E isso vem desde muito nova, quando eu aplicava bordados em shorts, abria calças jeans e colocava “nesgas” em crochê pra transformá-las em boca-de-sino, e assim por diante…é muito vício em renovar peça, muito!

E na tentativa de passar esse meu vício pra vocês(é do bem, c’mon), separei várias imagens pra gente extrair dicas para reformar aquele short jeans velhinho(ou um novo, básico), e até uma saia que você ama e não quer se desfazer, apenas repaginar:

Confesso que tô bem alucinada com o short de camadas de guipure. Já até comprei uma peça lacrada de bico de guipure, mas não tô achando o brim do short(que vou costurar), na cor exata, o blush. Tá bronca, mas eu sou persistente e tenho fé de um dia achar de bobeira nas Casas Cardoso. Assim que achar, e aprontar, mostro aqui pra vocês, ok? Ah, e quem quiser vídeo mostrando como faz, grita aqui que eu faço!

Mas me contem, qual das dicas acima deu vontade de seguir? Pérolas no shortinho jeans? Rendinha na barra?

VSMT: Tia Alice, dia 28.

Acreditam que já tô ficando triste porque esse projeto tá no fim, e eu ainda tinha muita coisa legal pra mostrar pra vocês?

Mas, faz parte, vamos às peças de hoje: uma calça de linho, que só eu e algumas poucas meninas seriam corajosas para usar(veio numa revista manequim do começo desse ano, e eu endoidei e bati pé pra titia fazer pra mim), e uma blusinha de cetim com guipure, que eu tenho mais ou menos há uns 10, 12 anos.

Essas regatinhas de cetim são uma espécie de curinga do guarda-roupas, e ajudam muito naqueles momentos de dúvida, em que você não sabe o que usar na parte de cima da composição de um look. Como aprendi com o Kaiser que guipure vem com tudo(vide chanel cruise 2012), óbvio que fui à caça aos tesouros que estão no meu guarda-roupas e voilá, achei essa blusinha-puro-amor, feita por Tia Alice também!

Os detalhes, foram poucos, até mesmo porque trouxe poucos acessórios, e o detalhe do guipure é chamativo: cintos Renner(o truque de usar mais de um cinto tá no auge total), e sandália abotinada Arruda. Pulseiras, feitas por mim, e o decenário, comprado no e-bay:

E é isso, espero que tenham gostado!

Ps: fiquei tão feliz quando Tia Alice fez minha calça, e eu achei essa imagem da Karla, do blog Karla’s Closet com uma bem parecida! Como ela é mignon, e tem pernona, bundona, bem abrasileirada, e tava com essa calça, criei coragem pra usar a minha sem medo de ser feliz!