Resumão NYFW S/S 2015, parte 3

Com um atraso meio giga, simbora correr pra falar mais um pouco sobre os desfiles do NYFW prêt-à-porter, começando pela Sophie Theallet, designer preferida da Michelle Obama, que veio com uma coleção que de cara a gente detecta de onde veio a inspiração: Jamaica. Ora, as estampas tropicais nas peças, a escolha por unir o verde, amarelo, e o vermelho em acessórios, e o reggae tocando na passarela tornam claro que o estilo ultrafeminino da marca tirou umas férias nessa Ilha que nos deu Bob Marley de presente. Amei os vestidos trazendo a cintura marcada, e as estampas escolhidas por Sophie Theallet, usaria tudo de boa!

 

NYFW2015sophietheallet

 

 

Monique Lhuillier: a gente tá cansada de ver celebridades usando os vestidos da Monique no red carpet. Ela, assim como nossa amada Luísa Marillac, esse ano resolveu fazer diferente, dando preferência a uma coleção mais voltada para looks diurnos, com inspiração na Ilha Harbour, nas Bahamas. O resultado de sua viagem facilmente é perceptível na coleção, com peças em tons de lavanda, blush, azul, tudo lembrando as manhãs, as tardes, e o pôr-do-sol no destino paradisíaco. E, ainda que ela tenha dito que o foco eram os looks do tipo “dia”, vi muitos vestidos que certamente aparecerão nos próximos red carpets, talvez hoje mesmo, no Grammy. Aguardemos.

 

nyfw2015moniquelhuiller

 

A coleção apresentada por Erin Fetherston talvez tenha sido uma das mais bonitas e usáveis que vi na passarela. Sua inspiração teve como ponto de partida estamparia botânica sessentinha, buscada lá no acervo de roupas de sua avó. Mas, se por um lado temos uma estamparia vinda do passado, por outro temos o neoprene, tecido moderno, usado na confecção de crop tops, e saias-lápis. Os comprimentos foram os mais variados, mas que curtos e midi imperaram. Amando que o midi veio pra ficar, e não dá nem indicativo de ir embora. Maravilha!!

nyfw2015erin

 

DKNY deu com força no comprimento midi, nas peças oversized, e nas listras. Definitivamente veremos muitos looks mais folgadinhos, vi em vários desfiles, e se liguem, peças com volume têm sido recorrentes. Anotem essas dicas, pra depois não dizerem que não avisei! Mais especificamente falando da coleção apresentada por Donna Karan, seu tema foi claro “New York Nation”. E como cidade que abriga gente de todas as raças, credos, classes sociais, as peças apresentadas têm esse caráter “tudo junto e misturado”: listras dos uniformes de jogadores de rugby, estampas caleidoscópicas, flatforms e tênis pra caminhar pelas ruas sem hora para parar, e vermelho em saias volumosas para exalar feminilidade. DKNY trouxe o streetwear pra moda, mostrando que não só a passarela inspira a rua, mas, ao revés, a rua também inspira a passarela.

nyfw2015dkny

 

 

Desigual: A Desigual, nem adianta negar, com essas coroas de flores na cabeça das modelos, já torna evidente a inspiração da marca: México e Havaí. Ilhas e lugares de clima tropical serviram de inspiração pra muita gente, e eu, claro, como boa fã de estampa, tô amando tudo!

Christian LaCroix denominou a coleção “Say Something Nice”, e, decorrente desse título bem alto astral o que se viu foi uma explosão de cores, em listras e estampas, em especial as de hibisco. Destaque para estampas com flores e grafismos azul cobalto, mostrando que a vibe da estamparia do azulejo português tá longe de ter um fim.

nyfw2015desigual

 

Carolina Herrera: nada é tao clichê nos desfiles primavera-verão quanto a estamparia com florais. Isso não é uma coisa ruim, mas a repetição não é tão boa. E Carolina Herrera, rainha dos florais, sabe disso, e, muito embora tenha investido mais uma vez nesse print, resolveu dar uma roupagem mais tecnológica, usando e abusando das flores digitalizadas em seus vestidos, saias, e  conjuntos, e investindo em bordados com materiais menos óbvios.  A mulher de Herrera continua a mesma, transpirando feminilidade por todos os poros, e bem por isso não vai demorar para vermos queridinhas da marca, como Camilla Belle, Marion Cotillard, Renee Zellweger, e Julie Bowen, usando seus looks nos tapetes vermelhos por aí.

nyfw2015carolinaherrera

Pra vocês não cansarem de ler o post, vou ficando por aqui, e em breve venho com a quarta e última parte, e com breves highlights das semanas de moda européias.

Ah, lembrando que mais tarde no Insta do blog tem cobertura do red carpet do Grammy, não percam que é diversão total! : )

 

Sorteio de cardigan Tia Alice no twitter e vídeo de como usá-lo.

Hello Gals!

Como muitas de vocês deve estar sabendo, tá rolando um sorteio barra no twitter do blog(@devaneios_f). O prêmio? Um cardigan cozy Tia Alice, bem parecido com esse da foto abaixo:

Para concorrer, basta retuitar a frase seguinte: Eu quero um Cozy Tia Alice que o blog @devaneios_f está sorteando! http://kingo.to/AYV

O sorteio vai ser dia 21 de maio, e será feito pelo Sorteie-me.

E para vocês não subutilizarem o mimo que vão ganhar, segue vídeo da DKNY( que imortalizou o cozy) ensinando inúmeras maneiras de usá-lo. Dá pra andar cada dia com um jeito diferente!

Boa sorte a todas!

NYFW, ss 2011, parte 2, a missão

Voltei!!!! E como o prometido  e desprometido mil vezes, finalmente vamos resenhar sobre a parte 2 da semana de moda em NY, mostrando que passou de legal por lá.

Preparadas?

De La Renta

Tem como não gostar da coleção de Oscar de La Renta? Mostrando que a onda cinqüentinha permanece, a grife mostrou muita cintura marcada, cardigãs, e saias-lápis na passarela.

Sem falar que teve muito rosa, nude, e o clássico duo preto-e-branco.

Sobre os vestidos de festa, ah os vestidos de festa! Aposto que não vai demorar para uma celeb usar um dos modelos abaixo, PRINCIPALMENTE, os de um ombro só, e o tomara-que-caia com rosas(a cara da riqueza da Grace Kelly né?)

Diane Von Furstenberg

A diva que mudou a vida das mulheres práticas com seu wrap dress exibiu uma coleção fluida, e funcional, como sempre.

Os destaques dessa vez ficaram por conta das estampas de ondinhas, de quebra-cabeça(fofo!), do capuz, e da cor azul turquesa, que em vários modelitos fez par com o marrom.(combinação super harmônica)

Diane prestigiou estampas óticas bem sessentinha, e não houve um modelo que não fosse estampado.

As peças? Macaquinhos(com modelagem emprestada do wrap dress), macacões, calças molengas e shortinhos mostraram uma coleção bem mais destinada ao verão dos trópicos que qualquer outro desfile.

Ah, e ia me esquecendo: é claro que DVF jogou sua primadona na passarela. O wrap dress apareceu novamente, mas eu esqueci de colar a foto pra vocês. My Fault, my fault…

A cara do verão brasileiro, né não?

DKNY

Já Donna Karan apresentou uma coleção que deu vontade de carregar tudo pra casa e começar a usar djá!

Coleção fluida, com muitos, mas muitos, babados, ornaram os vestidinhos curtinhos e camisas, que vieram em cores vibrantes, e fizeram par com cores neutras, como não poderia deixar de ser.

Agora, a peça que mais me agradou foi a saia cáqui; parecia aqueles enfeitinhos de artesanato (principalmente potiguar) que são feitos com um tecido sobrepondo aos outros, de maneira que fica em forma de flor, sabem? Uma peça original, que não precisa de nada além de uma basiquinha e um sapato bapho!

As cores? Como disse, cores vibrantes, e os clássicos preto, branco e cáqui.

Se jogam or not?

Herver Leger by Max Aria

Quando se fala em HL o que vem à cabeça?  BANDAGE DRESS, óbvio!

Mas ele apareceu tão, mas tão diferente que não reconheci. Tanto em textura quanto em forma, os vestidos Herve vieram um pouco menos piriguetxy, e teve até vestido estruturado com babadinhos! Choquei!

Quem te viu quem te vê!

Jason Wu

Jason Wu, pra mim, arrasa. E, apesar de ter dito que a primavera é uma estação perigosa, em termos de criação, ele resolveu investir em modelitos que realçavam a sensualidade feminina.

O stylist apostou no estilo ladylike(novidade nesta estação! ó!!), e tendo como inspiração a artista tupiniquim Beatriz Milhazes, desfilou uma coleção repleta de transparências, saias ajustadas, e pantalonas e jaquetas, why not? O hi-lo é sempre preciso, pra não se tornar um clichê.

E os acessórios, ah os acessórios, eram carteiras de mão, sapatos cinqüentinha, e óculos retrô, estilo gatinho. Já quero tudo!

Reparem no turbante, bem Carrie!

Marc by marc

A Marc by Marc é a seção prática de Marc Jacobs. As coleções são pra rua mesmo, pras guéls usarem no dia-a-dia!

Nesta estação, MJ se afastou um pouco do estilo militar, e chega junto numa coleção bem prainha.

Criações cheias de frescor e cores fluo enfeitaram as passarelas, que mais parecia uma reunião em plenos anos 70, que um desfile em pleno 2010, expondo a coleção de 2011.

Marc levou para a coleção o estilo new sport, silhueta ladylike, roupitchas bem girlie e cheias de frescor, e cabelitos bem à la “Malandrinha”.

Bapho!

Marchesa

Taí uma palavrinha mágica que arrebanha milhares de celebs: Marchesa!

Sou suspeitíssima pra falar da marca, porque pra mim cada mergulho é um flash!

Rosa seco e preto imperaram na passarela, ornando vestidos que pareciam origamis, cheios de dobraduras. Sem falar no vestido de caudinha, que já andava bombando por aí com Blake e Jessica Alba(falei no blog!)

Leeendo!

Max Aria

Max Aria desenha pra sua marca própria e pra HL, mas nem aguardem uma coisa Herve na grife própria de MA, que não tem!

Claro que por ser coleção de primavera verão os curtinhos reinaram soberados, em formas leves, com balanço, e em cores ora beem chamativas, ora clássicas, coisa bem oposta mesmo.

Muto tomara-que-caia, rendinhas, vestidos de um só ombro dominaram as passarelas. Confesso que pus a mão na boca pra bocejar porque tava tudo muito igual, mesmo modelo, apenas em várias cores.

Confiram com seus próprios olhos!

Então é isso queridetxes, vamos agora nos preparar para a terceira e última parte, e que o Senhor do Tempo me ajude pra eu colocar as novidades das outras passarelas(Paris, Londres e Milão pra vocês)