Inventando moda: Camiseta com cruz animal print Urban Outfitters

O vídeo de hoje, já dá pra saber sobre o que é, né? Cobrança antiga de vocês, resolvi sair da zona de conforto dos posts, e finalmente soltar o vídeo ensinando a fazer essa camiseta “sensa” do momento!

Super fácil, e partindo do mesmo princípio, dá pra inovar várias básicas que vocês têm aí no armário. Enjoy!

Sei que tô devendo outros vídeos, mas vamos por partes, como diria Jack, o estripador.

Os cortes de ontem, hoje e sempre…

Se eu pudesse perguntar a todas as mulheres do mundo qual seria a maior preocupação de beauté delas, certamente boa parte diria que são os cabelos. Quem tem liso quer cachear, quem tem cacheado quer alisar, todas querem hidratar, e muitas querem cortar…e quando se fala em corte de cabelo, vem a dúvida cruel: que corte escolher?

E vez ou outra a gente vê por aí alguma celebridade com corte de cabelo novo, e nem suspeita que ele nada mais é que uma cópia de algum corte imortalizado por uma diva de tempos idos. Duvidam? Vou prova pra vocês aqui, e agora!

Vem comigo!

Louise Brooks: quem não chocou quando viu a Mayana Moura na novela de Globo com esse cabelo? Pois saibam que foi inspirado no corte da Louise Brooks, a atriz preferida do Charlie Chaplin, diva dos anos 20. E não foi só Mayana que adotou não; Katia Holmes já apareceu por aí como cabelinho no mesmo estilo.

Mia Farrow: o pixie cut, criado por Vidal Sassoon(na imagem tá escrito errado, relevem) para a diva Mia Farrow(que foi ao salão logo após uma discussão com Frank Sinatra) teve um revival recente, através de Emma Watson. Mas antes de Emma, Michelle Williams já tava adotando esse corte.

Audrey Hepburn: linda franja, mas restrita a rostos muito bonitos. Esse só pega bem em quem tem um rosto muito simétrico, como a Audrey Tatou, e a Penélope Cruz. E a própria Audrey, é claro!

Brigitte Bardot: Pra mim Brigittona é referência em tudo: na moda, em matéria de maquiagem, e principalmente quando falamos em cabelo, seja corte, seja em penteados. Diva é diva, não tem como.

Farrah Fawcet: taí um corte de cabelo que eu adoro levar pra o salão. Em camadas, quando se escova fica luxo, poder e sedução. Me lembro muito bem quando Madonna resgatou o estilo da eterna Charlie’s Angel, e eu só queria escovar desse jeito, achava o máximo!

Annie Lennox: se você só lembra da Annie Lennox por causa da música “No more I love You’s” precisa conhecer mais sobre a carreira dessa cantora maravilhosa(e do grupo Eurythmics, do qual fez parte)!

Mas, se não tá muito a fim de conhecer, digo a vocês que seu estilo boyish-descolorido faz a cabeça da Agyness Dein há muito tempo, e não somente dela, porque já vi muita modelo com esse mesmo estilinho da Annie:

Jerry Hall: nem é preciso ir muito longe pra ver quem copia o estilo da Jerry:  sua própria filha,  Georgia-May Jagger. A Jerry tem um cabelo poderosíssimo, pesado, longo, volumoso. Parece uma leoa.

Jane Birkin e Françoise Hardy: e você aí pensando que cabelo “podrinho” e com ombrés é super atual, né? Que nada, Jane e Françoise já usavam faz muito tempo! Reparem na franjinha, marca registrada das duas. Mal de francesa, ser estilosa até quando não se quer ser…

Cortes atemporais, que até hoje fazem a cabeça das mulheres.

Olheiras, tem jeito?

Esse é um dos grandes enigmas da humanidade…mas eu tento,  juro que tento, e toda vida que acordo com aquele aspecto de Panda, corro em busca de soluções que amenizem as temidas olheiras.

Afinal, quem gosta de ficar com aspecto cansado, quando não se está cansada? Ninguém né?

As olheiras têm muitas causas: genética, dietas mais rígidas, stress, exposição ao sol, cansaço,   a idade chegando, pele fina e clarinha, falta de cuidado na área dos olhos…e a grande verdade é que é muito difícil acabar com elas.

Contudo, dá pra amenizar, isso é totalmente possível. E para o caso de falhar o plano A(suavizar as olheiras), a gente parte pra o plano B, que explico lá embaixo.

Pra começar, durante nossa sessão de SPA caseiro(vai dizer que você não tira um diazinho em casa pra se cuidar?Meninas, meninas, estou de olho!),  dá pra fazer algo em prol de olhos mais luminosos, e sem círculos escuros ao seu redor: compressas geladas com chá de camomila , ou soro caseiro por 15 minutinhos, e máscara de pepinos podem dar um resultado bem satisfatório!

Mas uma coisa é fato:  não dá pra fazer isso todo dia. No meu caso, como nem sempre tenho tempo pra fazer isso, uso meu roll on da Garnier,  tão logo chego no trabalho, de manhãzinha, e faço uma rápida massagem, sempre de dentro pra fora. O macete é colocar no frigobar uns 10 minutinhos antes, e passar nos olhos, dá uma sensação de frescor tão boa, affe….. Ah, e o efeito é imediato: o aspecto de cansaço some, e as olheiras são suavizadas.

Pra quem ficou curiosa, e quer saber onde comprei, clica nesse Link, que sai direto no site do cosme-de, o paraíso dos produtos de beleza. E para as que não dispõem da cartão de crédito internacional, tem novidade boa: o all about eyes serum, da Clinique, e o Revitalift, da L’oreal, são vendidos no Brasil, e dão o mesmo efeito. São esses aqui:

Aliado aos truques acima, também é importante ter um creminho para a região dos olhos. Agora, tem que ser disciplinada, e passar diariamente. Eu tô gostando atualmente de 3: o Renew para área dos olhos da Avon; o White Perfect, da L’óreal; e esse do ursinho, que comprei no Cosme-de e vem até um bastãozinho para fazer massagem na área ao redor dos olhos. Adooooro!

Agora, se mesmo seguindo essas dicas, sua cara da Panda ta lá, linda e loira, corramos para as montanhas maquiagens: o corretivo é seu melhor amigo.

No meu caso, eu tenho uma paleta para as corretivólatras, da Benefit, a confessions of a concealaholic, muito completa: tem um corretivo no tom da minha pele; um mais escuro para áreas mais sombrias(ou você pode misturar os dois até atingir seu tom); vem também uma Erase Paste, para esconder olheiras com maestria; um creme amarelinho, o Lemon Aid, para encobrir a vermilhdão das pálpebras,  e espinhas; e um iluminador para o canto dos olhos, o Bright Eye. Como vocês podem ver, uso demais essa paleta, acho que foi minha melhor aquisição em termos de maquiagem. Pensem num negócio  prático!.

E se depois de tudo isso, minhas amigas, vocês acham que as olheiras precisam mesmo é de um tratamento mais sério, no mercado já temos várias possibilidades: o laser, que atua no sistema vascular ou na pigmentação da pele; o peeling com ácido;  e a carboxiterapia, que melhora a irrigação e nutrição celular, e ao mesmo tempo melhora a flacidez da pele. Esses são apenas alguns dos tratamentos possíveis, mas, se for o caso, aconselho o post mais que completo da minha amiga Meire, do blog Salada Médica, que fez um manual completíssimo sobre olheiras. ClicaAQUI, pra ver!

E é isso, espero que tenha gosta do post, e quem tiver diquinhas espertas para combater ou amenizar as olheiras, favor deixa r nos comentários, são super bem vindas!

Ok, tenho uma Le Pliage. Porém, como usá-la?

Esse questionamento me veio à mente tão logo eu adquiri aquela que seria meu desejo mais imediato assim que soube que iria passar por um freeshop na minha vida: a bolsa Le Pliage, da marca francesa Longchamp.

Feita em Nylon, com alças de couro, montar um look com essa bolsa é muito delicado; qualquer deslize te deixa com cara de “fui às compras”, ou “sou revendedora Jequiti”; é que a bichinha, apesar de ser ultraconfortável, prática e de ótima durabilidade, não tem lá aquela aparência bacanésima. Mas caiu no gosto das estilosas, e o blog, é claro, vai dar diquinhas práticas de como usá-la!

Let’s go? Pera, pera, pera, pera, pera!!!

Na verdade separei várias imagens para vocês, e uma dica geral: como a Le Pliage tem pegada esportiva, o ideal é combiná-la com alguma peça(ou várias) mais arrumadinhas: blazers, casaquetos, camisas estilo alfaiataria, flats, bermuda mais arrumadinha…enfim, o extremo oposto ao estilo da bolsa, aquela velha historia do hi-lo que eu tanto falo por aqui.

Vocês podem constatar pelas fotos o que tô falando: sempre uma peça mais “arrumadinha”, “preppy” vai estar presente no look.

Observem comigo:

Pra finalizar, Whit. Port usando a Le Pliage, que tem muito cara de viagem mesmo. No aeroporto vi várias meninas carregando suas coisinhas nessa bolsa babadooo:

E aí, gostaram das diquinhas?

Guloseima da vez: Palha italiana adaptada

De antemão, vou pedindo: não me culpem!!! A culpa é toda de Helena, minha amiga, que levou pra o trabalho uma amostra desse negócio tão gostoso que é a palha italiana. Na mesma hora me veio uma vontade de passar a receita pra vocês, principalmente por ser super prática, coisa pra fim de semana de bobeira à tarde mesmo.

A receita levou uma leve adaptada porque não curti isso de melar no açúcar um doce que já é doce em seu conteúdo. Assumo, não sou lá aquela formiguinha e, apesar de ter dado umas 30 porções mais ou menos, só provei duas, acreditam?

Ah, antes de ver a receita vão me desculpando porque coloquei nas fotos que a bolacha era “Maizena”. Só que Maizena Lara, com “Z” é a marca, ou seja, como não quero sugestionar vocês a comprar determinada marca, o certo é maisena.

Mas, chega de conversa e vamos à receita:

Meninas, acrescentei os ingredientes, porque uma leitora querida lembrou aí abaixo, nos comentários. Quando eu digo que meu mundo particular de introspecção aumentou, ninguém acredita..simplesmente esqueci de subir essa imagem, :P

Resumindo: palha italiana é brigadeiro com biscoito e decorado com açúcar. Capiche?

Quem fizer a receita, ou tem algum toque pessoal bapho pra palha italiana, me conta aqui nos comentários, tá?

Tenho o jeans, mas qual o sapato ideal?

Pode parecer bobagem o título desse post, mas quando vocês testarem constatarão: existe sim um tipo de calçado ideal para cada tipo de jeans. Quando eu digo jeans, digo calça jeans.

É que, dependendo da modelagem de denim que se use, o calçado pode favorecer, ou acabar destruindo as linhas da calça que você escolheu com tanto critério quando foi à loja, provou, e etc..

Assim, para dar aquela ajudinha básica, separei alguns tipos de jeans mais conhecidos, e mixei com imagens que mostram, na prática, o que fica mais legal com cada um. E nada de exemplos surreais: busquei imagens de streetstyle pra mostrar como é que faz. Afinal, o look de rua é nossa melhor referência de moda atualmente, mais que qualquer editorial Voguístico.

Contudo, antes de ir ao ponto, um aviso: claro que vocês não devem levar isso como regra, são apenas sugestões, resultado do que aprendi tanto com essas imagens que compartilho com vocês, quanto por vivência própria. Afinal, quem nunca deu aquela “obrada” básica no look quando fez alguma má escolha no sapato pra combinar com o jeans nosso de cada dia?

E chega de papo e vamos ao que interessa que o post não é pequeno :)

Calça de perna reta, ou straight leg jeans: é a modelagem mais básica de todas. Não tem elastano em sua composição, e era o jeans que mais usávamos antes de aparecerem as benditas skinny. Seu corte favorece praticamente todas as silhuetas, e por isso ele é o grande queridinho dos consultores de moda por aí afora. Quer um desses pra trabalhar? Escolha um de lavagem mais clássica, escura, e terás uma peça-chave dentro do armário.

Sapato ideal: Flats e saltões caem super bem como ele. Como fazem pano embaixo, se for usar com ankle boots, prefira o comprimento cropped, obtido dobrando a barra. Assim, você dá seu toque pessoal, e nem por isso deixa de usar suas ankle boots, ou open boots do coração!

Jeans Boot-Cut: outra modelagem que favorece muitas silhuetas. O jeans boot-cut é assim chamado, porque projetado inicialmente para os cowboys “esconderem” suas botas sem marcar. Não chega a ser boca-de-sino, vez que a abertura a partir dos joelhos é bem discreta, apenas o suficiente pra caber a bota mesmo. Quando for comprar esse tipo de calça, preste atenção no tamanho. Não deixe ele arrastando no chão, vai te deixar mais cheinha e vai dar o efeito oposto ao que ele se propõe.

Sapato ideal: Botas, claro, e todos os tipos de salto: scarpins, pumps, anabelas, plataformas… Flats não são recomendadas, a não ser que você seja super alta e deseje encolher a silhueta.

Skinny Jeans: o jeans skinny, rico em elastano, por natureza é uma modelagem que não privilegia todas nós. Popozudas? Deixem em casa! O skinny é pré-projetado para meninas longilíneas, e sem muitas curvas. Ou, acaso desejemos muito usá-lo, dica quente para nós brasileiras não cairmos na exclusão: quando da compra da calça skinny, para ela não ficar “torando”, ficar mais clássica, comprem uma numeração acima, e na lavagem escura. Como ela é colada, você não corre o risco de a calça ficar “sambando” mesmo sendo maior que sua numeração, e de quebra toda gordurinha será bem acondicionada.

Sapato ideal: saltos altos, do tipo pump, ankle boots e scarpin fica sensacionais; se no mesmo tom da calça, alonga a perna, formam uma extensão dela. As flats também vão bem, e botas de cano alto melhor ainda, já que, pelo fato de o jeans skinny ser justinho, não vão se formar aquelas dobras hororrosas que geralmente aparecem quando usamos calça sem elastano com bota.

Boyfriend jeans: o jeans do namorado virou sucesso depois que celebs - como Katie Holmes – passaram a aparecer com eles, geralmente fazendo hi-lo com uma peça mais clássica na parte de cima, como cardigans, casaquinhos de tweed, e twin-sets. E querem saber? Amo! Conforto é bom e todo mundo gosta!

Sapato ideal: Sandálias, open boots e flats ficam muito bacana com boyfriend jeans. Como é um jeans despojado, com jeitão das antigas calças baggy(só que com nome novo), ele pede complementos que o deixe menos largadão, mais feminino. Não que você não possa pegar seus Converse, ou oxfords…a fofurice fica com resto do look, tá?

Flare Jeans: em um post aqui do blog, falei pra vocês que a flare era a grande candidata a calça do ano de 2011. E tá sendo, pelo menos até agora. Perfeita para alongar as pernas, as calças flare não poderiam ser chamadas de boca-de-sino, nem muito menos de boot-cut. São justinhas em cima, mas a boca é um pouco mais larga que a boot-cut, e mais estreita que a boca-de-sino.  Outra peça-chave pra seu guarda-roupas.

Sapato ideal: saltos, todos! Nada de rasteiras, porque sua silhueta em vez de ficar longilínea, vai ter o efeito oposto. Dica: a grande sacada agora é usar suas flares com a boca rente ao chão. Um saltão atende muito bem a esse jeito novo de usar sua calça, já que não deixa a calça arrastar, apenas a deixa no nível do solo.

Espero que tenham gostado das sugestões, e qualquer coisa tô por aqui às ordens, pra gente discutir um pouco sobre o assunto ;)

Páginas12345