Livros de Colorir, o novo boom entre os adultos

Eu nunca fui de um mundo em preto-e-branco, fato. Me lembro de muito pequena já rabiscando com lápis de cor todas as paredes da casa (e ninguém me bloqueando criativamente por isso), beijando com batom de todas as cores as capas dos discos de titia, e de ter bolsas coloridas e canetinhas das mais diversas cores (lembram daquelas canetas de 20 cores? Eu tinha!). Não sei se era porque meu tdah pedia coisas coloridas, e só assim eu voltava a atenção para elas, ou se era porque eu era mesmo uma menina que curtia um mundo em vários bits.

Apenas para comprovar  o que tô dizendo, vejam alguns rabiscos de cadernos de estudos de francês, e de quando eu estudava pra concurso, tudo de uns 8, 9 anos atrás:

cader

 

Em alguns dos cadernos eu usava giz de cêra, post-its de todas as cores, hidrocor, marca texto de cores diversas, e canetas coloridas. Ao fazer isso, parecia que tanto eu fixava o conteúdo como relaxava a mente ao mesmo tempo, tipo, estudar cansava, mas transcrever conteúdo com esse capricho e essas cores relaxava.

O tempo foi passando, e eu descobri outras atividades para preencher meu dia…porém recentemente descobri os livros interativos, sobre os quais falei pra vocês aqui no blog, e tô adorando. E mal entrei na vibe desses livros, eis que chegam para figurar na minha lista de desejos os livros para colorir, best sellers no mundo inteiro, e esgotados em quase todas as livrarias físicas do Brasil. Os mais famosos? Os de Johanna Basford, autora da Floresta Encantada, e do Jardim Secreto:

johanna

Jardim

Floresta

Comprei os dois títulos semana passada em pré-venda na Saraiva online, mas enquanto tava na especialização dei a dica pra uma amiga, e ela conseguiu encontrar um sobrevivente na Livraria Cultura física. Na parte da tarde eu já tava cobiçando o livro dela, e pedi até pra pintar um pedaço, super ansiosa pra que os meus cheguem rápido!

Florestabook

Sobre a explicação para esse novo vício dos adultos, eu tenho uma resposta muito simples: a atividade lúdica injeta serotonina direto na veia, e o ato de colorir aguça a criatividade, e oxigena o cérebro, através da autorregulação da atenção para a atividade presente…é o que a gente que pratica yoga, busca na meditação, a tal mindfulness. Tipo uma limpeza do nosso “disco rígido” seguido de uma formatada, sabem? Minha vida sempre teve o lado lúdico muito forte (tenho uma parede-lousa em casa, e vários toy arts, e camisetas divertidas, lembram?), então, pra mim, nada de novo no front, meu brainstorm sempre veio do fato de eu pensar fora da caixa, e acho que muitos “adultos”, que pensam como “adultos” encontraram seu “eu” nesse detox analógico, e resolveram trocar o Rivotril, ou Ritalina, por lápis de cor. E eu tô achando o máximo!

Além das ilustras da Johanna, também estão entre os mais vendidos no Amazon os livros da Angie Grace, e a série Color me…que já tem o Color me Calm, e o Color me Happy, dentre outros; tem também livros para colorir mandalas, gatinhos, roupas SteamPunk, Caveiras Mexicanas…O boom de livros assim tá demais, e se vocês quiserem aderir à onda, separei links das principais Livrarias Virtuais pra vocês darem uma olhada nos títulos disponíveis no Brasil (cliquem no nome das livrarias pra irem direto pra página dos livros de colorir: Saraiva, Cultura e Livraria da Folha). Quem quiser títulos gringos e num preço mais em conta, tem o Amazon, que entrega no Brasil, e sem imposto, porque livros não são tributados no Brasil. Clica AQUI pra ver alguns bem legais!

angiebooks

colorme

Tô querendo tipo todos, e vocês?