DIY: Camiseta Cutout em V

OLÁ!!!!!

Fim de ano na porta, hora de tirar do guarda-roupas peças que você deseja doar, e as que você deseja reformar pra tornar mais usável. É tempo de reavaliar a maneira com a qual a gente interage com o consumismo, e tentar um 2018 mais desapegado e também criativo.

Pois pra ajudar vocês nessa empreitada, e dando sequência aos posts de DIY, nesse vídeo rápido a gente vai aprender a reformar aquela camiseta que a gente não tá usando tanto, pra torná-la atual, e estilosa!

Simbora aprender que tá mara!



NYFW, looks mais legais do street style

seleab

Oe, cheguei um tico tarde, mas dá tempo ainda de fazer minha seleçãozinha de looks de street style do NYFW que rolou há pouco mais de um mês, né?

Então, queria falar pra vocês minhas impressões, e as imagens são um pequeno resumo do que vi no meu passeio virtual por vários sites com fotos dos convidados dos desfiles em NY. Não há nada mais legal do que ver a leitura que as pessoas fazem de suas referências na moda, nas artes, na cultura, transpondo isso pra maneira de vestir, e o street style me dá esse termômetro.

E o que percebi de NY? Que a febre da camisaria lá tá grande, que os looks estão ficando cada vez mais práticos e menos carnavalescos, que o salto tá sendo aposentado, e que a camiseta, minha peça queridinha da vida, tem reinado tanto em looks esportivos quanto em looks mais sofisticados.

Notei também que o rose quartz (um rosinha com fundo levemente puxado pro salmão), que compõe o combo de 2017 da Pantone apareceu muito nos looks da galera. Ah, e os anos 90 tão com tudo, não podemos nos esquecer dessa década maravilhosa ao tirar qualquer peça do armário; pra mim, o parâmetro é Alicia Silverstone, o que ela vestiu, de Clueless a clipes do Aerosmith, pode usar sem medo!

Fazendo um resumão ilustrado do que falei acima, segue imagens:

nyfwss

Só composições que super podemos usar por aí, né? Sigamos para compilar Milão e Paris, e ver o que rolou por lá, aguardem cartas.

Um look e um desejo: scarpin rosa choque

Eu sou scarpinmaníaca, fato. Se tem um sapato que acho um poço de elegância, é o tal do scarpin, com aquele bico fino, e salto agulha; me sinto “a lady” quando uso os meus, e não são tão poucos: tenho dourado, off white com spikes, preto, vermelho, nude, azul cobalto, imitando couro de cobra…porém, estaria mais feliz se tivesse nesse singelo acervo de stilettos, como chamam por aí, um par rosa choque, e um par tangerina. O rosa é um desejo bem mais forte, e veio depois de ver essa bicha aí, com o mix que mais amo em minha vida, blazer + calça destroyed + camiseta!!!!

Scarpin Rosa

Imagem: blog Fashion Vibe

Portanto, se alguém por aí achar um desses no precinho pelas lojas de Natal – precinho mesmo, gente, não me venham com sapato de R$ 300,00 reais não!! – me avisem por aqui, combinado???

assinatura2

Da quarta: caveira florida + scarpin neon

Essa semana tô irreconhecível, postando quase todo dia. É que não quero deixar acumular rascunho, nem ideia, nem foto de look…portanto postar é preciso, como também acho bacana compartilhar os achados que usei nas fotos abaixo:

Fotos: Jefferson Braga

De cara, vocês vão querer saber onde comprei essa Cambridge muambator-imagem-e-semelhança. Ela é neon, e comprei no Ebay à minha querida vendedora vivi_leather. As bolsas que ela vende são lindas, bem acabadas, e são embaladas com muito carinho. Quem tiver a curiosidade, clica AQUI pra ver os itens à venda dela.

Já a camiseta de caveirinha florida foi um achado Marisa, minha loja preferida pra comprar camisetas. Acho que saiu uns R$ 9,90, não me lembro bem. O shortinho com detalhe em guipure é Riachuelo, e o cardigã, antigão, diga-se de passagem, Opção.

Agora, esse un bout inspired, meeeenhas feeeelhas, encontrei naquele esquema pechincha + sem taxas no amado e adorado Ebay. Comprei com o vendedor cristalpro(link para o sapato AQUI), e ele tem disponível cada cor I-RA-DA, fiquei doidinha pra comprar o rosa choque, mas acho que vou esperar virar o ano (e o cartão, porque esse não é um blog de RHYCA, e sim de empreguetxe-eu-pego-às-setxe).

No geral, acho que matei a curiosidade de vocês, né? Se segurem que vem post massa sobre Ebay por aí, vou me esforçar pra subir no fim de semana. Me cobrem bem muito nos comentários pra eu me lembrar de redigir o danadinho, tá?

Curtição dos Jovens: Camiseta rulez do Zé Carioca!

Tô mocinha demais, postando um look atrás do outro, óiaaaa!!!

O de hoje tem a cara do domingo, e traz um achado que fiz há um mês e meio mais ou menos; falo da camiseteenha fofa do Zé Carioca.

Pra quem não conhece (falo com quem é de Bob Esponja pra cá, tipo eu hehehe), o Zé Carioca foi criado por Walt Disney na década de 40.  A criação do Zé estava intimamente ligada a interesses dos Estados Unidos que, na busca de aliados para a Segunda Guerra Mundial, inseriu um brasileirinho no mundo Disney esperando nosso apoio. E funcionou.

Até hoje muita gente até entorta o nariz para esse personagem, tanto por ser fruto de interesses americanos, como por ser retratado nos quadrinhos como preguiçoso, malandro, vagabundo. Bom, não deixa de ser uma pecha, né, até entendo.

Mas a parte boa é que é um personagem brazuca na Disney, e bem por isso amei quando encontrei na Renner essa camiseta, na hora larguei a do Mickey, e me apeguei a essa:

Fotos: Jefferson Braga

Camiseta – Renneer

Short Boxer – Riachuelo

Rasteiras – C&A

Brincos – presente da minha tia

Terço Neon -E-bay

Relógio – Casio vintage

Achado do ano: camiseta que espalha amor…

De tanto vocês perguntarem no Facebook e no Instagram onde eu tinha achado essa formosura, não tinha como não postar, e passar a informação completa deste que eu considero “O achado” do ano. Porém, antes eu quero contar uma pequena história, então, sentem aí.

Minha paixão pelo Pequeno Príncipe, diferente de muitas pessoas, não começou quando pequena: acho que bem no meio da minha adolescência viciei naquele anime que passava no SBT baseado no livro, e chorava todo episódio, de ficar de cara inchada (mas relevem, eu choro até na despedida da nave da Xuxa da Terra). Me lembro de ter lido o livro, mas, nada demais, tava muito alucinada por Oscar Wilde e Álvares de Azevedo na época pra ligar para o Saint-Exupéry.

Só que, quando iniciei o francês, isso em meados de 1998/1999, o primeiro livro passado foi esse, e a magia aconteceu, e se repetiu, quando no fim do curso, outro professor passou pra gente uma peça francesa sobre o livro mais singelo e apaixonante da terra. Pronto. Começou minha obsessão por tudo que tinha o príncipezinho estampado: agendas, camisetas, lenços…só que no Brasil era uma coisa meio difícil de achar. Os produtos do Pequeno Príncipe, quando eles existiam, eram bem carinhos.

E daí que ontem, passeando na Riachuelo como quem não quer nada, e já indo embora, vejo na arara essa camiseta linda, por R$ 39,90, e justamente com uma das frases mais apaixonantes do livro, escrita em francês, e pertencente ao diálogo do Príncipe com a Raposa, no capítulo XXI (pra quem leu faz muito tempo, vale a pena reler o diálogo com a raposa, é visceral, contém ensinamentos pra vida):

Pra quem quer saber se tinha mais alguma camiseta dessa coleção, tinha sim, uma regatinha com um trecho em português, salvo engano também extraído do diálogo com a raposa, em que ela fala que, se o Príncipe marca com ela às quatro horas, uma hora antes ela já estará feliz (Si tu viens, par exemple, à quatre heures de l’après-midi, dès trois heures je commencerai d’être heureux. Plus l’heure avancera, plus je me sentirai heureux. A quatre heures, déjà, je m’agiterai et m’inquiéterai; je découvrirai le prix du bonheur !), acho que é esse trecho, muito fofa também.

Curti muito, porque esse foi um final feliz de 2012, ter uma camiseta me ensinando todos os dias, até à exaustão, que só se enxerga bem com o coração…

Páginas12