VSMT: Rock in Rio 2011 (line-up 25/09), dia 3

Hoje virei “Neide, a dragonete do metal”, como diria Uilame(Pra saber do que eu tô falando, clica AQUI).

Para encarar o dia 25 de setembro do Rock in Rio é preciso abusar do preto, vez que as bandas do palco Mundo serão:  Gloria; Coheed and Cambria(Love, Love, Love!); Motörhead; Slipknot; e Metallica. De resto vai ter Tarja Turunen(ex-Nightwish), Korzus, Matanza, e Sepultura. Ou seja, ignorância total. Se alguém me desse o ingresso, e me concedesse o direito de escolher, com certeza eu escolheria esse dia. É muita banda que eu gosto junta, ia ser pura emoção!

Mas um look all black cai na obviedade, já que metal-preto-preto-rock-puro, e foi por isso que elegi a t-shirt branca com frase de efeito(ignorance is your new best friend) pra quebrar a escuridão do resto do look. E também porque sou uma roqueira traveca e nunca gostei de preto total, apesar de adorar bandas “duronas” como Motörhead e Metallica.

O resultado foi esse aqui:

Fotos: Jefferson Braga

Tá, essa última foto ficou clichê, mas eu gostei! :P

Pra compor a montação eu usei:

Camiseta: Arcorpstore

Colete: Costura, Tia Alice, e customização, eu mesma

Motorcycle pants: Marisa

Pulseira de correntes – presente de Tati

Pulseira de couro – Riachuelo

Biker Boots: Arezzo

Relógio – Casio

Óculos – Bleu Dame

E pra não perder o costume, um clipezinho, daquela que eu considero uma das músicas mais bacanas do Metallica, Fade to Black, extraída de um canal do Vimeo:

E vamos correndo que tá acabando!

Devaneio da semana: Biker/motorcyle boots

Quando eu fui à Buenos Aires nas minhas férias, sou sincera em dizer pra vocês, nem me animei tanto pelos artigos de couro…sei lá, moro no Nordeste, nem sempre viajo pra terras frias, achei desnecessário gastar comprando jaqueta, ou qualquer outra coisa, até mesmo porque, não se iludam, tem nada barato por lá. Se brincar, tem jaqueta de couro até mais barata aqui no Brasil.

Maaaas, no último dia, após ver várias portenhas usando, eu enlouqueci por uma bota de cano curto que ficava meio caidinha, molinha, com duas fivelinhas do lado: era a tal da Biker Boot, ou Motorcycle boot. E aí que fiquei rodando aquela Calle Florida inteira procurando por uma digna, e não achei, tinham uma cara meio fake, sabem? Feiosas, sem detalhes, duras…

O problema é que até hoje não me esqueci das danadas, estão meio que uma ideia fixa na cabeça e thanks God que não devem nem ser vendidas em Natal, senão eu surtava, pois minha próxima comprinha da sapatos só deve acontecer em meados de dezembro, quando eu sair do jejum de consumista, e olhe, olhe, porque né, tenho duas botas que nunca usei, tão zeradinhas guardadas, e mais outras 3 que usei pouco…tenho que racionalizar.

As danadinhas dessas botas não são só febre em Buenos Aires não, achei muita inspiração pra usá-las pelo lookbook, e de diversos modelos, com cano mais alto, com só uma fivela, mas todas com a mesma essência: uma bota mais pesada, na linha do coturno, só que com com fivelas. A combinação? De preferência com peças femininas, já que é ela tem um estilo mais pesado:

Até agora, a mais digna que achei pelo Brasil é que aquela lááá do comecinho do post, que é da Delishoes. O preço também não é dos piores, uns R$ 150,00(cento e cinqüenta reais). Na Arezzo também tem, mas não gostei do jeitão dela, deve ser muito dura.

E vocês, levariam biker boots pra casa ou não?

VSMT: Tia Alice, dia 21

Vamos correndo que tem mais 3 looks atrasados Tia Alice pra subir. O que é um pouco bom, porque material tem, o tempo é que é meu fator complicador. Mas, me ajudem que a gente termina os trinta looks!

Hoje o look foi o que eu usei pra viajar pra o RJ(trabalho/estudo), e contou com a participação dessa blusa ampla Tia Alice, que é o símbolo do conforto!

Como ela tem um pouquinho de periculosidade(i.e. pode voar a qualquer momento) usei com um top pink por baixo, e aí que mato dois coelhos com uma cajadada só: bloco de cores, e peça Tia Alice Fashion Wear.

O shortinho é Elementais, as open boots estilo punch, Asos, pulseiras e colares por mim, e Tia Alice.

Gostaram? Comentem(e façam o que quiserem pois é tudo da lei!)

Dúvida Cruel: o que vestir para ir à Ópera?

E trabalhar com as miguxas(sou emo, tá?) dá nisso, dois materiais para posts no blog. O primeiro deles é na verdade uma indagação, e é urgente, por isso sobe logo hoje. A leitora/amygha Helena me pergunta o que vestir para ir a uma Ópera em Viena, já que ela vai passar o Carnaval por aquelas bandas.

Respiremos fundo, e postemos!

Primeiramente, importante dizer que essa coisa de dresscode em Ópera meio que não tá mais em uso, a não ser que seja realmente uma noite de gala(opening night), e o peçam algo realmente mais formal. Caso contrário, apreciadores- simples-mortais da ópera podem usar muita coisa, desde que não sejam muito chamativas, também para não destoar muito das pessoas que lá estarão. Ou vai querer ir de bermuda e camisa florida, como os americanos nonsense adoram passear? Não dá, né?

Mas, na prática, como fazer? Separei uma peça-chave, e várias coordenações que Helena poderá usar para estar linda e translumbrante na Austria, terra do meu ídolo Brüno!

- Saia: apesar do frio é possível usar saia, basta colocar uma meia bem encorpada que esquente as pernocas! Ankle boots da cor da meia sempre são ideais, porque alongam a silhueta:

- Vestido: adorei as composições de vestido e casaco; essas duas peças formam um combo incrível!

- Calça: eu tô numa vibe calça, não minto nem pra ganhar dinheiro. Acho phyno ir à òpera de calça, a peça é ultracoordenável e confortável!

Como não podia deixar de ser, separei algumas diquinhas rápidas, pras meninas que vão assistir a espetáculos do tipo:

1 – Procure saber o lugar. O que se deve vestir na ópera depende em parte do lugar onde você ira prestigiar o evento. Na Europa, as pessoas costumam se vestir melhor que nos EUA, e a Europa Continental se veste melhor que o Reino Unido. O lugar realmente determina exatamente o quão casual você poderá ir, ou o quão chique você terá que estar.

2 – O Tempo. Algumas pessoas – em especial nós, mulheres – geralmente possuem roupas e jóias que não costumam usar no dia-a-dia, e a ópera é o lugar perfeito pra tirar tudo isso do closet e mandar ver.

3 – Conforto. Não adianta também usar trajes que te causem desconforto. O ideal é casar uma roupitcha legal, que não te incomode, e ainda te dê mobilidade para depois do espetáculo, você poder ir para onde quiser sem ficar incomodado. Praticidade e conforto são a chave do sucesso.

Espero que tenham gostado! Querem tirar dúvidas como Helena fez? Só mandar e-mail para [email protected] Aguardo vocês!

Blake, na boa: escorregou, abaixa e créu!

Hoje eu sei que tô ácida. Tô mesmo.

Mas não tem outra coisa pra dizer do look de Blake: pegou uma camisa do namô, meteu uma saia de paetê por cima(com a barra da camisa aparecendo por baixo), calçou de ankle boots e se amarrou com um cinto da largura do mundo dando um nó quase laço.

Nada contra as peças que compõem o look: separadas dão bons truques de styling. Juntas, deu no que deu.

Sorry, mas eu sou Team Leighton Meester!

E este é um espacinho pra mostrar o que se pode, o que não se pode, e como dá pra se vestir, né?

Comentários abertos, mandem ver!