DIY: choker lacinho e choker margarida

Volteeeeei, meu povo!

Aproveitei que é feriado aqui na minha terra pra editar um vídeo ensinado a fazer mais dois chokers: um deles estilo gravatinha, lacinho, uoreva, pra gente fazer a Alexa Chung por aí, e outro de margarida, bem boho…esse eu uso direto, e já quero fazer um branquinho também pra fazer um neck swag!

Espero que gostem, e lembrem: se inscrevam no canal pra amigue aqui se empolgar e fazer mais vídeos!


DIY express: wrap choker (dois estilos)

Chamando assim, pelo nome em inglês, muitos de vocês vão achar que não conhecem esse choker que tá dominando o tumblr e o pinterest . Mas se eu der “ibagens”, vocês vão saber na hora: sabem aquele colarzinho em couro, camurça, ou em rolotê de cetim com umas ponteirinhas douradas que a blogueiragem gringa tá toda usando? Pois bem, o nome dele é wrap choker; colar de amarrar, traduzindo ao pé-da-letra.

Assim que vi esse colar no snap da Danielle (blog who what wear) eu endoidei, porque ele tem uma pegada boho, e orna com vários outros colares, fazendo um #neckswag, como em algumas imagens que separei:

selectionwrapchoker Imagens: reprodução. Edição:DF

Como ainda não tinha achado nenhum exemplar no Brasil (e se tivesse o preço não seria tão agradável) fui no Centro da cidade, comprei o material, e montei dois modelos diferentes, que mostro num vidjinho rápido que vocês conferem clicando logo abaixo:


Fácil, né? Em poucos minutinhos cês já têm um colar estiloso! Ah, deixa eu falar, os vídeos vão voltar a ser regulares no blog, depois desse hiato em que a pós me jogou, tô voltando com surra de  DIY. Portanto, já vão mandando sugestões no e-mail e nos comentários por aqui!

Um Crop Top, vários estilos

abcroptop

Não adianta negar. O Crop Top foi uma peça que despontou na primavera, passou pelo verão, e sobrevive firme e forte nas estações mais frias do ano, dando sinais de que nem tão cedo promete nos deixar. Isso talvez tenha se dado pela versatilidade da peça; sim, porque apesar de muita gente amar o que a gente chama de “fardinha”, que é usar uma peça de um jeito só, o crop top permite combinações variadas, a depender do estilo de quem usa.

E no post de hoje eu falo justamente sobre isso, como o crop top pode se adequar a vários estilos, vamos ver?

COMFY

Montar um look legal e confortável é amor no grau máximo. Aqui, o crop top faz par com calças legais, skorts, slip-ons, e rasteirinhas. Eu particularmente gosto quando a peça com a qual combino o crop cobre o umbigo, como na primeira e na quarta imagem, fica um comfy-phyno.

Comfyreunidas

LADYLIKE

Crop Top com saia mais comprida(e aí falo saia perto do joelho, logo abaixo, ou no meio da “canela”) é assim, tipo, look campeão! Dá um toque ladylike, livra a gente da fardinha “periguete”, e nos transforma numa Audrey do século XXI. Sou muito suspeita, meus crop tops sempre fazem par com saias midi. Acho que foram feitos um para o outro, confiram se não tô certa:

ladylikecrop

MODERNA

Quer dar um toque moderno ao look com crop top? Só fazer a produção com algo bem tendência do momento. E aí vale usar aqueles óculos espelhados, ou com armação colorida, sandálias com design bem diferenciado, bomber jackets, pantalonas crop também…vai da imaginação, e o resultado, olha, é muito satisfatório.

Moderna

Moderna2

moderna3

BOHO

O top cropped também é a cara do hippie chic, do boho como muita gente “das muodas” fala. Vale combinar com pantalonas floridas, calça de chambray, saia indiana, saias longas…

Boho3

boho2

Boho1

CASUAL CHIC

Aqui o crop top pede um blazer por cima, um sobretudo, ou até ser confeccionado em tecido mais legal, tipo uma alfaiataria, para par com uma calça no estilo conjunto. O casual chic deixa de lado toda a montação, e segue uma linha mais legal, mesclando o urbano, com o esportivo, ou trabalhando tecidos mais nobres de uma maneira mais descontraída. Confesso que me apaixonei pelo segundo look de maneira incondicional, super queria sair assim agora mesmo!

casual2

casualchic1

SUNNY

As meninas lá do Sul, Sudeste que me perdoem, mas mostrar um estilo fresh de usar o crop top pelo nordeste é lei, tem que ter. Afinal, um outono de 28 graus pede um look que suporte altas temperaturas, e nada melhor que combinar um top curtinho com uma bermudinha, uma sainha floral mais curta, um shortinho bem comportado, ou como complemento de um conjunto blazer + shorts. Fica tão fresquinho, e lindo!

Sunny3

Sunny2

Sunny1

Essas são apenas algumas das mil facetas do crop top, encontrei muita coisa mesmo, mas para o post não ficar cansativo separei as que achei mais relevantes pra gente conversar sobre, que acharam? Encaram o crop, ou por ora não, não rola?

Eita, Free People, maltrata esse coração…

Se uma loja quiser ganhar meu coração, não precisa de muito, na verdade de uma coisa só: identidade. Sabe aquela coisa de reconhecer a peça de uma loja, mesmo estando fora dela? Então, a Free People e a Farm têm muito disso, as peças não são apenas peças, retratam estilos de vida, refletem o comportamento daqueles que as usam…até as músicas que tocam na rádio Farm são peculiares, remetem à marca de um jeito ou de outro…juro a vocês que onde quer que eu esteja, se escuto Tulipa Ruiz, ou Sara Tavares penso “nossa, isso é tão Farm…”

Então, a Free People é bem assim, e freqüentemente faz publicar no seu instagram looks cheios de personalidade. Nada do que as pessoas chamam de “tendência”, o que é bastante legal, já que tomei um certo abuso do termo, pois carimba na testa da gente um “tem-que-usar”, como se fôssemos obrigadas a engolir tudo que não se parece com a gente em nome da itpopularização, ou itidiotização, dá no mesmo.

O fato é que desejei usar vestidinho navy curtinho, pantalonas gigantescas, saias midi, e shortinho de patchwork…nada que tenha em catálogos de moda convencionais. Como minha mente é meio randômica, a aleatoriedade me permite não me ligar muito em épocas, e sim no estado de espírito, e na vontade de criar(caso do patchwork, tô desenvolvendo uma saia pra mim assim).

Talvez por isso a Free People me agrade tanto com esses lookbooks mais novos, que abarcam as meninas boholentas, pinups, vintagistas, bucólicas, e surfistas, tudo junto e misturado! Como sou várias em uma só, dona de muitos humores, me identifiquei total!

Pena que a Free People não dá muita chance pra gente que não é ryca, tipo, pra vocês terem uma ideia, essa pantalona custa mais de duas mil Dilmas, quer dizer…é implorar pra titia se compadecer da minha situação e fazer pelo menos duas das peças aí da seleção. Pelo menos o vestidinho navy e a saia envelope pra eu não ficar tão tristinha. Oremos para os sonhos se realizarem!

Pra morrer de babar: editorial Free People

Conhecida pelo estilo Boho, a Free People(que entrega no Brasil, e oferece preços em real nesse site AQUI) soltou por esses dias um editorial de morrer com a faca da de cortar o pão: saias longas, vestidos de xadrez vichy, florais, paetês, cambraia bordada(ou laise, como queiram), e tye dye enfeitaram as várias fotos mostradas, fazendo com que a gente fique assim, meio petrificada, e louca pra copiar os modeleeenhos!

Esse primeiro grupo de fotos é tão setentinha que eu fiquei realmente na dúvida se as fotos tinha sido tiradas recentemente…mix de estampas no longuinho, flaired pants em lavagem vintage, aff…

Tye Dye e transparência…fiquemos muito atentas a estes dois fronts. Sinto que em breve vai empestar(vide Coachella Festival). Aguardemos!

Olha o floral e o navy aí, gente!!!! Queria do fundo do meu coração esse vestidinho aqui de cima.

Acho que o nome da marca traduz muito das peças que ela produz; pouca coisa colada ao corpo, estampas que transmitem uma certa liberdade, um jeito de viver sem amarras, e super leve.

Podia ter 300 fotos aí, mas eu só consigo ter olhos para o SHORTINHO DE PAETÊ, SHORTINHO DE PAETÊ! Affe como desejo um. Até tentei, fui na Marisa ver se ainda tinha um que vi que tava numa liquida louca, mas acho que as leitoras do blog viram o post de diquinhas e carregaram todo o estoque da loja. Deviam ter deixado pelo menos um pra mim, né?

Pra fechar, essa foto super fofa!

E é só isso que eu tinha pra mostrar pra vocês por hoje! Tudo muito lindo, mas não dá pra ficar me prolongando, fazendo um tratado postístico, quando as imagens já são suficientes pra gente extrair o que dá pra usar na vida real, e o que não!

Editorial da Russh nº38 – Just like sisters

Não podia deixar de postar com urgência urgentíssima esse editorial da Russh. Primeiro, porque adoro editoriais que posso transportar para a vida real; segundo, adoro editoriais que trazem simplicidade e bucolismo à cena fashion.

E esse é bem assim: retrata algumas modelos-meninas em um estilo bem leve, solto, espontâneo, e trajando pecinhas simplésimas, fáceis de fazer!

Cabelos soltos ou com amarrações desleixadas, make leve, sobrancelhas marcadas…e vestidinhos estampados super fofinhos!

Pé no ladylike, pé color blocking, pé no folk, e pé no preppy…agradando a todas!

TOTALMENTE INSPIRADOR!

Páginas12