Do dia: de olho na assimetria!

Por aqui ainda não tá tão bombado, mas já faz uns meses que vejo de maneira recorrente nos Instas gringos a saia assimétrica que uso no look de hoje (a inspiração? Helmut Lang). Eu diria que tá uma verdadeira febre lá pelo hemisfério norte, e não demorou muitos dias até eu pegar, “printar” a tela de algum perfil de looks que sigo lá de fora, e correr pra mostrar a titia pra ela fazer uma pra mim. Ela virou, mexeu, estudou esse origami, e costurou uma. O resultado? Vocês conferem logo abaixo:

blackskirt3

  blackirt2   skirtassy1

Fotos: Jeff Braga

É fato que assimetria não é aquela unanimidade, tem gente que ama, tem gente que odeia, e tem gente que fica meio em dúvida, em cima do muro. Eu, por exemplo, não me apaixono por toda e qualquer peça assimétrica, mas essa saia ganhou meu coração tanto pela versatilidade (quando você usa só com top cropped, ou camiseta, ela compõe um look descontraído; já quando bota um blazer, ou uma camisa de chiffon, por exemplo, ela muda de cara, fica mais séria, dá para encarar o trabalho na boa), quanto pelo trabalho de assimetria feito, estilo uma dobradura do mesmo tecido, bem origami mesmo. Gostei tanto que já tô batalhando por uma estampada, ou uma de cor mais felizinha, tipo amarelinha, ou rosa seco. Amor demais!!

Como já tinha dito, a saia é Tia Alice, assim como o top (encomendas, só mandar e-mail para [email protected], onde a gente informa preços e mais detalhes).O blazer é C&A que já tenho faz tempo, os sapatos, Santa Lolla, colar, Renner, e óculos Aliexpress.

Inté!

Um look e um desejo: scarpin rosa choque

Eu sou scarpinmaníaca, fato. Se tem um sapato que acho um poço de elegância, é o tal do scarpin, com aquele bico fino, e salto agulha; me sinto “a lady” quando uso os meus, e não são tão poucos: tenho dourado, off white com spikes, preto, vermelho, nude, azul cobalto, imitando couro de cobra…porém, estaria mais feliz se tivesse nesse singelo acervo de stilettos, como chamam por aí, um par rosa choque, e um par tangerina. O rosa é um desejo bem mais forte, e veio depois de ver essa bicha aí, com o mix que mais amo em minha vida, blazer + calça destroyed + camiseta!!!!

Scarpin Rosa

Imagem: blog Fashion Vibe

Portanto, se alguém por aí achar um desses no precinho pelas lojas de Natal – precinho mesmo, gente, não me venham com sapato de R$ 300,00 reais não!! – me avisem por aqui, combinado???

assinatura2

Da sexta: na pisada do neon

Sexta-feira, tem dia mais feliz que esse? Só os feriados imprensados, penso eu, e já que estamos falando de dias felizes, não tem look mais apropriado pra dias assim que o shortinho neon. Esse das fotos foi feito por titia, e pra completar a montação usei minha camisetxeenha da She-ra, a diva dos anos 80, e um blazerzinho preto, pra montação não ficar com cara de prainha.

Será que deu certo?

Fotos: Jefferson Braga

Camiseta – 80′tees

Blazer – C&A

Short neon – Tia Alice (R$ 45,00 encomendas pelo e-mail [email protected])

Slipper – Naturezza (muito confortável, gente, vocês não têm noção, tá agora de R$ 39,90 se não me engano na www.sapatonline.com.br)

Carteira de caveirinha – Ebay

Pulseiras – umas eu fiz, outras das lojinhas de 1,99

Óculos – Bleu Dame

Porque alguém resolveu deixar a manguinha da blusa escapar pelo blazer/cardigã/casaco/camisa…

…e não é que pegou!

Não sei se vocês ainda lembram daquela febre do boyfriend blazer, que geralmente vinha com o forro de cor diferente pra gente usar com a manga dobrada…pois é, a questão é que essa onda foi tão pesada e caudalosa que cansou, geral não agüentava mais ver boyfriend blazer. Eu, como chata que sou, não tinha nenhum, da raiva que peguei de ver a galera uniformizada por aí.

E bem acho que muita gente sentiu o que senti, saiu catando por aí alguma alternativa, e achou uma bem simples: basta pôr as manguinhas da blusa que vai por dentro do blazer/casaco/cardigã pra fora. Nasce mais um truque de estilo.

O legal dessa sacada é que nunca, mas nunquinha mesmo, a aparência do visual vai ser monótona. Antigamente tínhamos um boyfriend blazer com forro aparecendo e só, não dava pra ser diferente. Aqui o look é multiplicado apenas mudando a peça que vai por dentro.

Notem que a gente pouco olha pra peça externa, a gente fixa nas manguinhas aparecendo, e acha o máximo!

Fotos: reprodução

Minhas composições nunca mais serão as mesmas.

O blazer estampado ataca novamente(?)

Não sei se foi só por aqui no RN, mas quem daqui não lembra da febre do blazer estampado no começo do ano passado? Todo mundo usou, era vendido em tudo quanto que é loja, e foi cansando, cansando, e eu, que morria de vontade de ter um(comprei milhares de tecidos inclusive pra fazer), desisti, porque minha vista saturou de tanto que fui cercada pela peça.

Eis que agora, há rumores fortes de que ele tá voltando, e eu ainda tô na dúvida se realmente irei aderir ou não. Estou inclinada a fazê-lo, e mais determinada ainda a usá-lo com peças neutras, já que ele por si só já é muito “fechoso”, principalmente os florais…acredito firmemente naquela teoria de que a gente deve escolher uma peça pra ser a estrela do look, e o resto ficar apenas como acessório, e é ela que pretendo aplicar às composições com blazer estampado.

Condensei alguns exemplares pra vocês se inspirarem:

Portanto, minhas amigas, quem já tem um escondidinho no guarda-roupas, arrisque tirar e fazer novas combinações, com shortinho, com calça boyfriend, com calça cropped, camiseta básica…

Eu, que passei ilesa pela onda ano passado, depois de ver essas imagens, acho que vou encarar.

Os spencers de Kelly Framel

Querem um diferenciador básico entre moda e estilo?  O fato de alguém usar uma peça oposta a que virou senso comum. Exemplo? Kelly Framel, do blog Glamurai, que em tempos de comprimento “mullet”, resolveu sacar do closet seu spencer mais curtinho atrás que na frente.

Resultado? Virou peça-desejo minha.

Sobre o spencer, este nada mais é que um casaco mais curtinho que o blazer; fica acima da cintura, e apareceu pela primeira vez lá pelos anos 1790, na Inglaterra. Tem esse nome em homenagem ao Conde Spencer que, em tendo rasgado a cauda de suas vestes(ou queimado, não se sabe com precisão), resolveu aderir ao casaco mais curtinho.

A moda do Conde acabou caindo no gosto da mulherada e hoje é uma solução bastante elegante, sendo um meio-termo, se situando entre o formalismo do blazer, e o jeito descoladinho do cardigã. Meus dias de audiência agradecem.

Fotos: blog Glamurai

Kelly, culpa tua, tô doida por um spencer!

Páginas12