Testei: protetor solar Bioré Aqua rich watery mousse SPF 50 PA+++

Bioré_UV

 

Todo que me conhece sabe que sou uma recente amante dos produtos asiáticos. Começou com o BB cream, passou pelos cleansing oils, e agora resolvi testar o famoso protetor solar da Bioré, marca japonesa do grupo Kao muito bem conceituada quando se fala em indústria de cosméticos. Minha influência para a compra? O Pedro, do blog East to West Skincare, que faz resenhas tão legais sobre produtos asiáticos que dificilmente a gente erra nas compras.

O Bioré Aqua Rich é um protetor solar a base d’água, indicado para a pele mista. Segundo o fabricante, o produto promete hidratar a pele, e protegê-la dos raios solares, tudo isso sem deixar um aspecto pesado, segurando a make que geralmente a gente passa logo após a aplicação do produto. O legal desse protetor é que quando a gente passa, dá uma impressão de que vai empelotar na pele; porém,  esse “empelotamento” nada mais é que um conjunto de micropartículas de água que vão se quebrando à medida que a gente espalha o protetor. Massa, né? Esses japas são danados mesmo quando o assunto é tecnologia…

Fiz uma evolução fotográfica de como esse protetor se comporta na pele:

text1

Fase 1: textura, em mousse

text2

Fase 2: o aspecto aquoso do protetor quando espalhado

text3

Fase 3: o protetor já espalhado na pele

Se ele cumpre o que promete? Sim. Como eu disse, ele é bem indicado para a pele mista, não porque matifica total a pele, mas porque não adiciona oleosidade, dá uma matificada leve, não pesa, e não deixa um aspecto grudento no rosto (sim, eu uso no rosto só). Venho usando há uma semana, e noto que ele tem segurado sim a bronca, mesmo nos dias mais quentes; o protetor da Bioré dá de lavada nos protetores indicados para pele mista e oleosa nacionais, minha opinião, tá?

Para a galera alérgica, ou com sensibilidade a algum elemento, segue composição do produto para conhecimento: Water, Cyclopentasiloxane, Ethylhexyl Methoxycinnamate, Alcohol, Titanium Dioxide, Polyglyceryl-3 Polydimethylsiloxyethyl Dimethicone, Agar, Behenyl Alcohol, Microcrystalline Wax, Phenoxyethanol, Polyvinyl Alcohol, Ethylhexyl Dimethicoxybenzylidene Dioxoimidazolidine Propionate, Acrylates/C10-30 Alkyl Acrylate Crosspolymer, Ceratonia Siliqua Gum, Sodium Stearoxy PG-Hydroxyethylcellulose Sulfonate, Hydroxyethylcellulose, Lauryl Methacrylate/Sodium Methacrylate Crosspolymer, Fragrance, Potassium Hydroxide, Maltodextrin, Disodium EDTA, BHT, Butylene Glycol, Propylene Glycol, Citrus Grandis (Grapefruit) Fruit Extract, Sodium Hyaluronate, Citrus Medica Limonum (Lemon) Fruit Extract, Citrus Aurantium Dulcis (Orange) Fruit Extract.

Sobre o preço, o Bioré AR custa de vinte, vinte e cinco reais, se comprado no Ebay. Por esse preço, a gente não acha nunquinha um protetor bom por aqui no Brasil. Só pelo precinho camarada já vale a compra pra teste, né?

Um contra? A dificuldade de remoção. Não digo bem dificuldade, mas é que a gente é acostumada a limpar resíduo de maquiagem e protetor com sabonete líquido e tônico, e olhe olhe. Os protetores asiáticos, para a remoção completa, requerem a técnica do double cleansing, que já expliquei pra vocês neste post AQUI. Portanto, pra quem tem preguiça de limpar a pele (que feio, hein?), talvez os protetores japas e coreanos, por exemplo, não sejam os mais indicados.

Como foi pra teste, comprei uma bisnaguinha com menos quantidade de protetor. Quando ele acabar, já tô com outro Bioré pra usar, e contar o que achei pra vocês. Portanto, aguardem mais um post da série “protetores asiáticos”.

assinatura2

Amostrinhas: Aqua Marine, Max Beauty

Guéls!!

O “amostrinhas” de hoje traz uma alternativa mui baratinha para as amyghas que, como eu, não têm dinheiro frouxo pra dar cem realezas em um nouvelle vague da Chanel.

Certa vez, há uns 6 meses estava eu vagueando sem rumo no Alecrim em busca dos Impala Matte Fluo e me deparei – naquelas banquinhas loucas que ficam nas lojas de cosméticos lá – com esta belezura, o Aqua Marine, da Max Beauty, acho que por R$ 1,50.

Eu já tinha usado por algumas vezes, e aí saíram as três novas cores do esmalte da Chanel, entre eles o nouvelle vague. Na hora, puxei o meu creuzo da gavetinha de esmaltes e pensei: Por que não? E não é que ele fez a Chanel de maneira completamente satisfatória!

Vejam com seus próprios olhos o original e o creuzo:

Fotos: www.coloruza.com


Aviso às navegantes que ieumiesma pintei sozinha as próprias unhas. Logo, não se choquem!

Portanto, meninas, #ficadica!