Vestidinhos de ontem, hoje, e sempre

Uma das coisas mais legais da moda hodierna é o fato de a gente ter a liberdade de usar praticamente tudo que der na cabeça (praticamente,  porque a gente exclui os casos em que o “bonsensômetro” apita, e aí, amigas, melhor encostar). A gente pode olhar o passado, pode se projetar pro futuro, e tudo é, realmente, fonte de inspiração. E bem por isso que o vestidinho com ares de ano cinqüenta, cintura marcada, e saia com modelagem em “A” vem conquistando cada vez mais adeptas. Se bem que,  pensando bem, há outro fator que considero importante: tem jeito pra gente ficar mais feminina? Não tem tubinho, nem minissaia que bata o quesito feminilidade do vestido nesse estilo, na minha opinião.

Fotos: Reprodução

Notaram nas imagens que o vestido é usado tanto de dia quanto à noite? Versatilidade é o segundo nome dele!

Fotos: reprodução

Obrigada, Dior, por essa maravilha que venceu a barreira do tempo e até hoje deixa a mulher mais feminina!

Não existe uma chave (para se vestir bem).
Se houvesse, seria muito fácil, as mulheres ricas podiam comprar a chave e todas as preocupações a sua moda seria mais!
Mas higiene, simplicidade e bom gosto, os fundamentos da moda não pode ser comprado.
Mas eles podem ser aprendidas, por ricos e pobres.
Christian Dior