Montação do dia: ah, meu cardigan de “oclinhos”…

Não se enganem: Natal pode não ser fria, mas a minha sala do trabalho é. E por isso, tirei meu cardigan estampadinho de óculos gatinho devidamente comprado no Forever 21(já mostrado o casaquinho em um post velhino por aqui), e fui, feliz e sorridente pra senzalinha!

Pra eu não ficar muito no bege-e-preto, até mesmo porque viver de cores neutras é habitar a “zona de conforto” demais, pus uma regatinha pink por baixo, e minhas flats neon, que pegam 4 pilhas GG cada, que troco a cada dois dias pra manter esse brilhinho discreto que elas têm:

Cardigan – Forever 21

Calça com zíper – Moda K

Regata Pink – Flock

Flats – Santa Lolla e customizada com lacinhos LV inspired por mim

Óculos – Bleu Dame

Bolsa – Couro e Cia

Compras na Forever 21: é possível (e entrega no Brasil também!)

Lembrem dessa frase: uma Becky Bloom é kamikaze, vai às compras pra matar, ou morrer.

E sorry aê, mas eu tenho meus momentos kamikaze, e eles ocorrem justamente quando me deparo com o site da Forever 21, que vende muitas coisas legais, e super baratinhas; é a C&A dos EUA, basicamente, só que beeem mais em conta.

Gamei no site da loja, e descobri que não entrega no Brasil.

Mas, como consegui fazer ESSAS COMPRAS?

Aí que vem o pulo do gato: “comprei” um endereço norte-americano pra mim(I win, you lose)!

Foi pensando nessas consumidoras loucas (como eu) que vem crescendo o mercado de empresas que criam endereços estrangeiros pra você fazer suas comprinhas em sites que não entregam no Brasil.

O meu, eu criei no Shipito, depois de muito pesquisar e ver que a Skybox, que a Visa disponibiliza para seus clientes, vinha dando uns probleminhas básicos de entrega, cobrança de taxas mesmo sem ter entregue a mercadoria, etc…

Mas, como funciona isso?

Primeiramente eu gostaria de advertir que não tentem isso em casa se não tiverem segurança no que estão fazendo(e, principalmente, um inglês afiadinho). Tô dando o exemplo do meu caso que é bem sucedido, pois já fiz mais de OITO compras pelo shipito e NUNCA, NUNQUINHA MESMO, deu problema. Chega no tempo certo!

Mas vamos lá: primeiro você faz o cadastro no shipito(e é bom ter uma boa noção de inglês, hein?), e tem que pagar uma taxinha, que é módica, tipo 7, 10 dólares, ou um pouco mais. Depois de paga a taxa, eles te dão o endereço, e aí, amigas, é só alegria! Todas as compras que vocês fazem vão pra lá. Eles te notificam que existem pacotes no depósito, você escolhe a entrega(tem os valores), abastece de money(paypal ou cartão de crédito internacional) sua continha, que pode inclusive ser o valor exato da entrega, preenche os formulários de praxe, e eles dizem se tá OK ou não pra entrega. Se tiver tudo legal, ela chega pra você no tempo normal de encomendas internacionais!

Pode parecer complicado, mas é simplão, simplão!

Espero que tenham gostado da informação, que faz tempo que queria compartilhar com vocês, e estou à disposição para esclarecimentos! Deixem nos comments que respondo tudinho, tudinho(hoje tô falando tudo duas vezes, a louca)!

Semana de Moda em Milão: SS/2011 última parte

Domingão, dia de muitos posts, de programar alguns e de soltar outros, principalmente os de reviews das semanas de moda lá fora. Vamos terminar Milão, porque ainda tem Londres e Paris, correndo, ligeiro, supersônico!

Hoje trouxe para comentar a terceira e última parte da semana de moda em Milão, que foi um arraso! Vamos que vamos!

Prada

A Prada apresentou uma coleção tropical, porém com modelagem quarentinha; mesclou o retrô com o contemporâneo, e o resultado foi uma coleção super agradável aos olhos. As estampas de macaquinhos e de silhueta de mulheres que mais lembraram Carmem Miranda se fundiam a listras navy, mostrando uma coleção harmônica e ao mesmo tempo eletrizante, com a cara do verão latino americano.

O toque classudo da marca ficou por conta do comprimento no joelho, nos fazendo crer que essa modelagem em breve começará a despontar forte por aqui, em muito pouco tempo.

Pra ficar de olho na insistência da estamparia de frutas e bichinhos.

As cores escolhidas pela Prada foram Laranja, azul cobalto, verde Esmeralda, vermelho, preto, amarelo, branco, marrom, azul celeste e roxo.

Gostei desses óculos Wonka Fellings.

Jil Sander

O desfile de Jil Sander teve como inspiração uma mistura bem simples: cor e volume. A impressão que tive a cada modelo desfilado é que as roupas mais pareciam pára-quedas abertos. Tudo bem armado e volumoso; muitos deles só ficariam legal em mulheres magras e longilíneas. Em padrões normais de pressão e temperatura, digo, em mulheres normais, não funcionariam. Porém, os modelos que separei para exemplificar o que foi desfilado é bem usável, mas ainda assim, exige boa forma das queridas que desejarem fazer algo semelhante pra fechar na vida real.


Vi na coleção vestidinhos mini, nos joelhos, mas o forte mesmo da Sander foi o comprimento maxi.

Cores? Rosa choque, roxo, magenta, vermelho coral, azul vibrante, verde, amarelo e laranja, branco, azul escuro e preto. Quero esse batom rosa pra ontem!

Versus

A linha usável e comprável da Versace trouxe um jogo de estampas vibrantes de tartan que aos poucos se misturavam a estamparias florais. Ficou tão fofo, tão campestre, que deu vontade de ter um de cada.  Sem falar nos vestidos de color blocking, bem oitentinha, com bojo marcado.

Das peças exibidas extrai-se uma garota descolada, mas que já se sente uma mulher, e deseja exalar um pouco da sensualidade feminina, mas na medida certa, para não atingir o vulgar. Os comprimentos trazidos foram mini e midi, que novamente apareceu.

Cores? Amarelo, azul celeste, preto, vermelho, marrom, ocre, laranja e outras mais.

É a Versus mostrando que xadrez também se usa no verão, de uma vez por todas.

Marni

A Marni exibiu peças com uma forte influência esportiva, tendência já mostrada no inverno do hemisfério norte. A insistência se dá pelo fato de que peças nessa linha possuem a cara do verão, uma vez que trazem a praticidade necessária para toda mulher contemporânea. Cores fortes e pasteis deixaram a coleção jovem e leve, com todo o frescor necessário para aqueles dias mais quentes do ano.

Os comprimentos trazidos foram midi, maxi e acima do joelho.

As cores? Preto, branco, azul marinho, azul cobalto, bege, Pink, verde, laranja, cinza, amarelo, e turquesa, dentre outras.

Pucci

A Pucci teve como inspiração a costa italiana nos anos 70. E anos 70 lembram o estilo hippie. E é ele mesmo que aparece, repaginado, combinado com uma mulher que não abre mão da vaidade, mas que também não afasta a liberdade tão invocada naqueles tempos.

Temos então uma mulher sexy do Oeste, nômade(e eu diria globetrotter), que ama uma vida autêntica, impressa com sua personalidade. Com esse estilo em mente, pudemos ver na passarela botas acima dos joelhos com vestidos esvoaçantes de chiffon, terninhos com blazers bem estruturados aliados a bolsas boho, couro e franjas, e muito crochê. Linda coleção.

As cores exibidas foram basicamente branco, azul, marrom, caramelo, nude, pink, preto e azul claro.

Nº21

Taí um desfile apaixonante: peças simples, porém com cortes impecáveis, que fazem toda a diferença, no sentido de quebrar a monotonia de um look básico.

A paleta de cores da number 21 não foi ampla; basicamente exibiu uma coleção com muito preto, branco, e algumas poucas estampas, que ornaram shorts, vestidos, e conjuntos de saia longa e blusa, estes da mesma estampa. Nada inovador, mas tudo tão usável que dá vontade de levar tudo pra casa, e fazer várias combinações de peças.

Para mim o destaque ficou por conta do conjuntinho branco de saia assimétrica. Fresh and clean!

E assim terminamos o review de Milão. Foi bom enquanto durou, e comecemos a corrida com as próximas resenhas. Querem Paris ou Londres? Comentem!