Pantalona e 6 formas de usá-la com interessância

Se vocês me perguntassem como nasce uma tendência, eu diria que ela nasce da coincidência, tipo, resolvi sair de uma forma de casa e, instintivamente, várias pessoas saíram de forma semelhante. E essas pessoas que saíram parecidas já inspiram tantas outras e aí pronto, habemus tendência.

Digo isso porque reparando no estilo dos frequentadores das Semanas de Moda do hemisfério norte, uma peça, que considero um clássico, de repente massificou: comecei vendo um gato pingado, um dia depois dois, e daí em diante, várias pessoas estavam usando. Sim, a pantalona de uma hora pra outra apareceu nos looks das turmas mais badaladas da moda, o que é um indicativo de que vamos ver bastante também por aqui, muito embora, repito, eu entenda que a pantalona é daquelas peças que a gente deveria usar o ano inteiro, a vida inteira. Amo/sou!

Sobre quem pode usar pantalona, eu digo com precisão: todo mundo! O segredo é dosar a largura da boca, e saber a peça que vai na parte de cima. Como a tarefa de se vestir também é um exercício diário de autoconhecimento, o macete é testar com as mais variadas peças e ver com qual a gente fica melhor. Pra mim, por exemplo, panatalona pede uma blusa cropped, blusa compridinha mesmo só que mais colada, body, ou uma camisa, desde que com esta última peça eu coloque um blazer ou casaqueto por cima, porque tenho a impressão de que a “terceira peça” contribui pra me alongar.

Ah, e sabendo que vamos ouvir falar bastante da pantalona de agora em diante, que tal já ir dando uma olhadela em alguns looks pra ir se inspirando, hein? Fiz uma seleção de seis looks que curti mais. Espero que vocês gostem!

moodpantals

Quem me acompanha no snap (devaneiosf) viu que comprei tecido pra fazer esse conjunto aqui da esquerda, listradinho. Oremos pra titia fazer rápido porque tô numa ansiedade…

Beijos!

Existirá amor em 2016

Você, leitora deste humilde blog, independente do seu signo, vai concordar: 2015 foi um ano estranho. Se você não é mística como eu, e sim mais cética, e estudou Física, também vai concordar que nosso mundo teve com energia estranha nesse ano que tá acabando. Muito ódio permeando eventos que ocorreram em 2015, uma onda negativista sendo jogada em nossas cabeças todos os dias pela mídia, e muitos dias em que a gente fica se perguntando se a humanidade ainda tem jeito.

Eu culpo o universo, e acabo culpando a nós, também, que nos deixamos ser engolidos por essas bad vibes, replicando negatividade, e esquecendo de valorizar e compartilhar o que realmente importa, boas atitudes vindas de pessoas que sempre nos ajudam a restaurar a fé na humanidade. Malala, Papa Francisco, a velhinha que costura roupas para crianças africanas carentes, e tantas outras têm mais a nos ensinar que essa gente que espalha ódio, e tem sede de poder e dinheiro.

Particularmente, pra mim, 2015 não foi ruim, foi um ano-hiato. Olhei pra 2015 e vi que merda nenhuma foi feita, aquele típico ano em que me senti uma merda na água. Exagero meu dizer que meu 2015 foi igual ao 2007 da Britneyde, mas não posso dizer que foi MEU ANO. Fiz uma Pós que me apresentou amigos maravilhosos, e meus amigos de sempre viraram uma grande família, foi realmente a parte ótima desse ano, e que preciso aprender a valorizar. Mas também entendi o recado da vida, às vezes é preciso passar por um hiato, pra virar a página estabelecendo metas, objetivos, e saber que um ano bom se faz com positividade, muita risada, atitude, empatia, e amor.

Não é preciso muito; posso falar seguramente que nem é preciso dinheiro, como muita gente pede na virada do ano; é preciso bom humor, pois é a cura de todos os males; é preciso resiliência, leveza, ninguém precisa levar a vida como um pesado fardo em suas costas. E é isso que pedirei com muita fé nessa virada, pra mim e pra vocês, enquanto assisto aos meus seriados preferidos regados a muita pipoca. Porque já preciso pôr em prática minha primeira meta de 2016: estar próxima dos meus, e valorizar os momentos simples da vida. Não gosto de sair de casa em virada de ano, e sinceramente, em todas as vezes que passei fora do meu ninho, me senti deslocada, me perguntando o que tava fazendo ali, desejando Feliz Ano Novo a quem nem é de minha convivência e, portanto, não passa energia boa pra mim. E é disso que fala meu Manual para 2016, que compartilho agora com vocês, e que vai ficar salvo no meu celular, pra me lembrar que ser uma melhor pessoa não é projeto só de ano novo, e sim de vida.

Então, desejo a vocês muitas alegrias, atitudes positivas, e que a gente sempre busque conhecimento, reflexão sobre as coisas, sopesando acontecimentos. Que julguemos menos, compreendamos mais, compartilhemos bons exemplos, e lutemos pelo que acreditamos. São meus singelos votos para 2016.

Pequenomanual

Beijos e muita luz para todos nós! Feliz 2016!!

Verão 2016: o biquíni que promete ser a sensação no Brasil

abkiini

 

Eu adoro seguir as blogueiras gringas, fato. Ao contrário do Brasil, onde blogueira autêntica é exceção, lá na gringa tem muita inspiração nos blogs, muito texto, muita composição com conteúdo, personalidade, e os looks são looks possíveis, bem “vida real”. E nessas minhas visitas aos blogs lá de fora, percebi que a febre boho continua, também na moda praia. O verão desse ano no Brasil foi dos bodies e biquínis todos em crochê; em 2016, o biquíni com barrados em crochê já dominou lá fora, e promete tomar conta das nossas praias.

Tudo começou quando um turco chamado Kiini, apaixonado pelo trabalho artesanal, resolveu desenvolver uma linha moda praia com uma pegada bem “handmade”, misturando a lycra do biquíni com elásticos coloridos, unidos por pontos em crochê. Caiu no gosto das gringas, virou febre. Estoura a marca Kiini Swimwear.

kiini

 O bacana do trabalho artesanal que não tem como um modelo sair totalmente igual a outro, e olha, amei esses biquínis numa medida…doida por um azul marinho bem colorido!

moodboardkiini

O valor, comprando fora, é salgado, tipo, uns 300 dólares (isso mesmo), MASSS eu selecionei uma lista de lojas brasileiras que já têm o modelo, e entregam no Brasil todo, anotem aí:

- Só Biquínis Moda Praia (link para o Insta da loja AQUI);

- Biquínis Morgana Naciff  by Siss (link para o Insta da loja AQUI;

- Biquínis Rafa Brasil (link para o site da loja AQUI);

- Biquínis Summer (link para o Insta da loja AQUI).

Caso vocês ainda achem o preço das lojas brasileiras salgadinho, que tal pedir àquela tia, ou avó, ou mesmo amiga habilidosa pra fazer pra você num precinho camarada? Vale imprimir as imagens que disponibilizei e mostrar pra elas, quem sabe elas não desenrolam? Corre em lojas especializadas, comprem as linhas, os elásticos, peçam pra uma costureira passar a overloque na lycra dos biquínis e mandem bronca!

 Beijos!