Rolêzinho Haute Couture da Chanel

Gente, sério mesmo, faz uns dias que tô querendo desabafar com vocês sobre o desfile da Chanel primavera/verão 2014, que aconteceu há uns dois dias. Não me peçam pra fazer comentários blasé sobre costura, acabamento, esse post vem do coração, é um post emotivo, traz todas as impressões que eu tive sobre esse desfile.

Antes de tudo, trilha sonora pro post, e aí dou inclusive alternativa, dá pra escutar qualquer uma dessas duas aqui enquanto vocês dão uma lida:

 [youtube]http://www.youtube.com/watch?v=7YHwCw73Nrs[/youtube]

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=7rxWBW6srMw[/youtube]

Na vera, na vera, o desfile da Chanel fez uma linha sport-glam: peças esportivas mas com tecido nobre, tênis com muito brilho, alguns metalizados, outros com acabamento python, e como não poderia deixar de ser, o clássico material tweed, dessa vez com um jeitinho jovem, em blusinhas cropped, casaquetos curtinhos, e algo que muito se assemelhava a um body, também em tweed. Em relação às peças confeccionadas no tecido citado, gostei de várias, e usaria separadamente algumas sim.

Ahhh, não posso deixar falar das cores “candy”, que imperaram no desfile; tava tudo meiguinho, a mulher de Karl pra essa primavera/verão, é menina-mulher, e não uma femme fatale, ou cosmopolita. É uma fofinha, romântica :)

ch2014b

ch_2014

Agora, sob a ótica da emoção, sem ser técnica mesmo,  achei que o kaiser tá ficando cada vez mais lisérgico; alguns looks estavam meio lu patinadora meets ursinhos carinhosos feat. Mc Hammer: tinha joelheira, pochetão de matelassê, cotoveleira, essas coisas que se perguntadas ao povo das “muódas” seriam enquadradas no que chamam de  desfile-conceito, mas eu, como simples mortal, me diverti muito, foram vários WTF seguidos!

ch2014c

Mas quem cria para a Chanel é o Lagerfeld, né, gente, não tinha como ser diferente, o que poderíamos esperar de um jovem que se veste assim, na vibe colar-de-negão-luva-na-mão-do-jeito-do-Michael-Jackson(estranho, hein?)

karl-lagerfeld

Trilha sonora só pra o Karl que ele merece!

Se eu tô derrubando? Que nada, acho que faz parte do mundo da moda esse aspecto lúdico, achei espetacular, porque todo mundo falou da Chanel, os críticos da moda curtiram (todo mundo falando bem) e eu achei tudo pitoresco, oitentista, bacana, colorido. Karl conseguiu juntar três coisas que amo declaradamente – os desenhos anos 80, patins, e tênis – e uma coisa que amo escondidinho, a pochete (adoro usar virada pra trás, tipo surfista-linda-loira-despojada hahahaha). Deu pra captar a ideia da coisa, na verdade a coleção é só um reforço do inevitável: os anos 80 tão apertando o cerco na moda; os 90 também, senti algo Clueless por ali…

E o melhor, minhas amigas, estar por vir: em breve a gente vai ver nos luquidodia as blogayras todas de pochete chanéu(que elas chamarão de vintage clutch) #rindoantecipadamenteemlooping

Então, vamos nos divertir, porque é disso que a vida é feita, e na moda e no estilo não poderia ser diferente.

assinatura2

Deixe seu comentário