Mix de Nuts, faça em casa!

Abertura MixNuts

Alimentação saudável é aquela coisa: é cara se a gente recorrer a restaurantes e produtos industrializados (estilo to-go), mas não custa tanto se a gente se organiza direitinho e prepara boa parte da rotina da semana em casa. Eu, na medida do possível tento baratear os custos fazendo muita coisa em casa, e o mix de nuts é uma que me poupa um bom dinheirinho, e não consome muito do meu tempo, já que é simples de preparar.

Antes de mostrar como faço, vamos às informações nutricionais: o mix de oleaginosas, ou mix de nuts, são excelentes fontes de proteínas, vitaminas e minerais; são ricas em ácidos graxos moninsaturados e poli-insaturados, e em resveratrol, excelente anti-inflamatório e anti-cancerígeno, pois é combatente pesado dos radicais livres.

No meu caso, a nutricionista recomendou o consumo de 20 a 25 gramas diariamente e, com base nisso montei um mix com oleaginosas que mais gosto (castanha de baru, castanha de caju, castanha do Brasil, nozes, amêndoas e amendoim {troco muitas vezes ele por macadâmia}), e frutas secas (no caso usei goji berry, e frutas vermelhas secas). O preparo é simples: passei as oleaginosas no processador (não processem muito pra não virar farofa, o suficiente apenas pra quebrar as castanhas maiores), depois mexi junto com as frutas secas, e depois coloquei em saquinhos, pesando direitinho. Com cerca de 40 reais de produtos(meninas de Natal, compro tudo na Lucena) fiz uns 34 saquinhos, ou seja, dá pra mais de um mês!

Fiz seqüência ilustrada mostrando como preparo e monto os saquinhos:

papmixnuts

Essas pequenas porções são muito práticas pra levar na bolsa, pois nos livra de comer besteira naquela hora que bate uma fome louca na rua. Eu sempre deixo um saquinho dentro da bolsa da diária, e um na bolsa da academia, pois nunca se sabe, né, eu sempre sigo minha dieta direitinho no pré-treino e nunca passei mal, mas sou prevenida e levo mesmo assim, vai que decido fazer duas aulas seguidas e o mix estará lá, pra me dar mais um combustível e levar de boa o segundo treino.

Bom, espero que tenham gostado dessa dica, e se vocês quiserem saber mais um pouquinho de como tento me organizar na alimentação, me deixem saber comentando aqui embaixo; eu até compartilho bastante minha rotina no snap, mas como os snaps se apagam, e não dá pra falar muita coisa por lá, se vocês se interessarem posso tentar postar aqui com mais regularidade essas diquinhas!

assinatura2

Receitinha: bolo de cranberry

BoloCranberryab

 

Olá, gente!

Faz um tempinho que tava pra postar essa receita pra vocês, mas tá tudo muito corrido esses meses (MBA, muito trabalho, viagens mensais, resolver as coisas de casa, e organizar a lojinha do Enjoei), e infelizmente quem me segue no snap (devaneiosf) tem mais sorte de receber conteúdo atualizado, inclusive desse bolo que somente hoje tô postando por aqui pelo blog. Mas, antes tarde do que nunca, né gente??

Pra começo de conversa vou adiantando pra vocês algumas coisas sobre essa receita, a primeira delas é que usei açúcar de coco, o que não deixou o bolo muito doce, e, para quem tem um paladar nível “cocada”, talvez não goste do doce suave desse bolo. Então, vou postar trocando o açúcar de coco pelo mascavo, pra deixar bem docinho, ok? O segundo detalhe é que os cranberries que usei foram bagaços dos cranberries que sobraram de um suco que fiz. Eu sempre reaproveito aveia, cranberry, castanha, que sobram dos sucos e leites que faço pra fazer bolo, ficam muito fofinhos, e nutritivos, fora que evita o desperdício, né?

Então, chega de conversa e vamos logo pra receita!

BOLO INTEGRAL DE CRANBERRY

INGREDIENTES

  • 1 xícara de farinha de trigo integral
  • 1 xícara de farinha de arroz
  • 1/2 xícara de oat bran
  • 2 colheres de sopa de linhaça
  • 1 xícara de coco ralado médio
  • 1 xícara de bagaço de cranberry
  • 1/2 xícara (ou 1 xícara, a depender do nível de doce que vocês gostem) de açúcar mascavo
  • 1 colher de chá de bicarbonato de sódio
  • 2 xícaras ou 2 e 1/2 de água em temperatura ambiente
  • 1/2 xícara de óleo de girassol ou óleo de coco extra virgem
  • 1 colher de chá de essência de baunilha 
  • 1 colher de sopa de fermento em pó
  • 1 pitadinha de sal

PREPARO

Inicialmente, misture as farinhas (os 3 primeiros ingredientes), a linhaça, o açúcar, o sal, e o coco ralado. Vá batendo, e acrescentando água, e óleo aos poucos, sempre alternando. Adicione o bicarbonato, a essência de baunilha e o sal, e continue batendo. Quando a massa tiver bem homogênea, e firme, coloque o cranberry, e por fim, o fermento em pó. Lembrem: depois de acrescentar o fermento a gente não bate a massa, mas apenas mistura para que ele seja distribuído de maneira uniforme pela massa. Leve ao forno pré-aquecido em fôrma untada, a 180 graus até que a massa passe pelo teste do palitinho ou garfo (se o bolo estiver douradinho, a gente enfia o palitinho e se ele sair seco tá tudo certo, pode tirar!), e pronto, habemus bolo de cranberry!

Testem aí em casa e me digam depois se ficou gostoso!

Beijos!

 

Quinta do vídeo: Brownie na bola de chocolate com sorvete

E quinta é dia de quê? Vídeo novo, é claro!
O de hoje contém imagens fortes, e calorias pesadas, mas é uma delícia, não tem como a gente não testar em casa e provar pelo menos uma vez na vida.
Como a Páscoa se aproxima, resolvi ensinar pra vocês a receita do famoso brownie na bola, de um jeito, fácil, simples mesmo, e tenho algumas diquinhas pra dar:

- Quem mora em regiões quentes, como eu, bom tirar a bola de chocolate da geladeira e montar o prato só na hora de servir, senão derrete tudo, é triste (meu vídeo de bolo de Kit Kat mostra bem meu drama);
- Eu fiz uma calda de chocolate clássica, mas andei pesquisando na internet uma calda perfeita, com caramelo, bem simples de fazer, leva açúcar, creme de leite e água (o modo de preparo eu achei no blog da Rita Lobo, o Panelinha, só clicar AQUI pra ir direto pra lá). Lembrando que, para que a bola derreta e dê aquele efeito massa, a calda tem que estar quente mesmo;
- Os sorvetes mais legais pra colocar em cima do brownie são menta/chocolate, pistache, e alguns com frutas, estes últimos sabores pra dar aquele contraste do doce do chocolate com um tico de azedinho do sorvete.
Feitas estas considerações, simbora conferir o vídeo.


E aí, deu água na boca? Me digam se curtiram, tá, adoro saber a opinião de vocês sobre o que posto aqui!

Guloseima: bolo de banana com sementes

IMG_8962.JPG

Sou contra desperdício, fato. E contra desperdício de comida, muito mais. Então, quando percebo que algum dos meus mantimentos estão prestes a estragar, trato de desenvolver uma receita pra não jogar comida fora. E foi o que aconteceu hoje, com meu mix de sementes que comprei em grande quantidade, e tava com medo de que perdessem a validade.

No caso específico das sementes, pensei em fazer algo tipo pão com multigrãos, ou um bolo. Olhei pro lado, achei banana, e farinha de trigo; olhei pro outro, tava mascavo também já aberto há um bom tempo…e lá se foi mais uma invenção culinária minha que deu certo: eis uma receita fácil de bolo de banana com sementes.

Ingredientes:

- 2 ovos caipiras;
- 1 xícara de chá de farinha de trigo com fermento ( para as intolerantes dá pra trocar pelo mix de farinha sem glúten e acrescentar um colher de chá de fermento à receita);
- 1 xícara de chá de açúcar mascavo(não gosto de muito doce, por isso só uma xícara, mas aconselho a provar pra ver se tá bom de açúcar);
- 4 gotinhas de essência de baunilha;
- 1 xícara de chá de óleo de milho;
- 2 bananas grandes ou 3 pequenas, amassadas;
- 5 colheres de sopa de mix de sementes com castanha do Brasil triturada, tudo junto e misturado ( semente de abóbora e semente de girassol).

O preparo do bolo é bem simples: bata os ovos com o óleo e o açúcar mascavo, acrescente a banana amassada, bata mais um pouquinho. Depois, coloque a farinha, a essência de baunilha e o mix de sementes, e bata para homogeneizar. Transfira para uma fôrma untada e polvilhada (eu usei a de silicone retangular e funda tipo a de pão, e por isso não fiz essa etapa), e coloque no forno a 180 graus por 40, 45 minutos. Faça o teste do garfo, é o melhor para saber se o bolinho tá no ponto.

Pronto! Bolo funcional gostoso, e rico em fibras, e ferro no capricho, ótimo para o lanche da tarde!

Como fazer a Salada no Potinho, ou Mason Jar Salad

O post de hoje foi decorrente de vários pedidos que minhas amigas fizeram, assim que coloquei no Instagram meu almoço de hoje; não era nada demais, era salada, mas a praticidade foi o que chamou atenção: ela vem em potinho de vidro, já toda organizada, só pegar e comer! O nome: salada de potinho mesmo, gente, ou mason jar salad, como chamam em território gringo.

Bom, a salada no potinho é uma maneira prática de a gente organizar nossas refeições, dá pra fazer pra semana inteira, colocar na geladeira, e todo dia tirar uma pra comer. Pra mim a salada disposta assim é uma maravilha, porque quando viajo a trabalho pro interior do Estado, sou meio fresca, não gosto de comer em todo canto, e não por sujeira e tals, mas porque geralmente comida de restaurante é muito oleosa, ou amanteigada, quem é do interior do Nordeste – ou visitante recorrente – sabe que isso rola. E, como minha alimentação do dia-a-dia não tem manteiga(ghee de vez em quando), pouquíssimo azeite, nada de sal, lactose ou glúten, pra evitar uma infecção intestinal assim de graça, tive essa brilhante ideia, que vi há uns meses no Pinterest e gostei bastante.

mjaramostras

E como montar essas saladas? Primeiramente, a gente vai precisar dos potinhos, de vidro de preferência, porque livra a gente do bpa dos plásticos; depois, organizar a salada seguindo uma ordem, não tão rígida, mas uma ordem que ajude na conservação do alimento e na manutenção do sabor.

Fiz um esqueminha ilustrado pra vocês verem como a gente vai montando os andares no pote:

mason jar ab

Bom, no fundo do potinho, na primeira camada de baixo pra cima, a gente coloca o molho, e aí fica ao critério do freguês. Na minha hoje eu pus mostarda e mel.

Na segunda camada, a gente põe os grãos, ou seja, grão-de-bico, lentilha, semente de girassol, mix de nuts, arroz sete grãos, ou integral, também vai do gosto de cada pessoa.

Na terceira, os vegetais que chamei t1, de doida mesmo, mas são aqueles mais durinhos, como brócolis, couve-flor, cenoura, cebola, alho poró…vale pôr aqui também milho verde, ervilha, semente de girassol, de abóbora…depois deles pode colocar os tomates, de preferência os cereja, que vão inteirinhos, e não soltam água como os cortados em rodela. Dá pra adicionar fruta também, como maçã, manga…

Na quarta camada vem uma proteínazinha: peixe, frango, queijo, carne, quinua, a depender também da preferência de cada um. Depois dessa camada, pode colocar um macarrãozinho, ou inhame, ou batata doce, enfim, um carbô pra dar uma forrada no bucho.

E pra finalizar, na quinta camada, folhosos variados! No meu potinho hoje eu coloquei rúcula, alface, e brotos de alfafa; deêm preferência aos orgânicos, eu sempre compro na feirinha agroecológica do Gramorezinho, que expõe em vários locais de Natal no decorrer da semana, é uma maravilha!

Me digam se não é o máximo isso? A pessoa fica pensando como não teve essa ideia antes…

E, se vocês acham que terminou, tenho outra dica quente pra vocês: seguindo a mesma lógica, dá pra fazer uma saladinha doce, e não falo das overnight oats, falo de saladinha mesmo. Coloca o molho doce, de mel ou iogurte grego por exemplo no fundo, depois uma fibra, e a seguir frutas diversas. Fica uma maravilha também!

Dada a dica, é esperar que vocês façam as saladas e coloquem a hashtag #saladanopotinhoDF pra eu colocar no Face do blog. Tô aguardando, viu?

Beijos!

 

 

Paletas Mexicanas (ou picolé hipster)

Ab_paletas

Hoje o post vai falar de tendência, mas na área de comidinhas. Cês acreditam que o picolé tá bombando??

Então, como tudo hoje em dia tem que mudar o nome pra parecer cool, deixaram o nome picolé de lado, e agora ele é chamado de paleta mexicana. Ai, gente, essas paletas são picolés, e pronto, acho tão nonsense isso de hipsterizar certas coisas dando outra nomenclatura…confesso que só não fiquei mais chateada com isso porque o nome pelo menos é latino, já que a mania idiota da vez é dar nome em inglês a coisas que já têm denominação na nossa língua! Mas, vamos o que interessa, falar das paletas.

As paletas mexicanas são picolés feitos artesanalmente, com ingredientes variados, de preferência frutas frescas, iogurte, leite condensado e outras delicinhas. Por ser uma produção caseira, ele pode ser mais saudável que os industrializados, e permite muitas, mas muitas variações; passaria o dia inteiro dando receitinhas, já que nossa imaginação é o limite quando se trata desses picolés!

Porém, como post extenso não é o meu forte, vou passar umas ideias gerais pra vocês fazerem seus picolés em casa. Simbora:

 -  A escolha do ingrediente-matriz: tá, vamos fazer nossos picolés. Decidido isso, o primeiro passo é saber o sabor, se de frutas tropicais, frutas vermelhas, nutella, legumes (sim, dá pra fazer de pepino, por exemplo, ou com base de suco verde).

-     A  base do picolé: escolhido o ingrediente-matriz, a gente vai pra base, se vai ser com leite, leite condensado, iogurte grego, água, groselha, maple syrup, leite de sementes com whey, creme de leite, creme de soja… as opções são milhares, é realmente deixar a imaginação fluir para elaborar sua própria receita. Bom lembrar que pra os sabores se incorporarem legal, um cozimento de poucos minutos com ingrediente – matriz e base é muito importante, homogeiniza a parada.

- A fôrma: Esse é o mais fácil, já que qualquer loja de 1,99 da vida vende forminhas pra picolé. Mas vocês não têm em casa, e tão com mega vontade de preparar seus picolés, basta um copinho descartável e um palito. Quando congelar, corta o copinho e pronto, feita a paleta!

- O congelamento: Colocadas as paletas nas fôrmas, é congelar por umas 5, 6, horas, desenformar, e cabou-se, só se jogar no picolezinho caseiro!

Sugestão de sabores? Tenho alguns: musse de maracujá, musse de limão, cheesecake de mirtilo, suco verde com limão, pasta de amendoim com banana, abacate com cacau e limão…quem é do Nordeste conhece o poli, que é uma paleta mexicana nordestina, e a gente prepara como quem faz uma vitamina e põe em forminhas. Aqui a gente era hipster faz tempo e nem sabia, né?

Só pra vocês não se chatearem porque não dei receitas completas, separei algumas imagens pra gente ter um ponto de partida pra preparar nossos picolés, já que pelas fotos fica fácil deduzir os ingredientes e começar a produção. Espero que gostem!

Paletasmexicanas

Páginas123