Vídeo da Semana: Upcycling, repaginando a calça branca

Olá, tudo bem com vocês?

Gente, me desculpe, mas esqueci completamente de programar o vídeo da semana, que deveria subir quinta em forma de post aqui no blog #aloka. Minha correria tá tão grande que subi o vídeo no Youtube, não lembrei de avisar por aqui, mas tá em tempo, né?

Bom, o vídeo de hoje é de uma série que tô pretendendo iniciar no blog, e tem como pano de fundo a sustentabilidade. Por meio de alguns vídeos, quero mostrar pra vocês como dá pra ter uma peça nova no armário sem desembolsar nada(ou quase nada) por isso, apenas colhendo um item em desuso do nosso próprio guarda-roupas, e fazendo reformas bem rápidas e práticas. É interessante dar uma freada no consumo, e tentar como plano A olhar pra nosso acervo, antes de sair feito louca gastando no impulso por peças caríssimas, e que você poderia facilmente colher dentro de casa, do seu guarda-roupas, e andar tão linda quando aquela rainha do street style que inunda nosso Pinterest com looks cheios de interessância.

rippedwhitejeans

Pois bem, seguindo essa ideia, vou mostrar como tornei minha calça branca sem graça numa peça estilosa, sem fazer quase nenhum esforço, dedicando apenas alguns minutinhos do meu dia para a reforma. Simbora conferir no vídeo abaixo?

 


Viram como uma ideia simples pode nos poupar um bom dinheirinho? Gostaram desse vídeo, e queriam mais alguns nessa linha? Comentem e deixem a sugestão de vocês no blog, já tenho algumas ideias em vista, mas dicas partindo de vocês são super bem vindas também!

assinatura2

DIY express: wrap choker (dois estilos)

Chamando assim, pelo nome em inglês, muitos de vocês vão achar que não conhecem esse choker que tá dominando o tumblr e o pinterest . Mas se eu der “ibagens”, vocês vão saber na hora: sabem aquele colarzinho em couro, camurça, ou em rolotê de cetim com umas ponteirinhas douradas que a blogueiragem gringa tá toda usando? Pois bem, o nome dele é wrap choker; colar de amarrar, traduzindo ao pé-da-letra.

Assim que vi esse colar no snap da Danielle (blog who what wear) eu endoidei, porque ele tem uma pegada boho, e orna com vários outros colares, fazendo um #neckswag, como em algumas imagens que separei:

selectionwrapchoker Imagens: reprodução. Edição:DF

Como ainda não tinha achado nenhum exemplar no Brasil (e se tivesse o preço não seria tão agradável) fui no Centro da cidade, comprei o material, e montei dois modelos diferentes, que mostro num vidjinho rápido que vocês conferem clicando logo abaixo:


Fácil, né? Em poucos minutinhos cês já têm um colar estiloso! Ah, deixa eu falar, os vídeos vão voltar a ser regulares no blog, depois desse hiato em que a pós me jogou, tô voltando com surra de  DIY. Portanto, já vão mandando sugestões no e-mail e nos comentários por aqui!

Dica de Livro: Invencível, de Laura Hillenbrand

E AÍ, MEU POVO!!!!

As minhas leitoras mais antigas já devem ter percebido que não sou muito de fazer posts literários; tenho perfil lá no Skoob com minhas preferências, mas por aqui falo muito pouco. Porém, acho que vou tornar mais constante indicação de livros, e darei preferência a obras que me impactaram, como a de hoje, o livro de Laura Hillebrand, Invencível.

9788539003433_300_site

Fazendo um resumo bem rasteiro da obra, Invencível conta a história de “Louie” Zamperini, um rapaz que foi atleta olímpico, mas teve sua carreira interrompida por uma repentina convocação para a Segunda Guerra Mundial. Porém, esses dois fatos que contei não o centro da obra, mas sim o que Louie (como carinhosamente era chamado) passou durante esse período (acidente aéreo, prisão por tropas inimigas…), e de que forma ele conseguiu lidar com os eventos que aconteceram em sua vida.

A descrição do livro eu extraí do site da Saraiva, e é essa aqui:

“Em uma tarde de maio de 1943, um avião da Força Aérea americana caiu no meio do oceano Pacífico e desapareceu, deixando para trás alguns escombros e um rastro de óleo e sangue. Em seguida, na superfície do oceano, apareceu um rosto. Era de um jovem tenente, um dos artilheiros do avião, que se esforçava para chegar a um bote salva-vidas. Assim começou uma das mais impactantes odisseias da Segunda Guerra Mundial. O nome do tenente era Louis Zamperini. Quando criança, foi um rebelde incorrigível. Adolescente, canalizou a rebeldia no atletismo e descobriu um talento que o levou às Olimpíadas de Berlim e à perspectiva de ganhar uma medalha de ouro nos Jogos seguintes. Mas com o início da guerra, Zamperini foi obrigado a desistir de seu sonho. Com uma voz narrativa rica e intensa, Invencível é o relato fascinante da coragem e resiliência de um ser humano extraordinário.”

Terminei de ler a obra recentemente e olha, Louie é inspirador. Não se trata de um livro de auto ajuda, mas de uma biografia que ensina muitas lições, dentre elas, a resiliência, e inteligência emocional. Prefiro não me prolongar por aqui, porque adoraria que vocês lessem o livro, maravilhoso!

A história de Zamperini é tão fodástica que Angelina Jolie, recentemente, dirigiu um filme inspirado na obra, cujo trailer vocês podem ver logo abaixo, mas advirto: NÃO VEJAM O FILME ANTES DE LER O LIVRO, PLEASE!!


Aproveitando que as férias tão chegando, que tal mergulhar no mundo dos livros começando por essa dica?!

3 Looks com Tênis

Se existe um tipo de calçado que eu nunca abandonei na minha vida, esse calçado é o tênis. Desde minha infância fui alucinada por tênis; titia, quando viajava, trazia altos modelos legais: basqueteiras Reebok rosa, Converse baixinhos…me lembro com 12 anos indo às Americanas gastar minha mesada que juntei por meses com um Keds branco, que usei até ficar capenga. Mais tarde, Painho também entendeu a mensagem e a partir dos 16 anos só me dava de presente Adidas, todo ano um modelo que eu escolhia…até hoje tenho eles, e uso bem! É caso de amor antigo, e muito me deixa feliz o fato de que o mercado tá abastecido de modelos legais, difícil é escolher porque esta jovem aqui fica querendo todos!

Como a lente da minha câmera DSRL adquiriu fungo por causa da umidade (guardava na mochila dentro do armário), tava sem postar look do dia no blog, mas dei um jeitinho de, enquanto não consertava a bicha, publicar uns looks diários meus no Insta com câmera de celular, e hoje destaco três deles usando tênis, conforto total!

IMG_5580

No primeiro look a estrela é o tênis da coleção Adidas para a Farm. Comprei dois Adidas dessa parceria em promo no site da marca, e me arrependi por não ter comprado outros modelos porque eles são estilosos, e confortáveis. Pra combinar com ele usei com uma sainha que titia fez pra mim, uma camisetinha da Renner e uma camisa jeans que também é Renner. Os óculos são do Aliexpress, antiguinhos.

foto(1)

Já no segundo look tô com o tênis da parceria da Adidas com Stan Smith. Branquinho, minimalista, enche a cabeça da gente de ideia, me lembra o Keds branquinho que comprei quando criança, orna com tudo. Formei o look com vestido Farm, e Jaquetinha Riachuelo.

O terceiro look também tem o Adidas Stan Smith (nem apareceu todo o póbi), só que dessa vez usei com um vestido assimétrico feito por titia, e pra não ficar tudo clean demais coloquei meu body chain pra dar uma interessância à composição.

51730b2472dc2bc32cdbd5881414465a

No Insta do blog (segue lá, devaneiosf) sempre umas montações da vida real, looks que uso pra trabalhar, viajar, etc…tênis tá quase sempre em pauta, mesmo nos looks de trabalho, então, pra turma que ama esse calçado confortável, vale a pena dar um conferida por lá também, é mais dinâmico.

Bom, vou ficando por aqui, espero que vocês tenham gostado, e se quiserem mais alguns exemplos de como componho meus looks com tênis avisem por aqui que vou mostrando no Insta, ok!?

Beijos!

Gosta de moda? Assista à True Cost

the_true_cost_documentary.jpg.662x0_q70_crop-scale

Não, hoje não vou falar sobre filme contando a biografia da Chanel. A dica de hoje vai pra quem ama moda, e ama consumo de moda. Sim, porque se temos o poder de compra, temos responsabilidades pela forma com a qual compramos. Com grandes poderes, vêm grandes responsabilidades, já dizia o Tio Ben, do Homem Aranha.

O documentário que estou recomendando no post de hoje, o True Cost, manda essa mensagem direto pro nosso coração. Será que a gente sabe o preço que custou aquela blusinha legal que a gente comprou na H&M? Dou uma dica: vai muito além daqueles números fixados na etiqueta.

True Cost é um premiado documentário que mostra o que eu já vinha falando em posts esparsos aqui pelo blog, que a gente precisa mudar a forma como a gente consome, ou estaremos ingressando num caminho sem volta, dizimando vidas de pessoas inocentes, e matando a nós mesmos com o crescimento da poluição, pois, como já disse em um post certo dia, pra fazer aquela sua calça jeans bapho, foram gastos litros e litros de água que poderiam estar matando a sede de crianças na África, por exemplo. Comprar uma pecinha legal numa fast fashion pode ter custado a vida de um trabalhador de sweatshop (ou de milhares), ter implicado no nascimento de uma criança com problemas mentais, mas enchido bem os bolsos do empresariado, e isso vocês não vêem nos vídeos intitulados de “comprinhas” ou “fashion haul”, que algumas blogueiras fazem por aí. O preço, meus amigos, é bem mais caro do que está na etiqueta, bem mais…

O documentário mostra uma preocupação, e um alerta; ou a gente tira a viseira pra enxergar um pouco além, ou nossa imbecilidade vai nos levar à extinção. Vejam o trailer só pra terem uma ideia do que falo:

 


Quem se interessou, e quer ver o documentário todo, tem no Netflix, e acho que naqueles canais que passam filmes online também. Recomendo pra quem lê esse bloguinho aqui assistir, e repensar sobre o que a gente quer pro futuro. Eu não sou hipócrita pra dizer que não piro numa liquidação da Marisa, e que não ficou louca no Aliexpress; mas podem acreditar, comprar peças nessas lojas têm me feito refletir bastante, e mudar, aos poucos o meu jeito de consumir. Prioridade pra mim tá sendo usar ou roupas que faço ou que minha tia faz pra mim, além de adquirir peças de pequenos produtores. Para cada dez peças que tenho adquiridas de forma sustentável tenho uma ou duas de fast fashion, e vale um toque: já reparei que enquanto tenho peças costuradas por titia há mais de dez, doze anos, que estão zeradas, novinhas, peças minhas compradas nas fast fashion com 3 meses de pouco uso já estão detonadas. Então, tem alguma coisa errada aí, e a gente precisa parar pra pensar nisso.

Ah,  além do doc,  indico dar uma passeada pelo site True Cost (truecostmovie.com), me inscrevi lá e recebo muita coisa interessante no meu e-mail, entrevistas, matérias…vale a pena!

Porque a moda não se resume ao look do dia, nunca se resumiu a isso.

DIY Decor: Mini Murais!

OLÁ, JOVENS, CÊS TÃO BEM?

Eu tô bem, e fiquei melhor depois que achei essas imagens de um DIY de Decoração que tinha feito há uns dois anos, e não tinha transformado em post pro blog, de mini murais pra você decorar qualquer parte da sua casa. Adoro tudo que envolva anotar, fixar, lembrar, sou muito louca do planner, e aqui em casa tenho coisinhas assim espalhada por toda a parte!

Os muraizinhos que posto hoje são simples – e baratinhos – de fazer, porém bem charmosinhos!

Vamos para o passo-a-passo?

mmural1

 

Pra fazer os mini murais vocês vão precisar de: porta-retratos ou molduras, que a gente encontra até em loja de R$1,99; folha de EVA (que esqueci de colocar na imagem rsrsrs), papel contact branco (se o mini mural for estilo lousa branca), ou preto fosco (se for lousa negra); cola de silicone, e Fixa Forte.

Começando pelo mini mural de EVA: corte a folha de EVA na largura que dê pra encaixar na moldura, fixe na moldura com cola de silicone e pronto!

DICA EXTRA: para os alfinetinhos fixarem melhor no EVA, vocês podem colocar entre ele e a moldura uma folhinha fininha de isopor.

mmural2

 

mmural3

 

Para o mini mural estilo lousa branca, basta cortar o contact na largura do encaixe na moldura, e, como ele é autoadesivo, é só grudar sem auxílio de cola! Fácil!

mmural4

 

Com os mini murais prontos, peguei o adesivo fixa forte, colei nas molduras e afixei na parede:

mmural5

Voilá, a parede lisa já ficou mais felizinha!

mmuralfim

 

Notaram como coisas bem simples e baratas acabam dando uma transformada nos cômodos da casa, e melhor, deixando com a nossa cara? Em tempos que os projetos arquitetônicos deixam todos os apartamentos e casa padronizados, fazer nossos próprios objetos de decoração torna nosso lugarzinho único e aconchegante!

Espero que tenham gostado dessa mini dica, e já adianto que tem outro DIY de decor na agulha pra subir próxima semana ou na outra.

Beijos!

Páginas12345... 38»